Maria Reis escreve em Viseu o seu álbum pós-traumático

Música: Maria Reis escreve em Viseu o seu álbum pós-traumático

Música, Teatro Viriato

27/11/2021 11:01:00

Música : Maria Reis escreve em Viseu o seu álbum pós-traumático

A partir de uma residência artística, a compositora de 28 anos está a escrever, no Teatro Viriato , Benefício da Dúvida, álbum que gravará no estúdio do gnration e que verá a luz do dia em 2022. Este sábado, em Viseu , os novos temas são tocados ao vi

FotogaleriaDa residência artística de Maria Reis no Teatro Viriato está a nascer o disco"Benefício da Dúvida", que será lançado em 2022FotogaleriaAs novas composições serão tocadas ao vivo pela primeira vez este sábado no Viriato, em Viseu

Maria Reis ficou assustada quando entrou na sala de ensaios doTeatro Viriato (Viseu) pela primeira vez. Não tem janelas. “Comecei logo a pensar: ‘Não vou poder ver o Sol, vou dar em doida’”, conta ao PÚBLICO, antes de dizer que aprendeu a gostar do espaço. “Não há grandes distracções. Estou num

bunker

Consulte Mais informação: Público »

Câmara de Viseu não descarta cancelar celebrações de Natal e Passagem de anoO presidente da Câmara de Viseu , Fernando Ruas, admitiu esta quinta-feira suspender as comemorações do Natal e da Passagem de Ano no concelho caso as autoridades de saúde assim o determinem.

Covid-19: profissionais começam a receber terceira dose da vacina no Hospital de ViseuEm três dias, vão ser vacinados mais de 2.200 profissionais.

Maria Luís Albuquerque sai da britânica Arrow e volta ao IGCPAntiga ministra das Finanças de Pedro Passos Coelho estava no instituto que gere a dívida pública antes de entrar para o Governo PSD/CDS. Volta..., isto é assim?!

Di Maria: «Só existe um jogador que não tem altos e baixos que é Messi»Internacional argentino deixou elogios ao compatriota e ainda falou sobre a ligação com Mbappé

Congresso do Chega. Ventura sairá de Viseu com poderes reforçados e apelará à “unidade”, mas os críticos estarão à espreitaDois meses depois das autárquicas e dois meses antes das legislativas, o partido volta a juntar-se na sua reunião magna. O presidente espera “um congresso com o mínimo de alterações possíveis”, mas passará a poder dissolver os órgãos nacionais, regionais e distritais, e a chamar a si a última palavra relativamente a todas as candidaturas a quaisquer eleições. No essencial, tentará que não se agudize a fratura que saiu do Congresso de maio em Coimbra, mas não é certo que esse objetivo seja alcançado O tal que promete tudo, mas não aparece para votar.

Maria Inácia Rezola. ″Não havia a possibilidade de uma guerra civil nem de um regime comunista″25 de novembro. Costa Gomes chamou-lhe a 'dramática aventura'. Os golpes e contragolpes sucediam-se desde 1974 e tiveram o seu culminar no 'escaldante outono de 1975'. As sombras e as versões pessoais ainda hoje impedem a leitura plena de tudo o que se passou desde o Verão Quente. Entrevista a Maria Inácia Rezola, investigadora do Instituto de História Contemporânea.