EUA: Nomeação de Amy Coney Barrett considerada uma vitória para Trump

EUA: Amy Coney Barrett foi nomeada para o Supremo Tribunal

27/10/2020 12:28:00

EUA: Amy Coney Barrett foi nomeada para o Supremo Tribunal

A juíza indicada pelo presidente norte-americano reuniu 52 votos a favor e 48 contra.

íza do Supremo Tribunal. A escolha de Donald Trump para substituir Ruth Ginsburg, que morreu no mês passado, foi aprovada no Senado com 52 votos a favor e 48 contra.Uma hora depois da votação, Amy Coney Barrett tomava posse na Casa Branca. No primeiro discurso, a ju

Professores querem ser vacinados a seguir aos profissionais de saúde Em lágrimas, primeira-ministra da Dinamarca pede desculpa pela gestão da crise dos visons Na lama, entre pobreza, para ajudar uma criança: quando Maradona jogou num batatal contra a vontade do Nápoles Consulte Mais informação: SIC Notícias »

Senado dos EUA confirma juíza Amy Coney Barrett no Supremo TribunalNomeação do Presidente Donald Trump reforça a maioria conservadora no Supremo dos EUA e pode marcar o fim dos últimos incentivos ao consenso no Senado.

Senado dos EUA confirma juíza Amy Coney Barrett no Supremo TribunalNomeação de Presidente Donald Trump reforça a maioria conservadora no Supremo.

Senado confirma Amy Coney Barrett para o Supremo Tribunal dos EUAApenas uma senadora republicana votou contra a nomeação, juntando-se aos eleitos pelo partido democrata. Esta foi a terceira nomeação de um juiz para o Supremo realizada por Donald Trump. As nomeações são vitalícias.

EUA. Senado confirma nomeação da conservadora Amy Coney Barrett para o Supremo TribunalÉ uma vitória para Donald Trump: a nomeação da conservadora Amy Coney Barrett foi confirmada com 52 votos a favor, todos de senadores republicanos, e 48 votos contra, de todos os senadores democratas e de uma senadora republicana. A juíza, de 48 anos, garante assim uma maioria conservadora de 6-3 no Supremo Tribunal

Acordo sobre pacote de estímulo à economia dos EUA sem avançosMundo - Acordo sobre pacote de estímulo à economia dos EUA sem avanços

Aumento de casos de Covid-19 na Europa e no EUA perturba bolsasO crescimentos de novos casos de infecção nos dois lados do Atlântico e as consequências numa economia já fragilizada preocupam os investidores, que receiam os efeitos das novas medidas de medidas que serão adotada para combater a 2ª vaga. A Bolsa de Lisboa encerrou esta segunda-feira a perder 2,12% em linha com a Europa onde a maior queda foi em Francfurt, que encerrou a perder 3,71%. Wall Street perdia mais de 3% a meio da sessão.