Ouro de Carapaz e liderança chinesa dominam primeiro dia

Ouro de Carapaz e liderança chinesa dominam primeiro dia

24/07/2021 17:10:00

Ouro de Carapaz e liderança chinesa dominam primeiro dia

O título olímpico masculino de ciclismo de estrada do equatoriano Richard Carapaz sobressaiu no dia inaugural dos Jogos Olímpicos Tóquio2020, que atribuiu 11 ouros e isolou a China no topo do medalheiro, com três.

SubscreverOs anfitriões saíram do dia inaugural com o título masculino da categoria de -60 kg de judo, já que Naohisa Takato, de 28 anos, tricampeão mundial e terceiro no Rio2016, venceu por 'ippon' o taiwanês Yung Wei Yang, enquanto o bronze foi arrebatado pelo cazaque Yeldos Smetov, ex-finalista vencido olímpico, e pelo francês Luka Mkheidze.

Depressão e ansiedade levam mais crianças às urgências Ilha de La Palma regista sismo de 4,9 e novo colapso do cone do vulcão Taveira ″insultado″ por casas de dois milhões em Aveiro

O Japão também somou uma prata nos -48kg femininos, através de Funa Tonaki, que perdeu por 'waza-ari' frente à kosovar Distria Krasniqi, de 25 anos e líder do 'ranking' mundial, com o bronze a ficar para a ucraniana Daria Bilodid e a mongol Munkhbat Urantsetseg, 'carrascas' ao longo do dia da lusa Catarina Costa, quinta colocada.

O primeiro título dos Jogos Olímpicos Tóquio2020 foi para a chinesa Yang Qian, de 21 anos, ao arrebatar a prova de tiro de carabina a 10 metros, com 251,8 pontos, pulverizando o recorde olímpico da especialidade, contra 251,1 da russa Anastasiia Galashina, medalha de prata, e 230,6 da suíça Nina Christen, que alcançou o bronze. headtopics.com

O iraniano Javad Foroughi, de 41 anos, também abrilhantou a estreia na competição de pistola de ar a 10 metros com uma nova marca olímpica, de 244,8 pontos, acima dos 237,9 do sérvio Damir Mikec, e 217,6 do chinês Wei Pang, campeão em Pequim2008.

A Coreia do Sul confirmou o tradicional favoritismo num inédito concurso de equipas mistas de tiro com arco, com a dupla composta por San An e Je Deok Kim a derrotar na final os Países Baixos, por 5-3, enquanto o México ficou com a medalha de bronze.

Já o halterofilismo renovou todas as categorias de peso em relação ao Rio2016, contexto aproveitado pela chinesa Zhihui Hou, recordista do mundo em -49kg, para levantar 210 quilos e bater três marcas olímpicas de uma assentada, liderando um pódio totalmente asiático, com a indiana Chanu Mirabai e a indonésia Windy Aisah nos restantes lugares.

Quanto à esgrima, a chinesa Sun Yiwen, de 29 anos, medalha de bronze há cinco anos, impôs-se à romena Ana Maria Popescu na final feminina de espada, por 11-10, após prolongamento, numa competição em que a estónia Katrina Lehis encerrou o pódio. headtopics.com

Sócios do Sporting aprovam contas com maioria esmagadora Vieira da Silva considera que eleições antecipadas provocariam 'dano sério' ao país Ministro ″surpreendido″ com declarações do Serviço Jesuítas sobre refugiados afegãos

O húngaro Áron Szilágyi, de 31 anos, tornou-se o primeiro atleta masculino a vencer em três edições sucessivas dos Jogos Olímpicos, igualando a italiana Valentina Vezzali, ao vencer o transalpino Luigi Samele na prova individual de sabre, por 15-7, com o sul-coreano e campeão do mundo Kim Junghwan a repetir o bronze registado no Rio2016.

No taekwondo, o italiano Vito Dell'aquila, de 20 anos, venceu o cetro da categoria de -58 kg masculinos, superando o tunisino Mohamed Khalil Jendoubi, por 16-12, com o russo Mikhail Artamonov e o sul-coreano e campeão mundial Jun Jang a serem terceiros.

Nos -49 kg femininos, a tailandesa Panipak Wongpattanakit, de 23 anos e bronze no Rio2016, ganhou na final à espanhola Adriana Cerezo, por 11-10, com o terceiro lugar a pertencer à israelita Abishag Semberg e à sérvia Tijana Bogdanovic, 'vice' há cinco anos.

O dia inaugural estreou ainda o basquetebol 3x3, em simultâneo com o arranque dos torneios de andebol, badminton, boxe, ginástica artística, halterofilismo, hipismo, hóquei em campo, natação, polo aquático, ténis, ténis de mesa, voleibol e voleibol de praia. headtopics.com

A Espanha aproveitou para fixar o triunfo mais dilatado de sempre na prova feminina de polo aquático, ao bater a África do Sul, por 29-4, transpondo o recorde de 25-4 com que os Estados Unidos, bicampeões olímpicos em título, venceram horas antes o Japão.

Do país anfitrião chegaram a primeira desilusão de Tóquio2020, com o nadador Daiya Seto, medalha de bronze há cinco anos e tricampeão mundial, a falhar o acesso à final dos 400 metros estilos, ao ser nono, num evento em que o português José Paulo Lopes foi 20.º.

'No início, em Inglaterra, fui jantar com o Lucas João, ele pede um 'burger' e começa a abrir e fechar os braços. Não sabia dizer 'chicken'' OE2022: BE e PCP reúnem hoje órgãos máximos. Já há um não anunciado Rúben Amorim considera vitória do Sporting justa

O ginasta Kohei Uchimura, bicampeão olímpico no concurso completo individual, hoje a qualificação para a final da barra fixa, único aparelho em que iria competir, e está fora dos Jogos Olímpicos Tóquio2020, depois de ter renunciado defender o título no 'all around' devido a uma lesão nas costas.

Na ronda preliminar do evento feminino de ténis de mesa competiu a síria Hend Zaza, a mais jovem atleta de Tóquio2020, com 12 anos, que 'caiu' perante a austríaca Liu Jia, de 39 anos, um dia após ter sido porta-estandarte do seu país na Cerimónia de Abertura.

Nascida em janeiro de 2009, Hend Zaza, oriunda de uma nação em guerra, tornou-se a mais jovem atleta olímpica em 52 anos, sucedendo à romena Beatrice Hustiu que, em 1968, com 11 anos, participou na patinagem artística nos Jogos Olímpicos de Inverno.

Consulte Mais informação: Diário de Notícias »