Francês que atravessava Atlântico a remo morre ao largo dos Açores

Francês que atravessava Atlântico a remo morre ao largo dos Açores

Oceano Atlântico, Remo

23/01/2022 05:09:00

Francês que atravessava Atlântico a remo morre ao largo dos Açores

O francês Jean-Jacques Savin, que desde o dia 1 de janeiro estava a atravessar o Oceano Atlântico a remo, foi encontrado este sábado morto no interior da sua embarcação ao largo dos Açores .

Segundo informa apágina de Facebook, transformada numa espécie de diário de bordo e gerida por uma equipa em terra, o barco terá sido localizado na sexta-feira pelas autoridades portuguesas, mas só este sábado"um mergulhador conseguiu descer e visitar o barco", onde viria a ser encontrado Jean-Jacques já sem vida no seu interior.

Na quarta-feira, na última publicação que fez, o antigo militar relatou alguns problemas com o sensor solar e com as condições climatéricas."Fiquem tranquilos, eu não corro perigo", escreveu.

Consulte Mais informação: Jornal de Notícias »

Médio do Grêmio pode chegar aos Açores (Santa Clara)A BOLA, toda a informação desportiva. Acompanhe todas as notícias do seu clube ou modalidade preferida, para onde quer que vá.

Linha de Saúde Açores atendeu quase 10 mil chamadas em 20 diasProteção Civil declara que 'aumento da capacidade de resposta deve-se às alterações efetuadas recentemente pelo Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros, em conjunto com a Direção Regional da Saúde'.

Morreu o navegador francês que queria atravessar o Atlântico num barco a remos - RenascençaMorreu o navegador francês que queria atravessar o Atlântico num barco a remos

Avançado colombiano Perea reforça Sp. CovilhãAtleta de 22 anos chega ao clube serrano proveniente do Lusitânia dos Açores

«Os jogadores do United têm de ouvir Ronaldo, trabalhar e calar a boca»O conselho de Louis Saha, antigo internacional francês, aos mais jovens dos red devils

Catarina Martins apela ao voto dos indecisos que querem defender o SNSOs destinatários da mensagem da líder do BE foram os indecisos, cujo 'número recorde' é uma constante nas várias sondagens que têm sido divulgadas. Eu portuguesa não tenho médica de família, mas os migrantes teem! 4