Papa diz que é urgente ajudar os países com menos vacinas por uma questão de dignidade

Papa diz que é urgente ajudar os países com menos vacinas por uma questão de dignidade

18/10/2021 16:05:00

Papa diz que é urgente ajudar os países com menos vacinas por uma questão de dignidade

O Papa Francisco apelou esta segunda-feira a que os países mais ricos ajudem os países com mais necessidades nas vacinas, exortando que 'os medicamentos devem ser distribuídos com dignidade'

O Papa Francisco disse hoje que é urgente ajudar os países que têm menos vacinas, como as para a covid-19, por uma questão de dignidade e não como se tratasse"de uma lamentável esmola".No seu discurso aos membros da Fundação do Campus Bio-Médico Universitário de Roma, pertencente ao Opus Dei, o pontífice exortou"à partilha de conhecimentos, experiências e ciência" considerando que se não são oferecidos a todas as pessoas do mundo"são emplastros que podem cobrir a ferida, mas não curá-la em profundidade".

Patrões do ″Correio da Manhã″ e do ″Observador″ apanhados nos Pandora Papers Marques Mendes diz que Rui Rio pode ganhar as eleições Vacinação das crianças é o passo que falta no combate à pandemia

O Papa apontou como exemplo as vacinas, considerando que"é urgente ajudar os países que têm menos", mas que essa ajuda não deve ser motivada pela pressa das nações ricas em ficarem mais seguras."Os medicamentos devem ser distribuídos com dignidade, não como uma esmola lamentável", disse.

O Papa realçou ainda que"nenhuma vida é indigna de ser vivida" e que as necessidades dos doentes precedem os lucros, para transformar a medicina numa"arte".Francisco também lamentou que"infelizmente, muitas vezes se procuram formas de lucro, esquecendo-se de que antes dessas oportunidades vêm as necessidades dos doentes", sendo necessário haver uma preparação para enfrentar novas patologias. headtopics.com

Consulte Mais informação: Expresso »

O Futuro do PSD

Escolhemos seis questões que determinam o futuro do PSD e sobre elas questionámos os dois candidatos a presidente do partido, que será eleito a 27 de Novembro

Papa defende que 'violência é uma derrota para todos''Peço, por favor, que abandonemos o caminho da violência', disse ainda Francisco.

Mais de 1,6 milhões de portugueses vivem com menos de 540 euros por mêsTer um emprego não é garantia de não se ser pobre e Portugal está, aliás, entre os países da Europa com maior risco de pobreza entre trabalhadores. A culpa ainda é do Passos Coelho ou já é do Moedas? De quem é a culpa? Totalmente do Estado que anda a dar subsídios aos ricos e esquecem- se dos que mais precisam. O mesmo de Sempre.

Mais de 1,6 milhões de portugueses são pobres e vivem com menos de 540 euros por mêsSociedade - Mais de 1,6 milhões de portugueses são pobres e vivem com menos de 540 euros por mês

Papa defende que 'violência é uma derrota para todos''Peço, por favor, que abandonemos o caminho da violência', disse ainda Francisco.

OE2022: 'Com este silêncio do Governo dá ideia de que isto é para morrer', diz PEVQuestionado se este momento parece ser o fim da solução governativa dos últimos anos, baseada em entendimentos entre o PS e os partidos à sua esquerda, o dirigente e deputado do PEV respondeu: 'Sim, eu acho que há indícios que apontam para esse sentido.'

Cheira a criseCom os elementos atualmente à disposição, é legítimo defender que ninguém ganhará com a realização de eleições antecipadas.