″Falaremos sempre primeiro com parceiros de Esquerda″, diz Matos Fernandes

'Falaremos sempre primeiro com parceiros de Esquerda', diz Matos Fernandes

Legislativas 2022, João Matos Fernandes

27/01/2022 02:57:00

'Falaremos sempre primeiro com parceiros de Esquerda', diz Matos Fernandes

O ministro do Ambiente admitiu esta quarta-feira, ao JN, que o Governo dará prioridade às negociações com os 'parceiros de Esquerda' após as eleições. 'É natural que assim seja', afirmou João Matos Fernandes .

O ministro do Ambiente admitiu esta quarta-feira, ao JN, que o Governo dará prioridade às negociações com os"parceiros de Esquerda" após as eleições."É natural que assim seja", afirmou João Matos Fernandes.

"Prefiro um Governo onde o PS tenha um grande resultado eleitoral, porque essa é a melhor garantia de estabilidade", afirmou o governante, durante a arruada socialista no Porto.No entanto, Matos Fernandes deixou pistas caso o partido vença sem maioria absoluta - um objetivo que, de resto, António Costa já deixou cair: Nessa situação,"naturalmente que aqueles com quem falaremos sempre em primeiro lugar serão os nossos parceiros à Esquerda, nos quais incluo o Livre e o PAN", esclareceu.

Consulte Mais informação: Jornal de Notícias »

Porto de Sines com 'melhor ano de sempre' em 2021 na carga contentorizadaConsiderado pela APS como o melhor ano de sempre nos contentores, 2021 registou ainda um crescimento no volume de carga movimentada no porto alentejano, com um total de 46,5 milhões de toneladas.

Corrupção. 'Estratégia portuguesa é insuficiente'Susana Coroado, da Transparência e Integridade, diz que o Indice de Perceção de Corrupção 2021 mostra Portugal com objetivos pouco ambiciosos, principalmente na fiscalização dos órgãos de soberania. Pois claro que é, eles é que fazem as leis

Ventura diz que direita está a receber lições à esquerda sobre entendimentosLíder do Chega falava aos jornalistas antes do jantar-comício em Faro, com cerca de uma centena de simpatizantes e militantes. Falso! Titulo manipulativo. Ventura não disse! Ele declarou oficialmente.

Legislativas: Ventura diz que direita está a receber lições à esquerda sobre entendimentosLá está o avençado do chega residente na Lusa. Tem dias! Se pudesse Este mamão e seu partido Desapareciam de vez

António Costa recusa 'jogar pingue-pongue' com Rui Rio - SIC NotíciasDepois de Rui Rio ter dito que Costa deveria terminar o seu mandato de primeiro-ministro com dignidade. Mas... Continua a jogar... Costa e a sua Informação Amiga estão já desorientados ...tanto que esqueceram a BAZUCA !!!! É exactamente ao contrário. Mais uma do nosso troca-tintas!!

Rio acusa Costa de falta de convições e de ″ir à boleia″ das reivindicações da esquerda'Dizem umas coisas, fazem umas coisas, mas parece -- parece, não -, a convicção não é muita, vão é à boleia de uma qualquer circunstância, ou de um qualquer tabu ideológico, ou de uma qualquer reivindicação de um Bloco de Esquerda, de um PCP ou de um PAN', afirmou o líder do PSD. Costa já sabe que uma vez mais que a engrenajem já ganhou praticamete e esta v.3 contínua como refém. De acordo das sondagens baseadas do trafico digital o PS obtém mais votos mas não o suficiente para obter mais lugares. Depende da PROPAGANDA do DN SIC, SiC e JN

Comentar O ministro do Ambiente admitiu esta quarta-feira, ao JN, que o Governo dará prioridade às negociações com os"parceiros de Esquerda" após as eleições."É natural que assim seja", afirmou João Matos Fernandes. "Prefiro um Governo onde o PS tenha um grande resultado eleitoral, porque essa é a melhor garantia de estabilidade", afirmou o governante, durante a arruada socialista no Porto. No entanto, Matos Fernandes deixou pistas caso o partido vença sem maioria absoluta - um objetivo que, de resto, António Costa já deixou cair: Nessa situação,"naturalmente que aqueles com quem falaremos sempre em primeiro lugar serão os nossos parceiros à Esquerda, nos quais incluo o Livre e o PAN", esclareceu. Esta foi uma das raras situações ao longo da campanha em que uma personalidade do PS admitiu ter preferência por uma das soluções que estarão em cima da mesa em caso de vitória com maioria relativa. Costa, por exemplo, tem apelado ao"diálogo com todos os partidos" desde que, no fim de semana, deixou de apontar ao objetivo da maioria absoluta. Contudo, apesar das sucessivas críticas ao PSD, nunca excluiu aproximar-se do partido de Rui Rio com vista a garantir a governabilidade. No entender de Matos Fernandes, não existe contradição entre Costa ter começado por pedir uma maioria absoluta aos portugueses e ter, entretanto, passado a centrar o discurso no diálogo."É óbvio que o PS quer ter o melhor resultado possível", frisou o ministro."Agora, se há prova que o PS e António Costa têm dado é essa grande capacidade de diálogo". Para sustentar essa tese, Matos Fernandes aludiu à longevidade da geringonça, criada em 2015 e extinta em outubro passado."Nunca nenhuma coligação de Direita durou seis anos em Portugal. Portanto, se há líder partidário que tem uma grande capacidade de diálogo e de construir pontes é António Costa, pelo que é muito normal que ele as anuncie", rematou. Pizarro:"Temos de ser capazes de falar à Esquerda e à Direita" PUB Já Manuel Pizarro, eurodeputado e presidente da distrital do PS do Porto, garante que o seu partido é o mais bem preparado para garantir a governabilidade:"Se precisarmos de fazer algum entendimento para apoio parlamentar, somos o único partido em condições de dizer duas coisas: primeiro, que podemos falar com todos os partidos; segundo, que com o Chega não negociaremos, coisa que o nosso principal adversário não é capaz de dizer", afirmou, referindo-se ao PSD. Pizarro confia num PS reforçado a partir de domingo."Mas seremos capazes de falar à Esquerda e à Direita, como fizemos sempre ao longo da nossa história. É por isso que somos o partido-charneira da democracia portuguesa, e talvez por isso tenhamos tanto apoio popular. As pessoas sabem que é connosco que se arranjam as boas soluções para o progresso", considerou. O dirigente socialista não encontra qualquer"contradição" entre o PS pedir maioria absoluta - como Costa fez até ao fim-de-semana - e abrir-se ao diálogo."Quem tem de decidir como o país vai ser governado é o povo português, com o seu voto. O PS governará com estabilidade nas condições que o povo português lhe der". João Vasconcelos e Sousa