Ministro diz que TAP não tem condições para reverter cortes salariais - Renascença

24/06/2022 16:25:00

Ministro diz que TAP não tem condições para reverter cortes salariais

Ministro diz que TAP não tem condições para reverter cortes salariais

Ministro das Infraestruturas defende que é preciso ser firme na concretização do plano reestruturação da companhia aérea.

O ministro das Infraestruturas e da Habitação avisou hoje em Lagos sobre a necessidade de se respeitar o plano de reestruturação da TAP, não estando a empresa em situação de reverter os cortes salariais aprovados."O Governo não negoceia, quem negoceia é a administração da TAP, mas o Governo continuará a explicar e a sensibilizar para a importância de nós sermos todos firmes na concretização do plano reestruturação do qual depende a sobrevivência da companhia aérea onde eles trabalham", disse Pedro Nuno Santos à margem da cerimónia de assinatura do auto de consignação da empreitada de eletrificação do troço ferroviário entre Tunes e Lagos.

Consulte Mais informação:
Renascença »

TAP: ministro vai reunir-se com Sindicato dos Pilotos esta quinta-feira - SIC NotíciasEm causa a recusa da TAP em permitir um plenário de trabalhadores nas instalações da empresa. Vamos ver como acaba este filme de entretenimento A TAP vai desaparecer.Gestao impossível e qerem governar Portugal. Terminem com essa merda. Nem tap nem ministro servem

Pedro Nuno Santos reúne com pilotos depois de TAP proibir plenárioO ministro das das Infraestruturas e da Habitação chamou o sindicato dos pilotos para uma reunião de emergência esta quinta-feira depois de a TAP ter recusado o pedido para um plenário de trabalhadores.

Pedro Nuno Santos vai reunir com Sindicato dos Pilotos na quinta-feira por causa da TAPSociedade - Pedro Nuno Santos vai reunir com Sindicato dos Pilotos na quinta-feira por causa da TAP Vendam a TAP de vez !

Pedro Nuno Santos chama pilotos da TAP para reunião de emergência amanhãO ministro das Infraestruturas e da Habitação convocou esta quarta-feira o sindicato dos pilotos da TAP para uma reunião a decorrer amanhã, numa altura em que as posições entre os pilotos e a companhia estão extremadas, tendo havido ameaça de greve.

Pedro Nuno Santos chama pilotos da TAP após ameaça de greveMinistro da tutela vai receber sindicatos dos pilotos da TAP esta quinta-feira à tarde, depois de a administração da empresa ter decidido recusar a realização de plenário que poria em causa 120 voos. Ui, aí vem o mauzão! trabalhadores Fechem isto de uma vez!

Pedro Nuno Santos chama pilotos da TAP para reunião de emergência amanhãO ministro das Infraestruturas e da Habitação convocou esta quarta-feira o sindicato dos pilotos da TAP para uma reunião a decorrer amanhã, numa altura em que as posições entre os pilotos e a companhia estão extremadas, tendo havido ameaça de greve. Vendam essa porra da TAP. Isso é um tampão, um sorvedouro de €€€€€€. Acabei com isso ….

Foto: Rodrigo Antunes/Lusa O ministro das Infraestruturas e da Habitação avisou hoje em Lagos sobre a necessidade de se respeitar o plano de reestruturação da TAP, não estando a empresa em situação de reverter os cortes salariais aprovados.Lusa O Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil (SPAC) informou que vai reunir quinta-feira com o ministro das Infraestruturas e da Habitação, numa audiência para discutir a recusa da TAP em permitir um plenário nas instalações da empresa.O Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil (SPAC) informou que vai reunir esta quinta-feira com o ministro das Infraestruturas e da Habitação, numa audiência para discutir a recusa da TAP em permitir um plenário nas instalações da empresa.Lusa Pedro Nuno Santos FOTO: Lusa O Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil (SPAC) informou esta quarta-feira que vai reunir quinta-feira com o ministro das Infraestruturas e da Habitação, numa audiência para discutir a recusa da TAP em permitir um plenário nas instalações da empresa.

"O Governo não negoceia, quem negoceia é a administração da TAP, mas o Governo continuará a explicar e a sensibilizar para a importância de nós sermos todos firmes na concretização do plano reestruturação do qual depende a sobrevivência da companhia aérea onde eles trabalham", disse Pedro Nuno Santos à margem da cerimónia de assinatura do auto de consignação da empreitada de eletrificação do troço ferroviário entre Tunes e Lagos. Para o responsável governamental, a TAP"não está propriamente em situação financeira que lhe permita reverter os cortes que foram fundamentais e que são fundamentais para sustentar a recuperação da empresa". Adiantou que no contexto da audiência com o ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, a realizar quinta-feira, “o SPAC não deixará de sinalizar mais esta violação da lei, por parte da administração da TAP”. No domingo passado, a TAP anunciou que vai reduzir em 10% o corte que os pilotos sofreram nos vencimentos e aumentar o patamar a partir do qual aplicará reduções nos salários dos restantes trabalhadores. O sindicato sublinhou que cumpriu todos os preceitos legais e necessários para a realização da reunião de trabalhadores nas instalações da TAP, negando os números avançados pela transportadora, relativamente a eventuais prejuízos resultantes da pausa na operação. Na segunda-feira, o Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil (SPAC) acusou a TAP de"manipulação e propaganda" e garantiu que iria acionar"todos os mecanismos legais" para contestar o que dizem estar a ser"incumprido". “A TAP optou por negar os direitos mais básicos dos seus trabalhadores, seguindo uma linha de atropelos às condições de trabalho e ao exercício de direitos garantidos por Lei”, vincou. Posteriormente, o SPAC afirmou, no final de uma reunião que teve na quinta-feira ao fim do dia com o ministro das Infraestruturas e da Habitação, que a solução para a situação na TAP"está do lado" da empresa e"da tutela".

Tópicos . Atualização dos salários na TAP: cortes passam a ser aplicados a partir dos 1. Este domingo, a TAP anunciou que vai reduzir em 10% o corte que os pilotos sofreram nos vencimentos e aumentar o patamar a partir do qual aplicará reduções nos salários dos restantes trabalhadores.