Ex-accionista da TAP David Neeleman espera pedido de desculpas de Costa

18/01/2022 19:24:00

Aviação: Ex-accionista da TAP David Neeleman espera pedido de desculpas de Costa

Aviação, Eleições Legislativas 2022

Aviação : Ex-accionista da TAP David Neeleman espera pedido de desculpas de Costa

“O Dr. António Costa faltou à verdade e com as suas declarações afectou o meu nome e a minha reputação, pelo que espero um pedido de desculpas”, sublinhou o norte-americano numa nota à Lusa.

LM MIGUEL MANSOO ex-accionista da TAP David Neeleman espera um pedido de desculpas de António Costa, que diz ter “faltado à verdade” com declarações que afectaram o seu “nome e reputação”, no âmbito da pré-campanha para as legislativas.

Numa nota enviada à Lusa, David Neeleman faz alguns esclarecimentos face ao que acusa de serem “afirmações falsas” sobre a sua pessoa por parte do líder do PS, António Costa, no debate para as próximas eleições legislativas com o candidato do PSD, em que – cita o empresário – o também primeiro-ministro disse que o Estado comprou a companhia “'para prevenir precisamente que aquele privado que lá estava e que não merecia confiança, não daria cabo da TAP no dia em que fosse à falência'”.

Consulte Mais informação: Público »

Sol da Caparica na RTP | Extra | RTP

Os artigos da TV e da Rádio no entretenimento, música, comédia, ficção, artes e espetáculo no universo RTP Consulte Mais informação >>

O Costa é conhecido como o Borat de por tu gal

Ex-acionista da TAP David Neeleman espera pedido de desculpas de CostaO ex-acionista da TAP David Neeleman espera um pedido de desculpas de António Costa, que diz ter 'faltado à verdade' com declarações que afetaram o seu 'nome e reputação', no âmbito da pré-campanha para as legislativas. Devia era mandar ao Costa uma garrafa de champomix e uns moncherri por lhe terem 'comprado' a TAP. Livrou-se de boa! E ainda recebeu uma indemnização de dinheiro que nunca lá meteu. Cara de pau, nê?! Costa tem razão.Esse pseudo investidor quis sugar a TAP

David Neeleman espera pedido de desculpas de Costa

Rio acusa Costa de tentar 'incutir medo' nos portugueses com 'papão da direita'L\u0026237;der social-democrata apelou ao PS para que fa\u0026231;a campanha \u0026quot;com base nas suas propostas, sem \u0026quot;deturpar as ideias do PSD\u0026quot;.\r\n\r\n

Costa alerta contra influência da extrema-direita junto de partidos tradicionaisPosi\u0026231;\u0026245;es foram transmitidas por Ant\u0026243;nio Costa num encontro sobre o tema \u0026quot;Continuar a avan\u0026231;ar em igualdade\u0026quot;.\r\n

Neeleman acusa Costa de “afirmações falsas” e exige desculpaO ex-acionista de referência da companhia aérea TAP acusou o primeiro-ministro de proferir 'afirmações falsas' no debate de segunda-feira, exigindo um pedido de desculpas. Este bandalho americano comnacionalidade brasileira, é um ladrao e um falido e quer pedido de des culpas? Devia estar preso no Brasil há muito tempo. E mais fácil apanhar um Costa do que um coxo

Maioria absoluta:Não posso criticar Costa, eu também quero - CNN PortugalCNN Portugal. O canal de informação, com uma cultura multiplataforma, que acompanha, em tempo real e em diversos meios, os acontecimentos que marcam o país e o mundo.

Foto LM MIGUEL MANSO O ex-accionista da TAP David Neeleman espera um pedido de desculpas de António Costa, que diz ter “faltado à verdade” com declarações que afectaram o seu “nome e reputação”, no âmbito da pré-campanha para as legislativas.António Costa - desafiado a garantir que o Estado não vai colocar mais dinheiro na TAP, para lá dos três mil milhões de euros já injetados - disse que se o Estado não tivesse readquirido 50% do capital da transportadora aérea nacional, a TAP teria"ido para o buraco" quando as várias empresas do acionista privado David Neeleman foram à falência.legislativas2022 O ex-acionista da TAP David Neeleman aguarda um pedido de desculpas de António Costa, considerando que o primeiro-ministro "faltou à verdade" com declarações que afetaram o seu “nome e reputação”, no decorrer da pré-campanha para as eleições legislativas.Ativar Cookies Marketing Automation certified by Copyright © 2022.

Numa nota enviada à Lusa, David Neeleman faz alguns esclarecimentos face ao que acusa de serem “afirmações falsas” sobre a sua pessoa por parte do líder do PS, António Costa, no debate para as próximas eleições legislativas com o candidato do PSD, em que – cita o empresário – o também primeiro-ministro disse que o Estado comprou a companhia “'para prevenir precisamente que aquele privado que lá estava e que não merecia confiança, não daria cabo da TAP no dia em que fosse à falência'”. À Lusa, o empresário afirma que “desde o início” da sua carreira teve “a oportunidade de criar cinco empresas de aviação em diferentes países como os Estados Unidos da América, Canadá e Brasil” e que, “apesar de nos dois últimos anos a indústria da aviação ter passado pela sua maior crise de sempre [devido à pandemia de covid-19], nenhuma dessas empresas foi à falência nem foi sujeita a qualquer tipo de intervenção similar até à presente data”. Em 2020, as empresas do senhor Neeleman foram caindo em todo o mundo", afirmou o primeiro-ministro. Num frente a frente entre o líder do PS e primeiro-ministro, António Costa, e o presidente do PSD, Rui Rio, moderado e transmitido pela RTP, SIC e TVI em 13 de Janeiro, no âmbito da pré-campanha para as legislativas antecipadas de 30 de Janeiro, António Costa – desafiado a garantir que o Estado não vai colocar mais dinheiro na TAP, para lá dos três mil milhões de euros já injectados – disse que se o Estado não tivesse readquirido 50% do capital da transportadora aérea nacional, a TAP teria “ido para o buraco” quando as várias empresas do accionista privado David Neeleman foram à falência. No frente-a-frente entre o líder do PS e o presidente do PSD, António Costa afirmou que se o Estado não tivesse readquirido 50% do capital da transportadora aérea nacional, a TAP teria “ido para o buraco” quando as várias empresas de David Neeleman foram à falência. “Comprámos [a TAP] para prevenir precisamente que aquele privado que lá estava e que não merecia confiança, não daria cabo da TAP no dia em que fosse à falência. O ex-acionista da. Em 2020, as empresas do senhor Neeleman foram caindo em todo o mundo”, afirmou o primeiro-ministro.

“Ao contrário do que o Dr. Agora, o antigo acionista da TAP contrapõe que, "ao contrário do que o Dr. António Costa disse nesse debate, todas as empresas de aviação que fundei foram e continuam a ser projectos de grande sucesso com valorizações consideráveis para os seus stakeholders , tendo demonstrado ser sustentáveis e resilientes o suficiente para sobreviver neste cenário de crise”, reforça David Neeleman na mesma nota à Lusa. O ex-accionista da TAP refere também que “há muita informação sobre essas empresas, desde logo por serem cotadas”, lembrando que é, por isso, “dispensável estar a detalhar a situação de cada uma delas”, mas refere algumas notícias nas quais destaca “os enormes sucessos” da Jet Blue e da Azul e do mais recente projecto nos Estados Unidos da América, a Breeze, que “iniciou actividade em plena pandemia”. “É com surpresa que noto que o Dr. "É com surpresa que noto que o Dr. António Costa entende que eu não sou merecedor de ‘confiança’, isto depois de após o início da pandemia o Dr.

António Costa ter reconhecido em 30 de Abril de 2020 em entrevista à RTP que a TAP até à pandemia estava a executar o plano estratégico que tinha sido aprovado pelo Estado”, afirma ainda. David Neeleman aproveita para desejar “as maiores felicidades à TAP e aos seus trabalhadores excepcionais”. E conclui: "O Dr. “O Dr. António Costa faltou à verdade e com as suas declarações afectou o meu nome e a minha reputação, pelo que espero um pedido de desculpas”, conclui. Em 13 de Janeiro, o presidente do PSD acusou a TAP de prestar um serviço “absolutamente indecente”, insistindo que deve ser privatizada “o mais depressa possível”, enquanto António Costa defendeu, então, que foi a presença do Estado que permitiu salvar a transportadora aérea nacional. Ver Comentários Leia Também.

O Estado português concretizou, em 02 de Outubro de 2020, a aquisição de participações sociais dos accionistas privados da TAP, no qual o consórcio Atlantic Gateway, do empresário David Neeleman, detinha 45% do capital, que resultou no controlo público de 72,5% da companhia aérea, ficando o empresário Humberto Pedrosa com 22,5% e os trabalhadores com os restantes 5%. Em 11 de Dezembro de 2021, o ministro das Infraestruturas e Habitação, Pedro Nuno Santos, disse, durante a apresentação do plano de reestruturação do grupo, que o accionista David Neeleman perdeu 169 milhões de euros quando saiu da TAP. David Neeleman “tinha direito a prestações acessórias de 224 milhões de euros”, ou seja, “no momento em que o Estado se tornasse maioritário, o privado ia pedir 224 milhões de euros”, disse o governante em conferência de imprensa. “O Estado não ia aceitar, ia disputar”, indicou, salientando que a solução mais aceitável foi pagar 55 milhões de euros ao accionista. .