Os preços de transferência, risco fiscal e controvérsia | Jornal Económico & EY

Os preços de transferência, risco fiscal e controvérsia

03/12/2021 05:24:00

Os preços de transferência, risco fiscal e controvérsia

Em 2021, a área de preços de transferência continua conotada como uma das áreas de maior risco fiscal.

De uma forma geral, considera-se que as empresas, principalmente as de maior dimensão, ainda não estão totalmente preparadas para o aumento do escrutínio esperado por parte das autoridades tributárias. De facto, 53% dos Tax Leaders entrevistados, esperam um aumento das atividades de fiscalização nos próximos três anos, especialmente à medida que os governos começam a lidar com as pressões orçamentais decorrentes dos efeitos da pandemia COVID-19. 44% esperam que sejam tomadas medidas fiscais unilaterais, nos próximos três anos, destacando tópicos como retenções na fonte, interpretações de preços de transferência (que podem diferir da abordagem prevista das diretrizes da OCDE nesta matéria) e Digital Services Taxes (DSTs), esta última que já se tem evidenciado em auditorias fiscais recentes em vários países.

O aumento do escrutínio de temas de preços de transferência e o facto desta temática ser novamente classificada como a área de maior risco fiscal no referido survey, resulta, segundo a opinião de Ronald van den Brekel, EY Global TP Market and Innovation Leader, das alterações na supply chain resultantes das disputas comerciais e das alterações nas estruturas legais, a nível global, relacionadas com os projetos de BEPS e o seu impacto nas diretrizes de preços de transferência da OCDE. Para além daquelas alterações, os Tax Leaders dos grupos multinacionais também deverão ter em consideração outros temas, com potencial para serem escrutinados num futuro próximo, como a volatilidade dos lucros e a alteração de benchmarks em virtude de potenciais distorções causadas pela pandemia COVID-19.

Progressivamente, os grupos multinacionais estão a criar equipas multifuncionais e comités responsáveis pela discussão de temas que incluem alterações na estrutura dos grupos ou nos modelos operacionais, na sua estratégia de documentação de preços de transferência e na sua abordagem à conformidade, divulgação e reporting. Uma documentação de preços de transferência abrangente, com base na substância das atividades e negócios, que suporta as principais transações, estruturas ou posições tributárias deverá ser uma estratégia a seguir no sentido de elidir o risco e esclarecer uma máquina fiscal que se torna também cada vez mais global e multifacetada. headtopics.com

PAN avista PS, cruza-se com PSD em arruada e admite novo reencontro

Um número crescente de grupos multinacionais encontra-se a implementar processos para monitorizar os media, avaliando sinais que possam indiciar risco de reputação. Muitos grupos também testam a sua preparação e resposta a processos de controvérsia, simulando auditorias ou realizando análises de risco, com base nos riscos conhecidos e nas áreas de foco das autoridades tributárias nas diversas jurisdições em que tenham presença.

Consulte Mais informação: Jornal Económico »

A eterna aventura dos sujeitos passivos mistos em matéria de dedução de IVA | Jornal Económico & EYNo processo 984/14.1BELLE, o Tribunal Central Administrativo do Sul, pronunciou-se sobre a possibilidade dos sujeitos passivos mistos utilizarem o prazo de quatro anos, nos termos do n.º 2 do artigo 98.º do Código do IVA, para a correção de erros no cômputo do método da percentagem aplicada na aferição do imposto dedutível, erros que se prendem com a discriminação de atividades, com a classificação das mesmas e a identificação da percentagem de dedução aplicável, enquadrando-se no conceito de erros de direito.

Jerome Powell, o presidente que revolucionou a atuação da Fed | Jornal EconómicoAssinalou-se ontem, 25 de novembro, mais um Dia Internacional pela Eliminação da Violência contra a Mulher. Mais um dia. Mais um dia de medo para milhares de mulheres.

Cuatrecasas lança academia de formação para empresas | Jornal EconómicoDireito para não-juristas, Desafios da economia digital, Reequilíbrio financeiro para concessionárias e Distribuição de seguros e resseguros são os quatro primeiros cursos da nova oferta curricular da sociedade de advogados ibérica. Cuatrecuecas !

A febre de sábado à noite | Jornal EconómicoPortugal vive um momento Frankenstein: tornou-se um país de comissionistas. Na política e no futebol. Que acham que são os donos do jogo do Monopólio.

Catarina Martins defende aumento de ″todos os salários″A coordenadora do Bloco de Esquerda, Catarina Martins, defendeu, esta quinta-feira, a necessidade de aumentar 'todos os salários', além do Salário Mínimo Nacional, insistindo na necessidade de alterar as leis do trabalho. Fica por saber onde vai buscar o dinheiro! E quem não defende? A questão não é se se defende coisas boas, é o que se propõe para alcançá-las. … em que estará ela a pensar?

Trotinetes, mupis e buracos: as armadilhas que os deficientes enfrentamUm buraco na calçada fez com que uma peça da cadeira de rodas de Susana Pinto se partisse, esta manhã, durante a marcha de sensibilização para a falta de acessibilidade para pessoas com deficiência na cidade de Lisboa, no contexto do Dia Internacional da Pessoa com Deficiência. Ah pois, mobilidade suave e tal, mas dos deficientes ninguém se lembra. Já carros e motos é na boa, já estão habituados.