Ómicron: não podemos dizer que não nos avisaram

Comentário: Ómicron: não podemos dizer que não nos avisaram

Ciência, Coronavírus

27/11/2021 10:01:00

Comentário: Ómicron: não podemos dizer que não nos avisaram

A variante Ómicron foi identificada em África, o continente mais desprovido de vacinas contra a covid-19. Mas a reacção do mundo rico, que tem a maioria esmagadora das vacinas, foi fechar-lhe a porta. Penaliza-se a abertura científica e o lançamento

. Onde apenas um em cada quatro trabalhadores do sector da saúde está vacinado, ou 27%, segundo números avançados pela OMS esta semana. É também um continente onde há uma profunda falta de profissionais de saúde: só um país tem a taxa considerada correcta de trabalhadores do sector por habitante (10,9 por 1000 pessoas). Como diz a OMS, a perda de um médico ou enfermeiro para a covid-19, seja para doença ou, tragicamente, morte, provoca um sério impacto na capacidade de prestar cuidados de saúde à população africana.

Até agora, mais de 227 milhões de doses de vacinas contra a covid-19 foram administradas em África, diz a OMS. É uma gota de água entre os 8400 milhões de doses que, segundo a UNICEF, foram já entregues em todo o mundo, mas com forte preferência pelo mundo rico ocidental.

Mas a primeira reacção deste mundo rico ao ser comunicada a existência desta nova variante com características preocupantes – por cientistas da África do Sul, que usaram dados da rede de vigilância genómica de países com menos recursos, como o Botswana e o Zimbabwe, onde a variante Ómicron foi também detectada – f headtopics.com

Padre suspeito de abusos já foi substituído

oi fechar-se como uma concha. Encerramos as fronteiras a voos vindos da África Austral. “Como é se duplica a desigualdade e a injustiça? Nega-se aos países vacinas, de maneira a que surjam variantes virais e quando elas surgem, impõem-se restrições às viagens”, disse no Twitter o especialista em bioética Peter Singer, conselheiro especial do director-geral da OMS.

Até agora, mais de 227 milhões de doses de vacinas contra a covid-19 foram administradas em África, diz a OMS. É uma gota de água entre os 8,8 milhões de doses que, segundo a UNICEF, foram já entregues em todo o mundo

Partilhar citaçãoPartilhar no TwitterAs palavras de Peter Singer fizeram eco nas de muitos cientistas durante esta sexta-feira, salientando que este tipo de reacção põe um ónus em quem detecta novas variantes e as dá a conhecer. É um contra-senso penalizar quem faz ciência e divulga o conhecimento a bem de todos. Não nos cansámos já de ouvir

Atividade económica cresce 'substancialmente' na semana terminada a 23 de janeiro

críticas sobre aquilo que é quase consensual classificar como a falta de abertura da Chinaem relação à investigação sobre as origens do SARS-CoV-2?As reacções vieram também em resposta à indignação do virologista Tulio de Oliveira, director do Centro de Inovação e Resposta Epidémica da África do Sul, que anunciou ao mundo a identificação da variante Ómicron: “O mundo devia dar apoio à África do Sul e a África e não discriminar ou isolá-la! Protegendo e apoiando-as, protegeríamos o mundo!”, disse no Twitter, fazendo um apelo “a bilionários e instituições financeiras”. headtopics.com

Jeremy Farrar, director do Centro Wellcome Sanger, no Reino Unido, e membro do conselho de cientistas que aconselha o Governo britânico, não poupou as palavras. “A África do Sul deve ser louvada, deve-se oferecer-lhe todo o apoio de que necessitar e deve ser reconhecida a qualidade e rapidez da saúde pública e da ciência genómica, o ter partilhado os dados imediatamente, apoiando a região e o mundo. Não deve ser criticada, ter sanções ou ser-lhe impostas outras restrições”, escreveu no Twitter.

Mas aqui estamos, cheios de medo de estarmos a ver os nossos piores pesadelos com a covid-19 a concretizarem-se, e de caminho a reacção de pânico está afazer as bolsas derrapar e os preços do petróleo cair

Consulte Mais informação: Público »

avisaram sim e muitas vezes que as vaxcinas produziam variantes comam la essa e aprendam a estudar seus camelos

Covid-19: Itália e Alemanha proíbem entrada de viajantes da África AustralA nova variante sul-africana 'pode ser mais transmissível que a Delta' e as 'as vacinas atualmente no mercado podem ser menos eficazes'.

Variante da Covid-19 detetada na África do Sul já chegou à EuropaCaso foi descoberto na Bélgica num viajante não vacinado contra a Covid-19.

Covid-19: nova variante detetada na África do Sul preocupa cientistasVários países europeus já proibiram voos oriundos desta zona do globo.

Covid-19: nova variante detetada na África do Sul ainda não foi identificada em PortugalNova linhagem está em estudo e ainda não foi classificada como variante de interesse ou de preocupação pelas autoridades internacionais.

Covid-19: Comissão Europeia vai propor suspensão de voos com origem na África austral devido a nova variante'A Comissão Europeia proporá, em estreita coordenação com os Estados-membros, ativar o travão de emergência para parar as viagens aéreas da região da África Austral devido à variante de preocupação B.1.1.529', indicou Ursula von der Leyen, não especificando quais os países que poderão ser abrangidos por esta medida

União Europeia chega a acordo para restrições a voos vindos do sul de África devido a nova variante da Covid-19Os 27 estados-membros chegaram a acordo de interrupção de receção de viajantes vindos de sete países africanos.