Pedro Nuno Santos garante que interesse de empresas internacionais na Groundforce continua 'intocável'

Pedro Nuno Santos garante que interesse de empresas internacionais na Groundforce continua “intocável”

18/05/2021 15:49:00

Pedro Nuno Santos garante que interesse de empresas internacionais na Groundforce continua “intocável”

Depois de afirmar que o pedido de insolvência da TAP sobre a Groundforce não significa que a empresa de 'handling' esteja falida, o ministro das Infraestruturas e Habitação assegurou que o processo de insolvência não retraiu o interesse 'players' internacionais na posição de Alfredo Casimiro.

18 Maio 2021, 12:45Depois de afirmar que o pedido de insolvência da TAP sobre a Groundforce não significa que a empresa de ‘handling’ esteja falida, o ministro das Infraestruturas e Habitação assegurou que o processo de insolvência não retraiu o interesse ‘players’ internacionais na posição de Alfredo Casimiro.

Morreu José Eduardo Pinto da Costa, irmão do presidente portista Morreu José Eduardo Pinto da Costa, irmão do presidente do FC Porto Morreu José Eduardo Pinto da Costa, irmão do presidente do FC Porto

Cristina BernardoO ministro das Infraestruturas e Habitação, Pedro Nuno Santos, garantiu esta terça-feira que o interesse deplayersinternacionais na compra da posição maioritária de 50,1% da Pasogal (de Alfredo Casimiro) na Groundforce mantém-se “intocável”, apesar do pedido de insolvência da companhia de handling, requerido pela TAP.

Durante a audição na comissão de Economia, Inovação, Obras Públicas e Habitação, quando questionado sobre o afastamento do acionista maioritário, o governante afirmou que os interessados já “tornaram público a manutenção do seu interesse”. headtopics.com

“Foram elas a dizer que o processo de insolvência não colocava em causa o seu interesse para comprar a empresa”, afiançou Pedro Nuno Santos. O ministro assegurou que os interessados na participação que Alfredo Casimiro tem na Groundforce “também falam com a TAP e com o Governo. “Nós sabemos que o interesse das empresas mantém-se intocável”.

Também esta terça-feira, horas antes da audição a Pedro Nuno Santos no Parlamento, a Groundforceonde afirmava que o processo de insolvência irá “dificultar a operação de venda que se encontra em curso com diversos

playersinternacionais do sector”, entre os quais encontra-se a belga Aviapartner.Ora, aos deputados, Pedro Nuno Santos garantiu precisamente o oposto, defendendo que o Estado já não se deve relacionar com o líder da Pasogal. “Já não nos podemos relacionar com esse empresário como um empresário normal”, disse. De referir, que uma conversa privada entre Pedro Nuno Santos e Alfredo Casimiro foi gravada e divulgada sem a autorização do ministro,

o que motivou uma queixa-crime e uma investigação do Ministério Público.Ainda assim, o governante assegurou que “substituir a [atual] gestão não é o mais importante”. Acresce que Alfredo Casimiro, apesar da esperada venda e do pedido de insolvência, ainda é o responsável pela gestão da empresa e, por isso, quem tem todas as obrigações para com os trabalhadores. headtopics.com

Não estaremos a exagerar com a vacinação das crianças saudáveis dos 5 aos 11 anos? Águias voam para os oitavos de final da Champions ''Próximas eleições são seguramente as mais importantes que tivemos nos últimos anos''

“A empresa é controlada pelo acionista maioritário, que é a Pasogal. É quem tem a responsabilidade para fazer face aos compromissos da empresa. Até este momento, estamos na expectativa de que, quem tem a empresa e a quer manter, possa resolver a situação. Não deixaremos os trabalhadores em má situação, mas deixem-me dizer-vos que temos consciência da nossa responsabilidade. Mas não andamos a segurar o emprego de todos os trabalhadores do país e de todas as empresas do país“, revelou.

A 8 de maio, o empresário da Pasogalcolocou à venda a participação de 50,1% que detém da Groundforce Consulte Mais informação: Jornal Económico »

O Futuro do PSD

Escolhemos seis questões que determinam o futuro do PSD e sobre elas questionámos os dois candidatos a presidente do partido, que será eleito a 27 de Novembro