Legislativas: Líder do CDS diz que Rio 'está equivocado' e fala em ausência de planeamento do voto - Renascença

16/01/2022 22:35:00

Legislativas: Líder do CDS diz que Rio “está equivocado“ e fala em ausência de planeamento do voto

Legislativas: Líder do CDS diz que Rio “está equivocado“ e fala em ausência de planeamento do voto

O presidente do CDS-PP considerou hoje que o líder do PSD, Rui Rio, 'está equivocado' sobre como se processa o voto antecipado em mobilidade e criticou o Governo, que 'falhou na antecipação e no planeamento' das eleições.

"As declarações do doutor Rui Rio permitem-me concluir que está equivocado quanto ao modelo do voto antecipado em mobilidade, porque as pessoas votam nas áreas em que é permitido mas de facto o seu voto conta para eleger deputados precisamente na zona onde estão recenseadas", afirmou Francisco Rodrigues dos Santos.

Numa ação de campanha em Castelo Branco, o líder centrista foi instado a comentar as palavras de Rui Rio, que na rede social Twitter escreveu:"O Dr. António Costa arranjou uma forma airosa de evitar ter de fazer o que sabe que não é bom para Portugal; ter de votar nele próprio. Chapeau!", depois de o líder socialista ter anunciado que pretende votar no dia 23 de janeiro, no Porto.

Consulte Mais informação:
Renascença »

Legislativas: privatizações, impostos e SNS marca debate sem convergências entre BE e CDS-PPCatarina Martins acusou o CDS-PP de “acreditar no Pai Natal”. Francisco Rodrigues dos Santos fala num programa do BE que “vai matar a nossa economia com uma “overdose” de nacionalizações.

Legislativas: CDS critica “animalismo radical” do PAN e quer pegar a esquerda “pelos...Sais te Cá um cornudo que só se pega pelo rabo.

Líder do CDS ambiciona governar sozinho com PSD, mas fala em eleitorado 'traído' - SIC NotíciasEm entrevista à agência Lusa, Francisco Rodrigues do Santos classificou o CDS-PP como “o partido que pode dar um passaporte ao PSD para poder governar Portugal”. CDS nem 1 deputado vai eleger nestas eleições. Está acabado. Vai mas é rezar umas ave Marias e tomar umas óstias...

Legislativas: Rio saúda abertura do PAN e candidatos defendem aquilo que os separa

Legislativas: Rio vota contra OE se Costa vencer eleições e apresentar documento igual

Legislativas: Do ‘quiz’ para escolher entre Costa e Rio ao ‘TikTok’, a campanha nas redes...

O presidente do CDS-PP considerou hoje que o líder do PSD, Rui Rio,"está equivocado" sobre como se processa o voto antecipado em mobilidade e criticou o Governo, que"falhou na antecipação e no planeamento" das eleições.foi marcado por questões relacionadas com privatizações, impostos e o Serviço Nacional de Saúde, sem que houvesse convergências entre os dois partidos.Legislativas: CDS critica “animalismo radical” do PAN e quer pegar a esquerda “pelos cornos” O conteúdo completo está disponível apenas para Subscritores.CDS-PP defendeu que o PSD e o seu partido devem ter a ambição de governar sozinhos, embora admita que o eleitorado de centro-direita se possa ter sentido “traído” pela ausência de uma coligação pré-eleitoral entre ambos.

" As declarações do doutor Rui Rio permitem-me concluir que está equivocado quanto ao modelo do voto antecipado em mobilidade , porque as pessoas votam nas áreas em que é permitido mas de facto o seu voto conta para eleger deputados precisamente na zona onde estão recenseadas", afirmou Francisco Rodrigues dos Santos. Numa ação de campanha em Castelo Branco, o líder centrista foi instado a comentar as palavras de Rui Rio, que na rede social Twitter escreveu:"O Dr. O primeiro tema em cima da mesa foi, desde logo, ilustrativo dessas diferenças e falando de diferentes sectores da economia, de um lado defenderam-se “dês privatizações” ( termo utilizado pelo BE ), enquanto do outro lado se propunha o seu contrário. António Costa arranjou uma forma airosa de evitar ter de fazer o que sabe que não é bom para Portugal; ter de votar nele próprio. Chapeau!", depois de o líder socialista ter anunciado que pretende votar no dia 23 de janeiro, no Porto. O programa do BE prevê a reversão das privatizações de empresas como a EDP, CTT, REN ou GALP, uma medida em que os benefícios superariam os custos, assegura Catarina Martins: “Chegaria eventualmente aos 20 mil milhões de euros, mas a longo de vários anos, e permitiria ao Estado reaver boa parte do investimento, porque estamos a falar de empresas lucrativas”. 🔵 O CDS é o único voto útil à direita, por não cair em populismos e extremismos, mas também por defender sempre convictamente os seus ideais de forma intransigente. “Devemos trabalhar nesse sentido.

Um voto no CDS é um voto que garante mais liberdade na economia, sem a alienação dos valores de direita. Por outro lado, os centristas defendem privatizações em determinados sectores, argumentando que “sempre que os empresários realizarem um trabalho que custa menos dinheiro aos contribuintes e presta melhor serviço às populações, o Estado tem de sair de cima”. .