Pedro Mota Soares defende isenção de IRS para aumentos salariais

11/09/2022 13:15:00

Pedro Mota Soares defende isenção de IRS para aumentos salariais

Dv, Economia

Pedro Mota Soares defende isenção de IRS para aumentos salariais

Dirigente do CDS-PP e ex-ministro da Segurança Social considera que o governo tem margem orçamental para aliviar a carga fiscal neste contexto de elevada inflação.

O governo deve tomar medidas para dar mais rendimento aos trabalhadores, e uma das que podia tomar agora era isentar os aumentos salariais em 2023 de IRS. Quem o defende é Pedro Mota Soares, dirigente do CDS-PP e ex-ministro da Segurança Social de Passos Coelho."Para alcançarmos uma política de rendimentos que ao mesmo tempo não aumente a pressão sobre a inflação, Portugal devia, como outros países estão neste momento a fazer - caso alemão, caso francês -, avançar com uma medida em que os aumentos salariais, na parte do aumento salarial e ainda que transitoriamente, estejam dispensados do pagamento de IRS", disse em entrevista ao programa Conversa Capital do

Consulte Mais informação:
Dinheiro Vivo »

Alerta vermelho na Grande Lisboa, pelo menos um morto em Algés

A chuva forte está, esta quarta-feira, a provocar inundações em várias zonas na região da Grande Lisboa. A capital está sob aviso vermelho. Pelo menos uma pessoa perdeu a vida em Algés. A Proteção Civil emitiu esta noite um alerta à população, no qual reforça as recomendações para as próximas 48 horas. Veja em direto a emissão da SIC Notícias e acompanhe ao minuto os últimos desenvolvimentos. Consulte Mais informação >>

Pedro Mota Soares: Aumentos de salários devem ser dispensados de IRSDirigente do CDS-PP e ex-ministro da Segurança Social defende que governo tem margem nas receitas fiscais para acomodar isenções temporárias de IRS sobre aumentos salariais face ao contexto de inflação elevada. Este governo prefere dar esmolas a pobre! E assim tem mais votos! Eu gostava que o Jornal de Negócios explicasse a razão porque foi ouvir este ex-dirigente de um partido que não tem representação parlamentar e que nunca foi uma autoridade nesta matéria. Ninguém desconhece o seu mau desempenho enquanto titular da pasta. 💪🇵🇹 Digam a esse gajo para ele vir ao Alentejo ( Beja) com data marcada e hora que eu arranjo um grupo para lhe dar as boas vindas. Um FDP que se lembrou enquanto ministro da SS cortar as ajudas do pessoal do interior nas deslocações aos hospitais centrais. Vá à merda . Couro

Adriano Moreira: Os cem anos de um homem de respeitoAos 100 anos de idade, o antigo presidente do CDS-PP e ex-ministro do Ultramar, nos tempos do Estado Novo, é uma das figuras mais marcantes do Portugal contemporâneo.

Adriano Moreira: Os cem anos de um homem de respeitoAos 100 anos de idade, o antigo presidente do CDS-PP e ex-ministro do Ultramar, nos tempos do Estado Novo, é uma das figuras mais marcantes do Portugal contemporâneo.

Vem aí uma reedição de “Revolver”, dos Beatles. E está cheia de coisas boas63 faixas divididas por 5 CDs, 5 LPs e um EP. A nova reedição de “Revolver” é para fãs a sério

#ILikeYouLike: Qual é o segredo dos “trick shots” de Joel Barreira no TikTok?Cartas, bolas de ping pong e até CDs são alguns dos “instrumentos” de trabalho de Joel Barreira e é com eles que faz truques que deixam milhões de seguidores no TikTok impressionados.

O Professor dos Valores CertosHá uns anos, quando corajosamente assumiu a presidência do CDS, o país conheceu o desafio da ideologia certa. A ideologia dos valores. Indiferentemente de ser direita, centro ou esquerda, a força dos valores como primado e do bem comum como fim do que é servir a causa pública.

Comentar O governo deve tomar medidas para dar mais rendimento aos trabalhadores, e uma das que podia tomar agora era isentar os aumentos salariais em 2023 de IRS.Assine para partilhar E usufrua de todas as vantagens de ser assinante Pedro Mota Soares, ex-ministro da Segurança Social, defende um acordo sobre rendimentos e inflação que isente de IRS os aumentos salariais no atual contexto de elevada subida de preços e perda de poder de compra entre os trabalhadores portugueses.homenagem Grijó de Vale Benfeito era apenas uma das muitas pequenas e pobres aldeias transmontanas que pintavam o cenário do nordeste português em 1922.Grijó de Vale Benfeito era apenas uma das muitas pequenas e pobres aldeias transmontanas que pintavam o cenário do nordeste português em 1922.

Quem o defende é Pedro Mota Soares, dirigente do CDS-PP e ex-ministro da Segurança Social de Passos Coelho."Para alcançarmos uma política de rendimentos que ao mesmo tempo não aumente a pressão sobre a inflação, Portugal devia, como outros países estão neste momento a fazer - caso alemão, caso francês -, avançar com uma medida em que os aumentos salariais, na parte do aumento salarial e ainda que transitoriamente, estejam dispensados do pagamento de IRS", disse em entrevista ao programa Conversa Capital do Negócios e Antena 1.   Em entrevista ao Negócios e à Antena 1, no programa Conversa Capital, o dirigente do CDS-PP, defende um desagravamento fiscal sobre subidas salariais para a generalidade dos trabalhadores, incluindo função pública, cuja sede de diálogo social ocorre fora da concertação social. Para Pedro Mota Soares, a medida podia ser decidida no âmbito do acordo de rendimentos que o governo quer negociar com os parceiros sociais até ao final do ano. «O Professor Adriano Moreira é um português no superlativo."Acho que era muito importante haver um acordo sobre rendimentos e inflação à mesa da concertação social, o momento para o fazer é agora, acho que o governo devia dar esse passo, dizendo que todas as matérias que tenham a ver com aumentos salariais ao longo de 2023 estarão isentas de IRS", afirmou. O governo tem afirmado até aqui que pretende alcançar um acordo ainda em 2022, colocando à discussão a possibilidade de serem acordados referenciais de aumentos para a negociação coletiva. Dar mais rendimento aos trabalhadores permitirá também, segundo o dirigente centrista, mitigar os aumentos salariais -"não ter aumentos salariais se calhar ao nível da inflação" -e deve incluir também os funcionários públicos. Adriano Moreira liderou os centristas durante um breve período, entre 1986 e 1988, mas nem por isso o seu contributo para a democracia foi pequeno.

"Num momento excecional as medidas também têm de ser excecionais", defende Mota Soares.   A solução defendida por Mota Soares, diz o próprio,"permite dar mais rendimento líquido aos trabalhadores". Afinal de contas, além da presidência do CDS-PP, Adriano Moreira foi deputado à Assembleia da República entre 1979 e 1991, sentando-se no lugar de vice-presidente da mesma entre 1991 e 1995. Fechar Subscreva a nossa newsletter e tenha as notícias no seu e-mail todos os dias Subscrever Muito obrigado pelo seu registo. Partilhar .   No segundo trimestre, o salário médio português seguia com uma perda de poder de compra de 4,6% face a um ano antes, segundo os dados do INE.