Governo diz que terá de 'viver em duodécimos até existir novo Orçamento'

Governo diz que terá de 'viver em duodécimos até existir novo Orçamento'

28/10/2021 17:57:00

Governo diz que terá de 'viver em duodécimos até existir novo Orçamento'

A ministra da Presidência, Mariana Vieira da Silva, assumiu, no 'briefing' do Conselho de Ministros realizado esta quinta-feira, que todas as decisões do Executivo irão depender da capacidade do Orçamento de 2021.

28 Outubro 2021, 13:01A ministra da Presidência, Mariana Vieira da Silva, assumiu, no ‘briefing’ do Conselho de Ministros realizado esta quinta-feira, que todas as decisões do Executivo irão depender da capacidade do Orçamento de 2021.

Portugal tem 38 casos da variante ómicron. Cuidados intensivos com “tendência fortemente crescente” Jorge Jesus: «Como sempre o que fez a diferença foram os golos» Francisca Van Dunem substitui Cabrita e acumula Justiça com a Administração Interna

Manuel de Almeida/LUSAO Governo diz que terá de “viver em duodécimos até existir um novo Orçamento em 2022”. A garantia foi dada pela ministra da Presidência, Mariana Vieira da Silv, no briefing do Conselho de Ministros realizado esta quinta-feira, 28 de outubro.

Como tal, Mariana Vieira da Silva assumiu que a capacidade de tomar decisões do Executivo estará dependente do Orçamento de 2021, dando como exemplo programas como o da saúde, onde estava previsto um acréscimo orçamental, mas onde as medidas só poderão ser tomadas fora desse quadro de reforço, pelo facto de o Orçamento do Estado (OE) para 2022 não ter sido aprovado na generalidade. headtopics.com

A ministra da Presidência garantiu, contudo, que “o Parlamento e o Governo mantêm neste momento a totalidade dos seus poderes” enquanto se aguarda que sejam anunciadas as decisões tomadas pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

Questionada sobre se a instabilidade política criada pelo chumbo do OE poderá levar a um pedido de respostas dos mercados europeus e de Bruxelas, Mariana Vieira da Silva esclareceu que a situação do país permite garantir a todas as instituções internacionais uma situação de estabilidade nas contas públicas e resposta aos compromissos do Governo.

Consulte Mais informação: Jornal Económico »

O Futuro do PSD

Escolhemos seis questões que determinam o futuro do PSD e sobre elas questionámos os dois candidatos a presidente do partido, que será eleito a 27 de Novembro

Duodécimos limitam execução mensal até à entrada em vigor de novo orçamentoO regime de duodécimos, que entrará em vigor em 2022 devido à prorrogação da vigência do Orçamento do Estado de 2021, limita a execução mensal ao dividir por 12 o orçamentado para este ano, até haver um novo orçamento.

Duodécimos limitam execução mensal até à entrada em vigor de novo orçamento'Durante o período transitório em que se mantiver a prorrogação de vigência da lei do Orçamento do Estado respeitante ao ano anterior, a execução mensal dos programas em curso não pode exceder o duodécimo da despesa total da missão de base orgânica', pode ler-se na lei de Enquadramento Orçamental at

António Costa considera Orçamento do Estado 'amigo das famílias'Primeiro-ministro diz que esta proposta de orçamento 'dá prioridade particular às famílias com filhos'. Mentira Grande aldrabão mentiroso.

Costa diz que está preparado para governar em duodécimosO primeiro-ministro disse que o Governo saiu de 'cabeça erguida' do chumbo do OE para 2022. Tu estás preparado e pra ir com o caralho!

Governo diz que conseguiu cortar mais de 10% no défice até ao 3º trimestreGoverno de Costa e de João Leão fala em 'melhoria' das contas públicas pois consegue comprimir mais o défice com recurso a um salto de quase 7% na receita, que compensou a subida da despesa.

OE2022: PCP diz que 'esteve nas mãos' do Governo dar respostas até 'nos últimos dias'O líder parlamentar do PCP sustentou esta quarta-feira que 'esteve nas mãos do Governo' a viabilização do Orçamento do Estado para 2022 e garantiu que 'em matéria nenhuma' houve da parte do PCP 'intransigência, inflexibilidade ou recusa de discussão' com o executivo socialista