O “bombo” da festa é o mesmo

O “bombo” da festa é o mesmo

24/09/2021 05:36:00

O “bombo” da festa é o mesmo

A ideia que fica é que há sempre alguém em quem bater quando o Estado não tem solução imediata para suprir as carências habitacionais de quem tem poucos recursos.

Aliás, o ridículo no que concerne à habitação que se quer permanente é que ainda há algum tempo foi discutida, e felizmente chumbada, uma proposta dos partidos da esquerda no sentido de aumentar o prazo mínimo dos arrendamentos para cinco anos e legislar com o objetivo de impedir a denúncia do contrato de arrendamento para quem permanece na mesma habitação durante 15 anos. Parece tudo brincadeira de crianças mas não é, porque envolve a vida de milhares de pequenos proprietários.

As redes sociais continuam a banir fotos de obras de arte “explícitas”. Por isso, os museus de Viena fizeram um OnlyFans Trump anuncia lançamento de rede social própria no próximo ano Estado de Direito na Polónia ameaça ″aquecer″ cimeira focada na Energia

Mas as histórias ligadas ao arrendamento complicam-se ainda mais quando se pensa que, recentemente, se legislou no sentido de criar a incidência de IRS a 10% no caso de contratos com prazo mínimo de 20 anos. Neste caso, o legislador escreveu o texto após uma noite mal dormida e não especificou que se tratava de contratos habitacionais e, por isso, a redução da carga fiscal foi aproveitada por quem tinha lojas, armazéns ou garagens para arrendar.

Depois, o legislador veio corrigir com a intenção de retroagir a lei, o que é inconstitucional, e daí várias sentenças nesse sentido. Mas o contraditório nesta história dos contratos a 20 anos mantém-se, pois só se aplica a novos contratos quando há senhorios com inquilinos há 50 anos e continuam a pagar a taxa liberatória dos 28% porque, para estes, não houve benesses. headtopics.com

Aliás, o englobamento era algo que se praticava há uma dúzia de anos, tendo depois surgido a possibilidade de aplicação de uma taxa única sobre os rendimentos de 28% para quem lhe fosse mais favorável.Diga-se em abono da realidade que os pequenos proprietários com pequenas reformas preferem o englobamento, pois andam no primeiro ou segundo escalão do IRS. Por outro lado, quem está em escalões de topo, caso dos 48%, tem sociedades especializadas onde coloca o património e trata da eficiência fiscal.

De qualquer forma, a ideia que fica é que há sempre alguém em quem bater quando o Estado não tem solução imediata para suprir as carências habitacionais de quem tem poucos recursos.O tema da “renda acessível” continua longe de funcionar, até porque é preciso tempo e o PRR é uma solução para a habitação permanente mas também precisa de tempo e as necessidades são imediatas. O mercado, a prazo, irá equilibrar-se com mais oferta. Entretanto, a pressão sobre senhorios está a levar muitos a fechar as portas do arrendamento que é uma forma inteligente de poupança ao longo da vida, e a optarem pela venda.

Mas este fenómeno esbarra no problema de a banca ser mais exigente para quem compra, quer em termos de credibilidade do cliente, quer em termos de capacidade financeira do mesmo. É verdade que há recordes assinaláveis de venda de casas, mas também é verdade que para quem tem rendimentos ao nível do ordenado mínimo nacional não há soluções, sendo por isso alvo fácil de esquemas e especuladores.

Consulte Mais informação: Jornal Económico »

Em Barcelos, Chicão fez-se 'Chiquinho das feiras', tocou bombo e malhou forte em CostaFrancisco Rodrigues dos Santos subiu ao Minho para apoiar Mário Constantino, o candidato da coligação PSD/CSD que tem por nº 2 Domingos Pereira, dissidente do PS. Na maior feira semanal do país, o líder centrista não poupou os beijos da praxe, ao contrário do 'institucional' Nuno Melo, que não baixou a máscara por assumir ser um bocadinho hipocondríaco

Rui Rio diz que declarações de secretário de Estado sobre a covid-19 ''tocam o ridículo''Rui Rio diz que declarações de secretário de Estado sobre a covid-19 “tocam o ridículo“

Jerónimo de Sousa diz que afirmações de secretário de Estado sobre a covid-19 são descuidadas'Dizer que Portugal é uma marca tendo em conta a covid é, no mínimo, descuidado'.

Presidente do CDS diz que secretário de Estado vive ''noutro planeta''Presidente do CDS diz que secretário de Estado vive “noutro planeta“

Rui Rio critica secretário de Estado por declarações sobre covid-19'Ouvi o secretário de Estado Eurico Brilhante Dias, em dia que me parece não brilhante para ele', afirmou o líder do PSD. Rui Rio é isto: críticas sem fundamento, soundbites e 'feelings'.

Rui Rio critica secretário de Estado por declarações ridículas sobre Covid-19O líder do PSD considerou que “tocaram o ridículo” as declarações do secretário de Estado da Internacionalização sobre a pandemia de Covid-19 e criticou o PS por “roçar o absurdo”.