Opinião, Plano De Recuperação E Resiliência, Governo, António Costa Silva, Ambiente, Covid-19, União Europeia, Questões Sociais, Pıb, Portugal

Opinião, Plano De Recuperação E Resiliência

O Plano de Recuperação e Resiliência – da pseudo consulta pública à falta de coragem para imaginar um futuro diferente

Opinião: O Plano de Recuperação e Resiliência – da pseudo consulta pública à falta de coragem para imaginar um futuro diferente

04/03/2021 00:46:00

Opinião : O Plano de Recuperação e Resiliência – da pseudo consulta pública à falta de coragem para imaginar um futuro diferente

A ausência de visão e de consistência das propostas, aliadas à falta de democraticidade, não é apenas um problema deste plano ou deste Governo . É o reflexo de um sistema forçado a pensar sempre, primeiro e sobretudo no inquestionável crescimento do

. Mas será preciso coragem política e visão para as aplicar, além de humildade na partilha do poder de decisão.No entanto, há ideias novas, emergentes, e alternativas que poderiam já começar a ser desenvolvidas coletivamente, experimentadas e testadas. Muitas são

Pessoas com mais de 65 anos podem agendar vacinação a partir de hoje Portugal já deu primeiro passo para nova etapa da recuperação Governo quer subir 40 euros ao salário mínimo no próximo ano

. São aplicáveis em vários sectores e níveis de governação, tanto rurais como urbanos. Ideias alimentadas por uma visão societal viva que, longe da comunicação socialmainstreame dos palcos político-partidários, vai avançando e experimentando o aprofundamento democrático que empodera a população através do municipalismo e das assembleias cidadãs, bem como a desurbanização e a aposta no desenvolvimento rural, aliadas à educação e à capacitação para ocupações úteis, com uma pegada ecológica reduzida, resgatando saberes antigos. Será preciso investir mais em tecnologias

low-techque necessitam de menos energia e material restabelecer os comuns, dando acesso à terra e à habitação, promovendo a regeneração ativa dos ecossistemas, a plantação de agroflorestas, e a libertação dos sistemas agrícolas do jugo da indústria agroalimentar. Em vez da aposta em projetos centralizados, a autonomia energética local deve ser desenvolvida. headtopics.com

Estas propostas não alinhadas com o dogma do crescimento e da acumulação infinita de capital são exequíveis eestão a ser implementadas no terreno, sem grande pompa e circunstância. Ninguém quer voltar à época pré-industrial. Trata-se precisamente do contrário: é preciso avançar para a época pós-industrial, pensando e desenhando coletivamente

o abandono planeado do crescimento económico - muito diferente das ruturas previsíveis do sistema atual  que se materializam durante crises e recessões. Consulte Mais informação: Público »

eu acho que é uma ótima iniciativa do nosso governo para ter participação pública