Investigadores descobrem que coração das moscas reage de igual forma ao dos humanos em situações de perigo

Descoberta vai ajudar a compreender como o cérebro dos animais e dos humanos condiciona comportamentos.

28/10/2021 23:47:00

Investigadores descobrem que coração das moscas reage de igual forma ao dos humanos em situações de perigo

Descoberta vai ajudar a compreender como o cérebro dos animais e dos humanos condiciona comportamentos.

"A mosca da fruta, do ponto de vista genético, é bastante semelhante aos humanos, a quantidade de genes que partilhamos é elevadíssima. Em relação ao coração, os genes que especificam quais as células que se vão tornar parte do coração são os mesmos da mosca e nos humanos", explica a investigadora da Fundação Champalimaud, Marta Moita.

A mosca da fruta é usada como modelo para estudar patologias cardíacas.Foi precisamente o coração deste pequeno inseto que os investigadores da fundação estudaram durante cinco anos, tendo descoberto que os batimentos cardíacos variavam tal e qual os dos humanos perante uma situação de perigo.

A hipótese era considerada pouco provável, uma vez que a mosca não tem sistema nervoso autónomo."Quando qualquer animal está perante uma ameaça, há uma série de respostas comportamentais tipo fuga que são acompanhados por alterações fisiológicas, por exemplo, o ritmo do coração. Muitas vezes imaginamos que acelera perante o perigo, mas quando uma pessoa se imobiliza, o coração acelera na mesma", acrescenta a investigadora. headtopics.com

Para chegarem a estas conclusões usaram, por exemplo, uma sombra, sendo que, à medida que se aproximava, a mosca tinha duas reações: ou fugia e o batimento cardíaco acelerava, ou ficava quieta e o batimento cardíaco baixava, tendo também aqui surgido uma outra descoberta.

"A imobilização perante o perigo é um comportamento ativo que consome bastante energia e que exige bastante do animal, e normalmente não se pensa assim e isso é outra das coisas que o nosso estudo revela", diz Marta Moita.

O estudo dos mecanismos de defesa da mosca vai continuar.Os investigadores acreditam, dadas as semelhanças, que, em breve, pode ajudar a perceber a forma como o cérebro influencia comportamentos, incluindo na espécie humana. Consulte Mais informação: SIC Notícias »

O Futuro do PSD

Escolhemos seis questões que determinam o futuro do PSD e sobre elas questionámos os dois candidatos a presidente do partido, que será eleito a 27 de Novembro

Confiança das empresas volta a níveis pré-pandemia, famílias estão mais pessimistasO indicador de clima económico, que reflete o sentimento dos empresários, aumentou em outubro para o nível que era registado em fevereiro de 2020, antes da chegada da pandemia a Portugal.

Desconto do Governo nos combustíveis entra em vigor a 10 de novembroO secretário de Estado Adjunto e dos Assuntos Fiscais explicou que o programa funcionará de forma semelhante ao IVAucher. O govpt devia era ter vergonha ao apresentar uma medida irrisória como essa. Façam contas para ver quanto lucra o dito governo com 50 litros de combustível. Não tem vergonha na cara. Não são esses 5 euros que vão deixar de pesar na hora de por combustível para ir trabalhar.

Amnistia Internacional apela ao G20 para distribuição equitativa de vacinas contra Covid-19Campanha da organização apelar que 40% da população dos países de baixo e médio rendimento seja vacinada até ao final de 2021.

Assalto com arma de fogo ao Posto dos Correios de Valadares, em GaiaO assalto ocorreu pelas 10:20. A PSP acionou a Polícia Judiciária dado tratar-se de um crime com arma de fogo.

EDP Inovação é um dos vencedores ao fundo de um milhão de euros da Comissão EuropeiaDe acordo com a nota divulgada por Bruxelas, foram selecionados um total de 73 pojetos para financiamento no valor de mil milhões de euros dos quais dois são projectos portugueses.

Investigador de Coimbra conclui que erupções vulcânicas contribuíram para o fim dos dinossaurosErupções vulcânicas gigantes, ocorridas há 66 milhões de anos no território da atual Índia, contribuíram para a extinção em massa dos dinossauros, revela um estudo internacional de um investigador da Universidade de Coimbra.