Euro 2020

Euro 2020

Mikkel Damsgaard e a nova dinamite da Dinamarca

Euro 2020: Mikkel Damsgaard e a nova dinamite da Dinamarca

25/06/2021 23:58:00

Euro 2020 : Mikkel Damsgaard e a nova dinamite da Dinamarca

O extremo da Sampdoria foi o primeiro jogador nascido no século XXI a marcar um golo no Euro 2020 . Nórdicos defrontam neste sábado o País de Gales em Amesterdão.

Reuters/WOLFGANG RATTAYChristian Eriksen era para ser o comandante de uma Dinamarca que se apresentava no Euro 2020 candidata a repetir a surpresa de 1992. Mas aproximou-se perigosamente da tragédia quando, nos minutos finais da primeira parte do Finlândia-Dinamarca, caiu inanimado no relvado do Parkens Stadium de Copenhaga, deixando milhares de compatriotas seus e uma audiência global de centenas de milhões com a respiração suspensa. Eriksen esteve morto, disseram os médicos, voltou a respirar naquele mesmo relvado, enquanto os seus colegas o rodearam e lhe deram a privacidade nos largos minutos em que balançou entre mundos.

Descobertas 50 estações de arte rupestre de ar livre em Paredes de Coura Opositor russo Navalny vence Prémio Sakharov 2021 do Parlamento Europeu Covid-19. A situação ao minuto do novo coronavírus no país e no mundo

Não sabemos se alguma vez Eriksen irá voltar a jogar pela Dinamarca e com a camisola de qualquer outra equipa. E sem ele, a selecção parecia condenada a uma campanha sem glória no Euro. Mas a Dinamarca encontrou um suplemento de força anímica na memória do seu herói caído e, depois de duas derrotas seguidas (Finlândia e Bélgica), reapresentou-se no Euro como a selecção que joga e ganha por Eriksen. E como a selecção de Mikkel Damsgaard, o jovem extremo de 20 anos da Sampdoria que abriu a contagem da grande vitória por 4-1 sobre a Rússia. Um magnífico pontapé de fora da área com o pé direito lançou os dinamarqueses para os oitavos-de-final – o País de Gales, em Amesterdão, será o próximo adversário.

O remate de Damsgaard foi bem ao ângulo, fora do alcance das mãos do guarda-redes russo, depois de ter brincado com dois defesas adversários à entrada da área. Um momento de magia digno de Eriksen, cujo lugar no “onze” dinamarquês tinha sido ocupado pelo jovem da “Samp”. “Viram aquele golo? Digo-vos já, o preço dele subiu para 30 milhões de euros. Se marcar mais um, passa para os 40 milhões”, comentou Massimo Ferrero, presidente da Sampdoria, já a antecipar um negócio milionário perante o suposto interesse de “tubarões” como o Barcelona, o AC Milan ou o Tottenham. headtopics.com

Já o tínhamos visto a dar trabalho aos belgas, ele que, depois de ter ficado no banco no Finlândia-Dinamarca (e ter feito parte da parede humana entre Eriksen e as câmaras de televisão). Era apenas a sua quarta internacionalização A pela Dinamarca, mas enfrentou com descaramento uma das selecções favoritas neste Euro, como um destro a jogar na esquerda e a aparecer em espaços interiores, um multi-funções no ataque a criar oportunidades, a rematar e até a recuperar bolas. Os dinamarqueses estiveram a ganhar, perderam, mas Damsgaard ficou na equipa para o jogo seguinte. E vai continuar.

“Damsinho”Não é por acaso que Mikkel Damsgaard afirmou na selecção dinamarquesa de forma tão natural. É que Kasper Hjulmand, o seleccionador, já o conhece bem desde a adolescência, sendo o responsável pela sua estreia sénior com apenas 17 anos na primeira equipa do Nordsjaelland. E foi também o responsável pela sua primeira alcunha no futebol, “Damsinho”, porque via algo de brasileiro nele. “Conheço-o desde miúdo. Já era assim e faz sempre isto. Perante um cenário deste, jogar assim, de igual para igual contra qualquer rival”, recordou Huljmand após o jogo com a Bélgica.

“Damsinho” fez o suficiente em três épocas no futebol dinamarquês para convencer a Sampdoria a pagar por ele cerca de sete milhões de euros. E teve uma temporada de estreia na Série A bastante aceitável, com dois golos e três assistências. No final de 2020, começou a ir à selecção A – já leva três golos em apenas cinco golos – e, com ele, a Dinamarca voltou a ser outra vez candidata a ser a tal surpresa, tal como foi o grupo excursionista que foi até ao fim no Euro 1992 – Schmeichel, Polvsen, Laudrup e companhia estavam de férias, foram chamados de emergência para substituir a Jugoslávia e ganharam à Alemanha na final de Gotemburgo.

Dessa equipa ficou a memória de um feito extraordinário e um cântico igualmente marcante, “We are red. We are white. We are danish dynamite”. Esse Europeu foi uma explosão de vermelho e branco, e esta versão de 2020 da dinamite dinamarquesa tem muito para gostar. A baliza tem o herdeiro genético de Peter Schmeichel, Kasper, a defesa é comandada por Simon Kjaer, central do Milan, o ataque está entregue a Poulsen, do Leipzig, e Braithwaite, do Barcelona. E seria Eriksen a acender o rastilho. headtopics.com

Leis laborais. Governo fala em proposta 'equilibrada', patrões afastam Costa pede que todos meditem no aviso de eleições antecipadas feito por Marcelo Treinador do Bayern Munique falha jogo frente ao Benfica devido a síndrome gripal

Foi “Damsinho” quem ficou com esse papel. E conseguiu. “Foi uma loucura termos passado. Esta equipa, estes jogadores… É fantástico fazer parte disto, é incrível ver estas pessoas ficarem loucas”, disse após o jogo com a Rússia. Depois do seu golo, veio o de Poulsen (2-0), o de Christensen (3-1) e o de Maehle (4-1), todos a levarem o Parken Stadium ao delírio total. E a adaptar o hino de 1992, em nome da unidade por um propósito: “

We are red. We are white. We stand together side by side Consulte Mais informação: Público »

Seis trabalhos da nova administração da TAPA nova equipa da companhia aérea nacional tem pela frente seis grandes desafios..

Está feito: a TAP já tem uma nova administração e Christine Ourmières-Widener vai reunir-se já esta sexta com os quadros da empresaChristine Ourmières-Widener e Manuel Beja são os dois rostos principais da entrada da TAP numa nova fase Porque temos de lhe pagar o salário? Fechem lá isso, é a vergonha nacional!

Acionistas da TAP aprovam o novo conselho de administraçãoA TAP anunciou a aprovação, em assembleia-geral de acionistas, da nova administração liderada por Manuel Beja, que substituiu Miguel Frasquilho como presidente do Conselho de Administração da companhia aérea.

Sindicato pede a nova CEO da TAP “fim do clima tóxico” e do despedimento coletivoA nova presidente da Comissão Executiva (CEO) da TAP, Christine Ourmières-Widener, que hoje inicia funções, disse estar “ciente” dos desafios e acreditar na importância de dar continuidade ao plano de reestruturação.

Nova CEO da TAP destaca importância de dar continuidade à reestruturaçãoA nova Comissão Executiva da TAP SGPS para o quadriénio 2021-2024 será liderada por Christine Ourmières-Widener.

A nova vida (tecnológica) da educação especialQualquer estudante pode beneficiar de uma abordagem personalizada à educação, mas isto adquire uma importância especial no que toca a estudantes que necessitam de serviços de educação especializados. Os padrões de educação atuais definem que os estudantes com dificuldades devem ser apresentados com oportunidades que os façam atingir o seu potencial total. Para isso, devem participar na educação e treino na mesma base que os estudantes sem qualquer dificuldade, e sem discriminação.