Hospital de Vila Nova de Gaia/Espinho diz que vai encerrar camas por 'falta de ocupação'

Sindepor, Centro Hospitalar Vila Nova De Gaia/Espinho

22/01/2022 01:01:00

Depois do Sindicato Democrático dos Enfermeiros de Portugal - Sindepor denunciar que o Centro Hospitalar Vila Nova de Gaia/Espinho (CHVNG/E) encerrou três camas da Unidade de Cuidados Pós Anestésicos (UCPA) devido à falta de enfermeiros, o hospital afirma que motivo do encerramento se deve a optimização por "falta de ocupação" e não por "falta de equipas".

Num esclarecimento ao Nascer do Sol, o centro hospitalar explicou que o encerramento das camas servirá para "optimizá-las", sem se referir nomeadamente à falta de enfermeiros. Segundo um comunicado enviado ao jornal, o Sindepor afirmou que a decisão do CHVNG/E se baseava no "absentismo atual e na inexistente autonomia contratual de recursos". "De modo perpetuado, como se tem vindo a verificar ao longo do último mês, esta dinâmica de ajuste revela-se prejudicial à estabilidade da equipa e planeamento mensal de horário do colaborador”, revelou sindicato, ao notar que todas as informações reveladas constam no boletim informativo do CHVNG/E.

Consulte Mais informação: Jornal SOL »

Falta de enfermeiros força Centro Hospitalar Vila Nova de Gaia/Espinho a encerrar camas

Centro Hospitalar Vila Nova de Gaia/Espinho encerra camas por falta de enfermeiros

Hospital de Vila Nova de Gaia/Espinho nega o encerramento de camas por 'falta de equipas'

Acidente com autocarro faz um ferido em Vila Nova de GaiaNo local estão vários elementos dos bombeiros dos Carvalhos, dos Sapadores e da GNR.

Vila Nova de Famalicão: O 9.º concelho-chave das eleições Legislativas 2022Concelhos-chave são concelhos onde é expectável que haja um elevado número de votantes e onde, nas últimas eleições houve mudanças significativas na intenção de voto. ok

Rui Rio fez campanha por Vila RealSem reagir à sondagem RTP, Rio já com tem elenco para o próximo governo.

enfermeiros Depois do Sindicato Democrático dos Enfermeiros de Portugal - Sindepor denunciar que o Centro Hospitalar Vila Nova de Gaia/Espinho (CHVNG/E) encerrou três camas da Unidade de Cuidados Pós Anestésicos (UCPA) devido à falta de enfermeiros, o hospital afirma que motivo do encerramento se deve a optimização por "falta de ocupação" e não por "falta de equipas". Num esclarecimento ao Nascer do Sol, o centro hospitalar explicou que o encerramento das camas servirá para "optimizá-las", sem se referir nomeadamente à falta de enfermeiros.  Segundo um comunicado enviado ao jornal, o Sindepor afirmou que a decisão do CHVNG/E se baseava no "absentismo atual e na inexistente autonomia contratual de recursos". "De modo perpetuado, como se tem vindo a verificar ao longo do último mês, esta dinâmica de ajuste revela-se prejudicial à estabilidade da equipa e planeamento mensal de horário do colaborador”, revelou sindicato, ao notar que todas as informações reveladas constam no boletim informativo do CHVNG/E. Devido à "impossibilidade de contratar enfermeiros e face aos casos de absentismo que se têm vindo a verificar devido à pandemia de Covid-19", o conselho de administração preferiu ter apenas 6 das 9 camas da UCPA disponíveis. Esta medida vai entrar em vigor no dia 1 de fevereiro e está reavaliada "ao fim de três meses", destacou o Sindepor. “Numa semana em que o país atinge novos máximos de infetados, não se entende que os conselhos de administração continuem sem autorizações para contratar enfermeiros; há anos que existe carência de enfermeiros e agora a pandemia deixa esta realidade ainda mais a descoberto”, frisou Tiago Ramos, coordenador da região Norte do Sindepor e enfermeiro no CHVNG/E. Os comentários estão desactivados.