″O que faltou? A morte talvez″: Caso da judoca Margaux Pinot gera indignação em França

'O que faltou? A morte talvez': Caso da judoca Margaux Pinot gera indignação em França

Violência Doméstica, Assédio

02/12/2021 21:32:00

'O que faltou? A morte talvez': Caso da judoca Margaux Pinot gera indignação em França

Em causa está a alegada agressão a Margaux Pinot, campeã olímpica de judo, pelo seu parceiro e ex-treinador, que foi absolvido por 'falta de provas'

SubscreverConhecidos judocas franceses recorreram igualmente às redes sociais para transmitir uma mensagem de apoio e denunciar a decisão do tribunal, que foi contestada pela procuradoria. Entre eles, o também campeão olímpico Teddy Riner, uma lenda no país afirmou que:

"O que é preciso fazer para que as vítimas sejam ouvidas?Todos os dias mulheres, crianças e os mais vulneráveis enfrentam a violência, seja física ou moral. É intolerável", disse, citado pelo jornal El País.

Consulte Mais informação: Diário de Notícias »

Jovem que processou o médico da mãe 'por ter nascido danificada' ganha caso em tribunal

Eutanásia sem doença fatal, o muro que separa Marcelo do ParlamentoNo requerimento ao Constitucional, em fevereiro, Marcelo admitia que o diploma abria a porta à morte medicamente assistida sem que a doença fatal fosse uma condição.

Após confirmação do 1º caso da variante Ómicron, que medidas estão os EUA a preparar?Germano Almeida, comentador da SIC, analisa a resposta que os EUA estão a preparar perante a nova variante Ómicron. Na China é ao contrário, cortaram o mal pela raiz, quem testar positivo oferecem 1.000.00€ Sempre a mesma converda de m*da. Caos, desordem, pânico. Vão prá p*ta que vou pariu.

Cartas ao directorOpinião: Cartas ao director

Os processos em que Pinto da Costa já esteve envolvidoNão é a primeira vez que o presidente do Futebol Clube do Porto é associado a investigações criminais, sendo o processo Apito Dourado o mais mediático.

Conselho das Finanças Públicas diz que produtividade é principal risco a longo-prazo em PortugalA instituição que escrutina o cumprimento das regras orçamentais e da sustentabilidade das finanças públicas prevê que o produto interno bruto real do País cresça a uma média de 1,9% por ano entre 2021 e 2035

e receba as informações em primeira mão. Subscrever Conhecidos judocas franceses recorreram igualmente às redes sociais para transmitir uma mensagem de apoio e denunciar a decisão do tribunal, que foi contestada pela procuradoria. Entre eles, o também campeão olímpico Teddy Riner, uma lenda no país afirmou que: "O que é preciso fazer para que as vítimas sejam ouvidas? Todos os dias mulheres, crianças e os mais vulneráveis enfrentam a violência, seja física ou moral. É intolerável", disse, citado pelo jornal El País. Nas mensagens de apoio publicadas também por outros membros da equipa da França, como Alexandre Iddir ou Axel Clerget, destaca-se que a luta contra a violência de género deve-se converter numa prioridade."Temos que acompanhar e proteger melhor as vítimas... É uma questão de vida ou morte ", acrescentou Riner, que partilhou a foto de Pinot e enfatizou que"estão todos profundamente afetados pelo que acaba de sofrer". Entretanto, Schmitt pediu, numa entrevista ao jornal desportivo L'Équipe, que se respeitasse a decisão judicial." Estou farto das calúnias. Pensava que uma vez que a justiça se pronunciasse me deixariam tranquilo. (...) Recebo mensagens de intimidação, ameaças de morte", assinalou o atleta, que este mês anunciou que tinha aceitado o cargo como selecionador da seleção feminina de Israel e na noite dos acontecimentos estava prestes a viajar para esse país. O L'Équipe publicou uma foto do treinador com o olho pisado e este destaca que a relação com Pinot era"bastante complicada":"Não sabe controlar as suas emoções". Partilhar