Novo Banco vende malparado dos grupos Lena e Alfredo Casimiro

Novo Banco vende malparado do Grupo Lena e Alfredo Casimiro

09/12/2021 12:20:00

Novo Banco vende malparado do Grupo Lena e Alfredo Casimiro

O “Projeto Harvey” foi colocado à venda no verão e incluía (na primeira versão) dívidas de clientes 'famosos', como o Grupo Lena (180 milhões de euros) ou a Urbanos de Alfredo Casimiro (nove milhões de euros). Novobanco não é o único banco português a vender crédito malparado

. Chama-se “Projeto Harvey” e foi colocado à venda no verão. O projeto incluía (pelo menos na primeira versão) dívidas de clientes"famosos", como o Grupo Lena (180 milhões de euros) ou a Urbanos de Alfredo Casimiro (nove milhões de euros).

O Grupo Lena ficou conhecido pelo seu envolvimento no processo judiciário do ex-primeiro-ministro José Sócrates. Alfredo Casimiro enriqueceu com a Urbanos - que entrou em revitalização em 2016 - e lidera a Pasogal, empresa que detém 50,1% da SPdH – Sociedade Portuguesa de Handling, dona da Groundforce.

Inicialmente a carteira tinha um valor bruto de 640 milhões de euros (sem contar com imparidades), mas o valor terá sido alterado por decisão do Fundo de Resolução.As vendas destas dívidas inserem-se na estratégia de redução do rácio de malparado para níveis abaixo de 5% nos próximos anos - indicador que atingiu os 7,3% em setembro deste ano. Para tal, além do"Projeto Harvey", o Novo Banco tem ainda em curso outro processo de venda de malparado, o"Projeto Orion", com um valor de 200 milhões de euros. headtopics.com

As notícias das 5h

Consulte Mais informação: Expresso »

Estranho tanto malparado, sabendo o quanto é difícil os bancos em Portugal emprestarem dinheiro. A dúvida é se em grandes empréstimos os critérios são menos restritivos.

Pingo Doce abre primeira loja no arquipélago dos AçoresInsígnia do grupo Jerónimo Martins estreia-se no arquipélago dos Açores. Novo espaço arranca com três dezenas de colaboradores.

Novo Banco: BCE impõe que injeções do Fundo de Resolução só sejam contabilizadas após pagamentoO banco explicita que essa imposição 'aplica-se do quarto trimestre de 2021 em diante'.

Novo Banco: BCE impõe que injeções do Fundo de Resolução só sejam contabilizadas após pagamentoO banco explicita que essa imposição 'aplica-se do quarto trimestre de 2021 em diante' e que se esta imposição estivesse já em vigor em setembro de 2021 o seu rácio de capital de fundos próprios principais de nível 1 (CET1) teria sido de 10,62%, o rácio tier 1 de 10,63% e o rácio de solvabilidade de

Tuchel triste após empate com Zenit: «O nosso comportamento muda quando estamos em vantagem»Vídeos - Tuchel triste após empate com Zenit: «O nosso comportamento muda quando estamos em vantagem»

A saúde da economia portuguesa e 4 coisas que precisa de saber para começar o diaEm dia de dados sobre a economia portuguesa e dos Estados Unidos, há Conselho de Ministros e encontros dos bancos centrais da Hungria, Ucrânia e Sérvia.

BCE impõe que injeções do FdR ao Novo Banco só sejam contabilizadas após pagamentoEm final de junho, o Tribunal de Lisboa rejeitou uma providência cautelar do Novo Banco a exigir o pagamento de 112 milhões de euros ao Fundo de Resolução (FdR), tendo o banco recorrido da decisão.