Operação Marquês: Juíza volta com decisão atrás e dá razão a Sócrates

07/12/2021 19:05:00

Operação Marquês: Juíza volta com decisão atrás e dá razão a Sócrates

Operação Marquês: Juíza volta com decisão atrás e dá razão a Sócrates

Margarida Alves considerava que o ex-primeiro-ministro tinha mesmo de ser julgado por três crimes de falsificação de documentos mas agora aceitou que principal arguido da Operação Marquês pode recorrer para a Relação de Lisboa

"irrecorrível". Foi este o adjetivo que a juíza Margarida Alves usou para rejeitar um recurso de José Sócrates em relação a três crimes de falsificação de documentos que lhe tinham sido imputados pelo juiz de instrução, Ivo Rosa. Apesar de ter aceitado os recursos quer de Sócrates, quer de Carlos Santos Silva, quer do próprio Ministério Público em relação ao crime de branqueamento de capitais, a magistrada considerava que Ivo Rosa não mudou a acusação no que respeita à falsificação e por isso mandou agendar o julgamento.

Consulte Mais informação:
Expresso »

Mas afinal de quem são os milhões. Segundo a comunicação social são do político, mas aparecem nos privados. O trabalho do justiceiro, sem pistola❗️🌑

Sporting junta-se a Benfica na final four' da Liga dos CampeõesAtual campeão europeu volta a lutar pelo título europeu, desta vez com Benfica, Barcelona e Tyumen.

ISEG revê em baixa previsões de crescimento económico para 2021A razão para o maior pessimismo dos académicos do ISEG está no agravamento da situação sanitária com as novas variantes do covid-19 ao fechar do ano

Voo de regresso de Moçambique: alívio e tranquilidadeOperação de testagem no aeroporto de Lisboa contou com 30 profissionais. Passageiros vindos de Moçambique têm de ficar 14 dias em isolamento profiláctico.

Pfizer acrescentou ingrediente nas vacinas das crianças para evitar ataques cardíacos?O Polígrafo SIC dá a resposta. Eliane_likinha Para evitar não foi de certeza..

Acidente com carro do MAI: Eduardo Cabrita foi o primeiro a usar a palavra ''passageiro''?O Polígrafo SIC dá a resposta.

Três homens foram detidos por furto de pinhas?O Polígrafo SIC dá a resposta.

Há uma suspeita que está a agitar o Parlamento britânico: o alegado uso de cocaína nas instalações "irrecorrível".Sporting O Sporting, atual campeão europeu, garantiu este domingo um lugar na final four da Liga dos Campeões de futsal, depois de empatar com os russos do Yekatrinburg, 1-1, em jogo do grupo B da Ronda de Elite..Foi um dia muito diferente daquele que se viveu no passado sábado Nuno Ferreira Santos Os testes de despiste à covid-19 para os passageiros que esta segunda-feira às 18h30 chegaram a Lisboa no segundo voo de apoio ao regresso de Moçambique foram gratuitos e contaram com o apoio do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM).

Foi este o adjetivo que a juíza Margarida Alves usou para rejeitar um recurso de José Sócrates em relação a três crimes de falsificação de documentos que lhe tinham sido imputados pelo juiz de instrução, Ivo Rosa. Apesar de ter aceitado os recursos quer de Sócrates, quer de Carlos Santos Silva, quer do próprio Ministério Público em relação ao crime de branqueamento de capitais, a magistrada considerava que Ivo Rosa não mudou a acusação no que respeita à falsificação e por isso mandou agendar o julgamento. O Sporting junta-se ao Benfica, que também garantiu um lugar na fase decisiva da competição, bem como aos espanhóis do FC Barcelona e russos do Tyumen. Sócrates reclamou desta decisão para a própria juíza e agora Margarida Alves deu-lhe razão e mandou o recurso subir para o Tribunal da Relação de Lisboa que decidirá se o ex-primeiro-ministro pode ou não ser julgado por estes crimes três crimes de falsificação de documentos. "No início de dezembro, com o agravamento da pandemia, a situação é um pouco diferente apesar de não existirem, por enquanto, restrições de atividade mas apenas limitações menores do que as verificadas há um ano. Em causa está o facto de a defesa do ex-governante considerar que há uma alteração substancial da acusação por parte de Ivo Rosa - Carlos Santos Silva deixou de ser o testa de ferro para passar a ser o corruptor de Sócrates - que Ivo Rosa não poderia ter feito e que tem efeito não só nos crimes de branqueamento mas também nos de falsificação. Agora, após"profunda análise" da acusação - 14 mil artigos divididos por dez volumes - lamenta a juíza no despacho a que o Expresso teve acesso, Margarida Alves admite que"constata-se" que há factos que vêm na acusação e que não são referidos no despacho de pronúncia e, por isso, há um"diferente enquadramento legal" que pode afetar as"garantias de defesa" de Sócrates.

Os três crimes de falsificação de documentos de que Sócrates está pronunciado, todos em coautoria com Carlos Santos Silva, estão relacionados, por exemplo, com um contrato de arrendamento de um apartamento em Paris propriedade de Carlos Santos Silva onde o ex-primeiro-ministro viveu depois de ter perdido as eleições que o afastaram do Governo e da política.. Na versão da acusação, o verdadeiro proprietário do imóvel era Sócrates; na da instrução, era Santos silva. O contrato de arrendamento era falso, mas os factos que estão na origem dele são diferentes. E agora? Ao contrário do que aconteceu com Armando Vara (já condenado) e Ricardo Salgado (já começou a ser julgado), José Sócrates e Carlos Santos Silva, os arguidos do que resta da Operação Marquês, não deverão começar a ser julgados tão cedo. O Tribunal da Relação de Lisboa tem vários nós para desatar: para já, saber se Sócrates e Santos Silva podem ser julgados por estes crimes por que Ivo Rosa os pronunciou.

Depois, decidir se Margarida Alves pode fazer o julgamento só pelos factos da pronúncia e por fim se o Ministério Público tem razão no recurso que fez contra a decisão instrutória de Ivo Rosa que destruiu a lógica de toda a acusação e criou uma nova narrativa num dos casos mais importantes de sempre da justiça portuguesa. . .