O dia em que Manuel Monteiro se juntou à campanha centrista e ouviu o número 2 do PS desejar um 'CDS forte'

22/01/2022 16:40:00

O dia em que Manuel Monteiro se juntou à campanha centrista e ouviu o número 2 do PS desejar um “CDS forte”

O dia em que Manuel Monteiro se juntou à campanha centrista e ouviu o número 2 do PS desejar um “CDS forte”

O ex-presidente e histórico do CDS Manuel Monteiro cruzou-se com o secretário-geral adjunto do PS, que lhe desejou um 'CDS forte' e que mantenha 'valores que não pode perder'.

LUSALUSAO socialista aproximou-se do centrista, cumprimentou-o com um passou-bem e desejou bons resultados eleitorais aos CDS. ““É muito importante reencontrarmos o Dr. Manuel Monteiro (…). Encontrá-lo com o candidato do CDS que está, pelo que sei, a fazer uma boa campanha,

Manuel Monteiro: “Ideia de que o CDS tinha um líder impreparado e imaturo foi perfeitamente ultrapassada”O ex-presidente do CDS, natural do distrito de Braga, que voltou a filiar-se no CDS em 2020 (depois de uma desfiliação em 2003), juntou-se este sábado à campanha de Francisco Rodrigues dos Santos. Manuel Monteiro rejeitou fazer parte das listas de deputados, mas em declarações ao Observador, diz que decidiu participar na ação de campanha para “desmistificar essa ideia que estão a tentar passar de que estas eleições são apenas para escolher o primeiro-ministro”. “Não é verdade. São para escolhermos candidatos a deputados que representem os distritos pelos quais são eleitos”, acrescentou.

Consulte Mais informação:
Observador »

Advogado de Manuel Pinho diz que perigo de fuga é falso e critica timing do MP

A noite em que o Bloco lembrou Manuel Pinho para combater o PS: 'Maiorias absolutas são porto de abrigo para alta corrupção'Num comício em Coimbra, Bloco puxou pela memória da maioria de José Sócrates e colou-o a Costa. Catarina Martins anunciou que eutanásia será primeira tarefa no novo Parlamento.

Big Brother. Manuel Luís Goucha sobre Jaciara: 'Não sei se gosto muito...'Manuel Luís Goucha recebeu na passada sexta-feira, dia 21 de janeiro, Inês Simões no programa 'Goucha', da TVI, e acabaram por falar no novo desafio da atriz,

Manuel Pinheiro: “O futuro dos Vinhos Verdes não está em produzir mais, mas em trazer mais valor para a região”Presidente da Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes desde 2000, Manuel Pinheiro surpreendeu toda a gente com o anúncio da sua saída de cena. “Está na hora de passar o testemunho.” Sai com sentimento de missão cumprida e diz que continu

Defesa de Manuel Pinho diz que perigo de fuga é falso e critica timing do Ministério PúblicoRicardo Sá Fernandes refutou a validade do mandado de detenção emitido contra Manuel Pinho. 'É inconstitucional' sujeitar o arguido a uma caução como alternativa à prisão domiciliária.

CDS é 'antídoto contra liberalismo bloquista' e 'fanatismo populista', diz líder - SIC NotíciasRodrigues dos Santos garante que 'aqueles que procuram o CDS fora do CDS vão desiludir-se porque não o vão encontrar'. É por isso que votei CDS/PP. Este partido não pode acabar!

i ▲ Francisco Rodrigues dos Santos ainda não tinha chegado ao mercado de Braga quando José Luís Carneiro cumprimentou Manuel Monteiro LUSA ▲ Francisco Rodrigues dos Santos ainda não tinha chegado ao mercado de Braga quando José Luís Carneiro cumprimentou Manuel Monteiro LUSA Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.Email O advogado do ex-governante diz ser “inconstitucional” sujeitar o arguido a uma caução como alternativa à prisão domiciliária, já que esta “só pode ser aplicada quando se revelarem inadequadas ou insuficientes as outras medidas de coação”.Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.Big Brother.

A campanha de José Luís Carneiro, secretário-geral adjunto do PS e cabeça de lista por Braga, cruzou-se este sábado com a caravana centrista, à porta do mercado da cidade, que contou com a presença do histórico do CDS Manuel Monteiro. O socialista aproximou-se do centrista, cumprimentou-o com um passou-bem e desejou bons resultados eleitorais aos CDS. No recurso contra as medidas de coação aplicadas pelo juiz Carlos Alexandre, do Tribunal Central de Instrução Criminal (TCIC), o advogado Ricardo Sá Fernandes contestou a validade do mandado de detenção emitido contra o antigo governante e a legalidade da aplicação de uma “caução milionária” de seis milhões de euros como alternativa à prisão domiciliária com vigilância eletrónica. “ É importante ter um CDS forte porque é um dos partidos fundadores da democracia e da vida política constitucional portuguesa “, disse José Luís Carneiro a Manuel Monteiro. “No momento de votar lembremo-nos de Manuel Pinho , ministro de um Governo de maioria absoluta. O ex-presidente do CDS interrompeu-o, em jeito de brincadeira, para dizer que aquela é a “notícia do dia”: “O PS a pedir votos no CDS”. “O Juiz não pode determinar que há um perigo de fuga de tal maneira evidente que a única forma de evitar a concretização desse perigo é retirar a liberdade a alguém, para logo de seguida determinar que pode estar em liberdade, desde que pague”, lê-se no recurso, cita a Lusa. José Luís Carneiro não o deixou sem resposta: “Claro que queremos uma maioria estável para quatro anos”, sublinhou. “E depois o jogo dela também acho estranho, tão depressa mostra interesse no Kasha como mostra já interesse no Jay.

“É muito importante reencontrarmos o Dr. Sá Fernandes recorda aliás que, desde 2012, o processo já passou por quatro juízes de instrução – Ivo Rosa, Ana Peres, Maria dos Inocentes Moreno e Carlos Alexandre –, e que o MP “nunca fez qualquer promoção de interrogatório e aplicação de medidas de coação”. Numa intervenção dedicada ao tema da corrupção, Pureza pegou nos fundos europeus que Portugal vai aplicar para começar uma série de avisos: nos próximos anos, “a luta contra a corrupção vai ser uma das mais importantes”. Manuel Monteiro (…). Encontrá-lo com o candidato do CDS que está, pelo que sei, a fazer uma boa campanha, a representar os valores que o CDS não pode perder ”, disse ainda, sobre o cabeça de lista por Braga que estava ao seu lado, José Paulo Areia de Carvalho.12. Na altura, Francisco Rodrigues dos Santos ainda não tinha chegado ao mercado. Pureza foi desfiando os pormenores do caso, descrevendo Pinho como “o representante do Grupo Espírito Santo no Governo, remunerado como tal”, para rematar: “Era um Governo de maioria absoluta”. Mas à porta, além de uma comitiva socialista, estavam apoiantes do PSD e um autocarro da Iniciativa Liberal.01.

Manuel Monteiro: “Ideia de que o CDS tinha um líder impreparado e imaturo foi perfeitamente ultrapassada” PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR O ex-presidente do CDS, natural do distrito de Braga, que voltou a filiar-se no CDS em 2020 (depois de uma desfiliação em 2003), juntou-se este sábado à campanha de Francisco Rodrigues dos Santos. Manuel Monteiro rejeitou fazer parte das listas de deputados, mas em declarações ao Observador, diz que decidiu participar na ação de campanha para “desmistificar essa ideia que estão a tentar passar de que estas eleições são apenas para escolher o primeiro-ministro”. Trata-se de um facto público e notório, que nem sequer consubstancia um juízo de censura sobre o juiz. A ideia era mais uma vez colocar o Bloco como o verdadeiro inimigo da tal “alta corrupção”, com propostas como a da criminalização do recurso a sociedades offshore . “Não é verdade. São para escolhermos candidatos a deputados que representem os distritos pelos quais são eleitos”, acrescentou. A defesa de Manuel Pinho considera ainda que os procuradores “selecionaram o momento processual em que pediram o interrogatório judicial dos arguidos de forma a fazer prevalecer a imposição de medidas de coação aos arguidos”, entendendo que esta atuação constitui um “abuso de direito grave e incontestável” e que “viola princípios de boa-fé e de lealdade processual”. O CDS centra a campanha no norte do país Manuel Monteiro frisa que o CDS tem um cabeça de lista por Braga (José Paulo Areia de Carvalho) “que é do distrito, que vive o Minho, que conhece os problemas do Minho”. Remataria assim: “Nós sabemos quem são os nossos inimigos, e à direita, mas era o que faltava… Houve uma escolha do Governo de Costa, que se traduziu em não querer novo acordo e querer governar como se tivesse maioria absoluta.

“O meu apoio e a minha presença aqui é um apoio claro à candidatura de José Paulo Areia de Carvalho”, atirou. Recorde-se que Manuel Pinho manifestou a sua indisponibilidade para pagar a caução de seis milhões de euros e está indiciado por corrupção passiva, participação económica em negócio, branqueamento de capitais e fraude fiscal qualificada. Mas reconhece que estas eleições serão um “desafio” para o partido. “A política é um constante desafio e risco. Ler Mais. Por um lado, e puxando da calculadora, a medida dos médicos assistentes privados proposta por Rio para colmatar a falta de médicos de família custaria em três dias o mesmo que custa neste momento o salário de um médico no setor público. Uma coisa é certa, temos de respeitar sempre a vontade dos eleitores, sabendo que depois de um dia vem outro dia, e que o CDS existe desde 1974, passou por várias dificuldades, várias vicissitudes, teve momentos dramáticos da sua vida. Este é um momento exigente, tenho perfeita consciência dessa exigência por todas as particularidades, mas há vida para o CDS além do dia 30 “, acredita.

No mercado de Braga, Manuel Monteiro preferiu ficar mais recatado, longe das câmaras, na cauda da comitiva. A mensagem final foi a que o Bloco tem deixado em cada cidade e em cada comício por onde passa: para evitar este cenário será preciso votar Bloco, a esquerda “ponderada” que quer “um compromisso claro” (com o PS). Fê-lo por entender que “o protagonismo” deveria ser de Francisco Rodrigues dos Santos e não dele, “um ex-presidente do partido”. E considera que o líder do CDS tem feito um bom trabalho? Hesita alguns segundos, antes de responder. “Acho que tem feito o trabalho que é possível, atendendo a todas as circunstâncias por que ele tem passado”, indica, não sem deixar elogios ao atual líder. “Ele foi a surpresa positiva para mim e para muitos portugueses nos debates, principalmente com António Costa e Rui Rio.

E essa é uma questão para mim muito relevante. Ou seja, aquela ideia de que o CDS tinha um líder impreparado e imaturo isso foi perfeitamente ultrapassado quando os portugueses puderam ouvir da boca dele as ideias que tem para Portugal “, considera. Rodrigues dos Santos desvaloriza ausência de Telmo Correia na campanha. “Sou um presidente do partido contente com as pessoa que tenho cá” Apesar da presença do histórico centrista Manuel Monteiro, houve ausências que foram notadas: Nuno Melo, presidente da distrital — que está em isolamento profilático — e Telmo Correia, que foi líder parlamentar e cabeça de lista por Braga nas últimas eleições. Confrontado com a ausência de Telmo Correia, Francisco Rodrigues dos Santos desvalorizou.

“Sou um homem satisfeito, um presidente do partido contente com as pessoa que tenho cá, e mais do que estar a falar nos ausentes quero falar nos presentes”, disse, enumerando nomes como Manuel Monteiro, Altino Bessa, que foi vice-presidente da Câmara de Braga e é atualmente vereador, ou Paulo Areia de Carvalho. Perante a insistência dos jornalistas sobre a ausência de Telmo Correia, o atual presidente do CDS respondeu que esta é uma “oportunidade de falar para o futuro” e diz que é preciso “renovar” os protagonistas. “Ontem disse, no Porto, que o CDS defende a limitação dos mandatos de deputados semelhante à dos presidentes de Câmara, no limite de três. É importante moralizarmos a vida pública” e “renovar e apresentar novos protagonistas”, argumentou. Rodrigues dos Santos visitou mercado de Braga “No caso em concreto de Telmo Correia, foi um deputado que serviu o nosso país através do CDS, de forma extraordinária, a quem todos estamos extremamente gratos.

Tenho a certeza que deseja que o CDS tenha um ótimo resultado eleitoral. O que é importante é salientar que todo o CDS, gerações e gerações de militantes e dirigentes do nosso partido, estão unidos para que o CDS tenha um bom resultado eleitoral no dia 30 de janeiro”, defendeu. Leia também: .