Neeleman acusa Costa de “afirmações falsas” e exige desculpa

David Neeleman acusa António Costa de “afirmações falsas” e exige pedido de desculpas

18/01/2022 17:06:00

David Neeleman acusa António Costa de “afirmações falsas” e exige pedido de desculpas

O ex-acionista de referência da companhia aérea TAP acusou o primeiro-ministro de proferir 'afirmações falsas' no debate de segunda-feira, exigindo um pedido de desculpas.

O ex-acionista de referência da companhia aérea TAP acusou o primeiro-ministro de proferir"afirmações falsas" no debate de segunda-feira, exigindo um pedido de desculpas.À Lusa, o empresário afirma queapesar de nos dois últimos anos a indústria da aviação ter passado pela sua maior crise de sempre

“.“Comprámos [a TAP] para prevenir precisamente que aquele privado que lá estava e que não merecia confiança, não daria cabo da TAP no dia em que fosse à falência. Em 2020, as empresas do senhor Neeleman foram caindo em todo o mundo”, afirmou o primeiro-ministro.

Consulte Mais informação: ECO »

E mais fácil apanhar um Costa do que um coxo Este bandalho americano comnacionalidade brasileira, é um ladrao e um falido e quer pedido de des culpas? Devia estar preso no Brasil há muito tempo.

Rio acusa Costa de tentar 'incutir medo' nos portugueses com 'papão da direita'L\u0026237;der social-democrata apelou ao PS para que fa\u0026231;a campanha \u0026quot;com base nas suas propostas, sem \u0026quot;deturpar as ideias do PSD\u0026quot;.\r\n\r\n

António Costa acusa Rui Rio de disfarçar desconhecimento com 'graçola'António Costa acusou Rui Rio de disfarçar o desconhecimento sobre o voto antecipado com uma 'graçola' e disse que não é assim que um político afirma a sua credibilidade. Pois não. É com cara de sisudo que se enganam parvos. Tudo é relativo com Costa … A sua credibilidade tem sido firmada com falsas promessas.

Visão | Legislativas: Rio acusa Costa de tentar 'incutir medo' nos portugueses com 'papão da direita'O líder social-democrata acusou hoje António Costa de 'tentar incutir medo nos portugueses' com 'o papão da direita' e apelou ao PS para que faça campanha sem 'deturpar as ideias do PSD'

Rio acusa Costa de tentar ″incutir medo″ nos portugueses com ″papão da direita″Rui Rio reiterou durante uma arruada em Lisboa que o posicionamento do PSD na sua liderança 'é ao centro'. Os caminhos de rio😬

Rio acusa Costa de tentar 'incutir medo' nos portugueses com 'papão da direita'Líder social-democrata apelou ao PS para que faça campanha 'com base nas suas propostas, sem 'deturpar as ideias do PSD'. Com a esquerda ganhamos todos o ordenado mínimo! Mais vale limpar o chão do que ter trabalho complexo e ganhar o mesmo!! Quando é que desapareces, e desamparas a loja...

Rio acusa Costa de tentar 'incutir medo' nos portugueses com 'papão da direita'

David Neeleman acusa António Costa de “afirmações falsas” e exige pedido de desculpas Lusa 13:56 O ex-acionista de referência da companhia aérea TAP acusou o primeiro-ministro de proferir"afirmações falsas" no debate de segunda-feira, exigindo um pedido de desculpas. O ex-acionista da TAP David Neeleman espera um pedido de desculpas de António Costa, que diz ter “faltado à verdade” com declarações que afetaram o seu “nome e reputação”, no âmbito da pré-campanha para as legislativas. Numa nota enviada à Lusa, David Neeleman faz alguns esclarecimentos face ao que acusa de serem “afirmações falsas” sobre a sua pessoa por parte do líder do PS, António Costa, no debate para as próximas eleições legislativas com o candidato do PSD, em que – cita o empresário – o também primeiro-ministro disse que o Estado comprou a companhia “‘para prevenir precisamente que aquele privado que lá estava e que não merecia confiança, não daria cabo da TAP no dia em que fosse à falência'”. À Lusa, o empresário afirma que “desde o início” da sua carreira teve “a oportunidade de criar cinco empresas de aviação em diferentes países como os Estados Unidos da América, Canadá e Brasil” e que, “ apesar de nos dois últimos anos a indústria da aviação ter passado pela sua maior crise de sempre [devido à pandemia de Covid-19], nenhuma dessas empresas foi à falência nem foi sujeita a qualquer tipo de intervenção similar até à presente data “. Num frente a frente entre o líder do PS e primeiro-ministro, António Costa, e o presidente do PSD, Rui Rio, moderado e transmitido pela RTP, SIC e TVI em 13 de janeiro, no âmbito da pré-campanha para as legislativas antecipadas de 30 de janeiro, António Costa – desafiado a garantir que o Estado não vai colocar mais dinheiro na TAP, para lá dos três mil milhões de euros já injetados – disse que, se o Estado não tivesse readquirido 50% do capital da transportadora aérea nacional, a TAP teria “ido para o buraco” quando as várias empresas do acionista privado David Neeleman foram à falência. Ler Mais “Comprámos [a TAP] para prevenir precisamente que aquele privado que lá estava e que não merecia confiança, não daria cabo da TAP no dia em que fosse à falência. Em 2020, as empresas do senhor Neeleman foram caindo em todo o mundo”, afirmou o primeiro-ministro. “ Ao contrário do que o Dr. António Costa disse nesse debate, todas as empresas de aviação que fundei foram e continuam a ser projetos de grande sucesso com valorizações consideráveis para os seus ‘stakeholders’ , tendo demonstrado ser sustentáveis e resilientes o suficiente para sobreviver neste cenário de crise”, reforça David Neeleman na mesma nota à Lusa. O ex-acionista da TAP refere também que “há muita informação sobre essas empresas, desde logo por serem cotadas”, lembrando que é, por isso, “dispensável estar a detalhar a situação de cada uma delas”, mas refere algumas notícias nas quais destaca “os enormes sucessos” da Jet Blue e da Azul e do mais recente projeto nos Estados Unidos da América, a Breeze, que “iniciou atividade em plena pandemia”. Ler Mais “ É com surpresa que noto que o Dr. António Costa entende que eu não sou merecedor de ‘confiança’ , isto depois de, após o início da pandemia, o Dr. António Costa ter reconhecido em 30 de abril de 2020, em entrevista à RTP, que a TAP até à pandemia estava a executar o plano estratégico que tinha sido aprovado pelo Estado”, afirma ainda. David Neeleman aproveita para desejar “as maiores felicidades à TAP e aos seus trabalhadores excecionais”. “ O Dr. António Costa faltou à verdade e com as suas declarações afetou o meu nome e a minha reputação, pelo que espero um pedido de desculpas “, conclui. Em 13 de janeiro, o presidente do PSD acusou a TAP de prestar um serviço “absolutamente indecente”, insistindo que deve ser privatizada “o mais depressa possível”, enquanto António Costa defendeu, então, que foi a presença do Estado que permitiu salvar a transportadora aérea nacional. Ler Mais O Estado português concretizou, em 2 de outubro de 2020, a aquisição de participações sociais dos acionistas privados da TAP, no qual o consórcio Atlantic Gateway, do empresário David Neeleman, detinha 45% do capital, que resultou no controlo público de 72,5% da companhia aérea, ficando o empresário Humberto Pedrosa com 22,5% e os trabalhadores com os restantes 5%. Em 11 de dezembro de 2021, o ministro das Infraestruturas e Habitação, Pedro Nuno Santos, disse, durante a apresentação do plano de reestruturação do grupo, que o acionista David Neeleman perdeu 169 milhões de euros quando saiu da TAP. David Neeleman “tinha direito a prestações acessórias de 224 milhões de euros”, ou seja, “no momento em que o Estado se tornasse maioritário, o privado ia pedir 224 milhões de euros”, disse o governante em conferência de imprensa. “O Estado não ia aceitar, ia disputar”, indicou, salientando que a solução mais aceitável foi pagar 55 milhões de euros ao acionista. https://eco.sapo.pt/2022/01/18/david-neeleman-acusa-antonio-costa-de-afirmacoes-falsas-e-exige-pedido-de-desculpas/ Continuar a ler... Assine o ECO Premium No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso. De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal. Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.