Pandemia aumentou desigualdades na educação, reconhece União Europeia

Educação, Desigualdades

23/01/2022 22:26:00

“A pandemia exacerbou as desigualdades na educação com um impacto desproporcional em grupos desfavorecidos em todo o mundo”. A garantia foi dada pelo Alto Representante da União Europeia para a Política Externa, Josep Borrell, na véspera do Dia Internacional da Educação.

Segundo a informação, “mesmo antes da pandemia, 260 milhões de crianças e adolescentes em todo o mundo não recebiam educação”. Já os restantes “nem sempre tiveram acesso a uma educação de qualidade”.Josep Borrel destacou ainda que a educação é “essencial para a recuperação global e para o alcance de todos os objetivos de desenvolvimento sustentável”.

Consulte Mais informação: Jornal SOL »

Ultrapassados por bicicletas e trotinetes, buzinados no fim: fomos andar de carro a 30km/h com a vereadora de Lisboa que o propõe

CNN Portugal. O canal de informação, com uma cultura multiplataforma, que acompanha, em tempo real e em diversos meios, os acontecimentos que marcam o país e o mundo. Consulte Mais informação >>

Covid-19: União Europeia reconhece que a pandemia aumentou a desigualdade na educaçãoNão digam... União Europeia Poderá acabar este ano

União Europeia reconhece que a pandemia aumentou a desigualdade na educaçãoSociedade - União Europeia reconhece que a pandemia aumentou a desigualdade na educação

União Europeia contesta na OMC as restrições russas às exportações de madeiraDe acordo com os responsáveis da Commissão Europeia, 'as restrições russas são altamente prejudiciais para a indústria transformadora da madeira da UE, que depende das exportações da Rússia, e criam uma incerteza significativa no mercado mundial da madeira'. A Rússia pode fazer o que bem entender com o seu produto, a UE tem é de procurar alternativas.

União Europeia “firmemente” ao lado da Ucrânia e pronta para fortalecer parceria energética - SIC NotíciasA Comissão Europeia foi encarregada de preparar sanções económicas e financeiras contra a Rússia.

Covid-19. União Europeia reconhece que a pandemia aumentou a desigualdade na educaçãoA União Europeia admitiu, na véspera do Dia Internacional da Educação, que a pandemia aumentou as desigualdades na educação e teve um impacto 'desproporcional' nos grupos 'desfavorecidos'.

'Quem avisa, amigo é': Rui Tavares apela à união da esquerda - SIC NotíciasSondagens dão ao Livre a eleição de pelo menos um deputado nas legislativas. Sondagens dão ao Livre a eleição de pelo menos um deputado nas legislativas. Alguém com uma estratégia inteligente para derrotar a direita fascista! É importante unir a esquerda e apelar ao voto da esquerda! As estratégias do PCP e do BE, só estão a fazer com que o voto útil seja para a direita!

União Europeia “A pandemia exacerbou as desigualdades na educação com um impacto desproporcional em grupos desfavorecidos em todo o mundo”. A garantia foi dada pelo Alto Representante da União Europeia para a Política Externa, Josep Borrell, na véspera do Dia Internacional da Educação. Segundo a informação, “mesmo antes da pandemia, 260 milhões de crianças e adolescentes em todo o mundo não recebiam educação”. Já os restantes “nem sempre tiveram acesso a uma educação de qualidade”. Josep Borrel destacou ainda que a educação é “essencial para a recuperação global e para o alcance de todos os objetivos de desenvolvimento sustentável”. E acrescentou: “É um direito fundamental e a base de sociedades resilientes, pacíficas e sustentáveis. A educação é a base e um catalisador para a transição verde. Ela permite que os cidadãos aproveitem as oportunidades do desenvolvimento digital”. Nas suas palavras, o responsável disse ainda que a educação “oferece esperança e proteção aos afetados por crises humanitárias e deslocamentos forçados” e que, quando é de qualidade “é uma parte vital do desenvolvimento de todas as crianças e jovens”. Os comentários estão desactivados.