Israel compra três submarinos à Alemanha

Israel compra três submarinos à Alemanha

Israel, Submarino

20/01/2022 16:52:00

Israel compra três submarinos à Alemanha

Israel assinou, esta quinta-feira, um acordo com a Alemanha para a compra de três submarinos do grupo alemão ThyssenKrupp Marine Systems (TKMS) no valor de três mil milhões de euros, anunciou o Ministério da Defesa israelita.

Este acordo surge no final de um"processo de planeamento e negociação que durou vários anos", declarou o ministro da Defesa israelita,, citado num comunicado divulgado pelo seu ministério.Gantz fez questão de"agradecer ao

Governoalemão pela sua ajuda no avanço deste acordo e pelo seu compromisso com a segurança de Israel"."A aquisição de três submarinos avançados e operacionais soma-se a uma série de medidas que tomamos no ano passado para equipar e fortalecer o exército israelita", explicou o ministro israelita.

Consulte Mais informação: Jornal de Notícias »

Líderes dos Verdes alemães investigados por prevaricaçãoO novo vice-chanceler e a ministra dos Negócios Estrangeiros da Alemanha estão envolvidos nesta investigação.

Bolsas europeias mistas, mas com juros das dívidas soberanas a dispararemOs juros da dívida soberana da Alemanha voltaram para terreno positivo pela primeira vez desde 2019.

Autoridade Tributária distinguida como 'marca do mês' com satisfação de 87,2% dos cidadãosPrincipal motivo de queixas que chegaram à Autoridade Tributária nos últimos três meses prenderam-se com os atrasos nas entregas de encomendas. Foda-se… vocês não me façam rir que estou com cieiro caralho.. 😂🤣😅 ...só se for cidadãos visa gold...cidadãos clinica malo...ou cidadãos estrangeiros reformados. 😂🤣😅,,,,eu claramente faço parte dos restantes 12,8% 🇵🇹🥀

Novos postos de testagem gratuita à covid-19 em três estações do Metro de Lisboa

OFICIAL: Lille empresta Yusuf Yazici ao CSKA de MoscovoCedência até ao final da época contempla uma opção de compra por parte do clube russo

O Governo alemão financiará parte da compra com uma doação única, conforme o acordo entre os dois países em 2017.Procuradores de Berlim abriram uma investigação sobre a liderança dos Verdes, da Alemanha, incluindo o novo vice-chanceler e a ministra dos Negócios Estrangeiros.As principais bolsas europeias negociavam esta quarta-feira mistas, perante o aumento dos juros das dívidas soberanas, que no caso da Alemanha voltaram para terreno positivo pela primeira vez desde 2019.A Autoridade Tributária (AT) foi distinguida como ‘marca do mês’, ao receber um índice de satisfação global de 87,2% por parte dos cidadãos, informou a AT em comunicado esta terça-feira, 18 de janeiro.

Este acordo surge no final de um"processo de planeamento e negociação que durou vários anos", declarou o ministro da Defesa israelita, , citado num comunicado divulgado pelo seu ministério. Gantz fez questão de"agradecer ao Governo alemão pela sua ajuda no avanço deste acordo e pelo seu compromisso com a segurança de Israel". A investigação, de uma suspeita preliminar de quebra de confiança, surge após uma reportagem do semanário Der sobre o assunto. "A aquisição de três submarinos avançados e operacionais soma-se a uma série de medidas que tomamos no ano passado para equipar e fortalecer o exército israelita", explicou o ministro israelita. Depois de abrir em baixa, a bolsa de Lisboa invertia a tendência, estando cerca das 09:00 o principal índice, o PSI20, a avançar 0,21% para 5. O acordo também prevê a construção de um simulador de treino em Israel e o fornecimento de peças de reposição.500 euros por pessoa para funcionários da sede do partido e os próprios líderes. Os três submarinos fazem parte de uma nova série chamada"Dakar" e serão entregues nos próximos nove anos, referiu o comunicado..

PUB Autoridades israelitas e alemãs assinaram este acordo dias antes de Israel votar pelo estabelecimento de um comité governamental para investigar a aquisição de submarinos e outros navios de guerra da . O partido dos Verdes disse que a direção tinha o direito de tomar a decisão, mas entretanto devolveu os bónus. Os mercados europeus abriram em baixa, arrastados pelos avanços generalizados dos juros das dívidas soberanas, tanto na Europa como nos EUA, devido aos receios de que uma subida sustentada da inflação leve os bancos centrais a retirarem os estímulos monetários demasiado rapidamente.