Ocde, Dinheiro, Crescimento Económico

Ocde, Dinheiro

OCDE revê em baixa previsão para crescimento mundial este ano e em alta para 2022

OCDE revê em baixa previsão para crescimento mundial este ano e em alta para 2022

21/09/2021 12:25:00

OCDE revê em baixa previsão para crescimento mundial este ano e em alta para 2022

A OCDE considera que o aumento dos preços das mercadorias e dos custos globais do transporte marítimo são os principais responsáveis pelo aumento da inflação.

Subscrever"O PIB [Produto Interno Bruto] ultrapassou agora o nível pré-pandémico, mas continuam a existir diferenças entres os países", nomeadamente no que diz respeito ao emprego,"particularmente em mercados emergentes e economias em desenvolvimento, com taxas de vacinação baixas", lê-se no documento hoje divulgado.

Preço dos combustíveis pode levar a aumento do preço do pão no início do ano Só 12 pessoas no protesto contra preços dos combustíveis Paulo Rangel candidata-se à presidência do PSD | Jornal Económico

Segundo a organização, o impacto económico da variante Delta do vírus que causa a covid-19"tem sido relativamente suave nos países com altas taxas de vacinação, mas reduziu o impulso em outros locais e colocou mais pressão nas cadeias de abastecimento globais e nos custos".

A OCDE deu ainda conta de aumentos da inflação nos EUA, Canadá, Reino Unido e outros mercados,"mas mantém-se relativamente baixa em muitas outras economias avançadas, particularmente na Europa e Ásia".De acordo com a organização, o aumento dos preços das mercadorias e dos custos globais do transporte marítimo são os principais responsáveis pelo aumento da inflação no último ano. headtopics.com

"Mantém-se uma incerteza significativa", salientou a OCDE, alertando que"um aumento do ritmo de vacinação ou uma redução acelerada nas poupanças das famílias poderia aumentar a procura e reduzir o desemprego, mas também impulsionar as pressões inflacionárias".

Por outro lado, indicou, um ritmo reduzido da distribuição de vacinas e o aparecimento de novas mutações do vírus"poderão resultar numa recuperação mais fraca e numa maior perda de empregos".A OCDE realçou que os governos"devem assegurar que todos os recursos necessários estão a ser usados para garantir a vacinação o mais depressa possível por todo o mundo, para salvar vidas, preservar rendimentos e controlar o vírus", apelando ainda a um maior esforço internacional na ajuda aos países menos desenvolvidos

."O apoio de políticas macroeconómicas mantém-se necessário, tendo em conta que as perspetivas de curto prazo continuam incertas e os mercados laborais não recuperaram, com medidas que dependem da evolução económica de cada país", sustenta a organização, no documento publicado hoje.

Além disso, a OCDE apela a que as medidas orçamentais se mantenham flexíveis, avisando para as consequências de uma retirada"abrupta e prematura". Consulte Mais informação: Diário de Notícias »

Easyjet anuncia mais um avião na base de Faro no verão de 2022A partir do verão de 2022, a Easyjet vai ter quatro aviões em Faro, cinco em Lisboa, quatro no Porto, num total de 13 aviões nas bases portuguesa. Olha, para espanto do ministro que brinca aos aviões, o mercado funciona …

Câmaras de Comércio estimam trocas comerciais em níveis pré-pandemia entre Portugal e Brasil em 2022Segundo semestre deste ano está a ser 'extremamente positivo', diz presidente da Federação das Câmaras de Comércio Portuguesas no Brasil.

Estrela do boxe nas Filipinas anuncia candidatura às presidenciais de 2022'Sou um lutador e serei sempre um lutador, dentro e fora do ringue', disse Manny Pacquiao.

Danças de Porto de Mós chegam a disco e vão ter um livro em 2022É o primeiro disco do grupo AIRE, foi lançado sexta-feira e é apresentado este domingo num baile-concerto. Por trás dele há um projecto: devolver a dança e a música tradicional ao quotidiano, à medida do século XXI.

Inquilinos, proprietários, promotores: todos têm reivindicações para o OE 2022Proprietários e promotores reclamam justiça e estabilidade fiscal. Inquilinos pedem garantias de que as rendas que estão congeladas assim se mantenham por mais cinco anos

Motas com inspeção obrigatória a partir de 1 de janeiro de 2022Medida já estava prevista desde 2012.