Governo diz que resposta à subida dos combustíveis vale 300 milhões de euros

O secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, António Mendonça Mendes, está a ser ouvido no Parlamento, no âmbito da discussão de generalidade do Orçamento do Estado para 2022.

22/10/2021 19:27:00

O secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, António Mendonça Mendes, está a ser ouvido no Parlamento, no âmbito da discussão de generalidade do Orçamento do Estado para 2022.

O secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, António Mendonça Mendes, está a ser ouvido no Parlamento, no âmbito da discussão de generalidade do Orçamento do Estado para 2022.

E usufrua de todas as vantagens de ser assinanteO pacote de medidas anunciado pelo Governo para responder à subida dos preços dos combustíveis vale 300 milhões de euros, revelou esta sexta-feira o secretário de Estado Adjunto e dos Assuntos Fiscais, na Assembleia da República.

Patrões do ″Correio da Manhã″ e do ″Observador″ apanhados nos Pandora Papers Marques Mendes diz que Rui Rio pode ganhar as eleições Vacinação das crianças é o passo que falta no combate à pandemia

O governante está a ser ouvido esta tarde no Parlamento no âmbito do debate de generalidade do Orçamento do Estado para 2022 e referia-se ao conjunto de medidas que foram anunciadas na semana passada, e esta mesma sexta-feira minutos antes da audição, pelo ministro das Finanças.

"O Governo anunciou um pacote de cerca de 300 milhões de euros", disse, frisando que são"apoios excecionais para situações excecionais". Tal como já tinha sublinhado ministro das Finanças, João Leão, Mendonça Mendes reforçou que Portugal é"o único país da União Europeia que tomou medidas sobre o aumento dos preços dos combustíveis". headtopics.com

Consulte Mais informação: Jornal de Negócios »

O Futuro do PSD

Escolhemos seis questões que determinam o futuro do PSD e sobre elas questionámos os dois candidatos a presidente do partido, que será eleito a 27 de Novembro

PAN, PC e PEV continuam sem apoiar o Orçamento de EstadoNada que a garantia de mais uns quantos*tachos*... Não resolva! Se não vão fazer o quê? Trabalhar? Ainda não estão malucos! Jmm

De Bragança ao Algarve há hospitais em ″estado de calamidade″A realidade não é de agora. É de há anos. Há situações de 'verdadeira calamidade' no SNS. Quem o diz são os presidentes das secções regionais da Ordem dos Médicos que denunciam ao DN situações que lhes chegam diariamente. A falta de profissionais, que advém dos salários baixos, de condições de trabalho e de projetos profissionais, a ineficiência de direções e administrações, a par da 'ausência de liderança' da tutela, estão na base do problema. Amanhã o setor da saúde entra em greve. Hoje, o governo deve aprovar em Conselho de Ministros um novo Estatuto para o SNS.

Estado de Direito na Polónia ameaça ''aquecer'' cimeira da UE focada na EnergiaEstado de Direito, à luz do recente acórdão do Tribunal Constitucional polaco determina haver normas nacionais que se sobrepõem à legislação europeia. Bruxelas considera isso desafio sem precedentes à primazia do Direito Comunitário.

Estado de Direito na Polónia ameaça ″aquecer″ cimeira focada na EnergiaOs líderes da União Europeia (UE) reúnem-se, a partir desta quinta-feira, m Bruxelas numa cimeira com uma agenda preenchida, dominada pelos preços da Energia, mas que será também marcada pela situação do Estado de Direito na Polónia. .a Europa perdeu o respeito dos seus aliados como recentemente se viu com os EUA.Agora , até por dentro anda a ser contrariada e de que forma.Tem a Europa se pensar se é este caminho federal que quer seguir .. ou outro, para que não perca de vez a influência que já quase não tem. A Europa quer ser respeitada mas recusava-se a respeitar a individualidade dos seus membros... Caso optem por 'escorraçado' a Polónia, pensem que já tem pelo menos mais 3 que se seguem...

Estado utiliza Twitter para fazer propaganda ao Governo e dizer mal de Passos

UTAO alerta para três riscos na proposta de Orçamento do Estado 2022A Unidade Técnica de Apoio Orçamental (UTAO) alertou hoje para três riscos principais na proposta de lei do Orçamento do Estado para 2022 (OE2022), relacionados com o crescimento económico, a política monetária e as regras orçamentais da União Europeia.