Estrutura europeia dedicada ao empreendedorismo operacional no último trimestre

UE/Presidência: Estrutura europeia dedicada ao empreendedorismo operacional no último trimestre

22/06/2021 00:02:00

UE/Presidência: Estrutura europeia dedicada ao empreendedorismo operacional no último trimestre

O secretário de Estado para a Transição Digital afirmou, em entrevista à Lusa, que a estrutura europeia dedicada ao empreendedorismo Europa Startup Aliança das Nações, cuja representação permanente ficará em Lisboa, deverá estar 'operacional no último trimestre'.

21 Junho 2021, 20:53O secretário de Estado para a Transição Digital afirmou, em entrevista à Lusa, que a estrutura europeia dedicada ao empreendedorismo Europa Startup Aliança das Nações, cuja representação permanente ficará em Lisboa, deverá estar “operacional no último trimestre”.

Bolsonaro ameaça agir fora dos “limites da Constituição” em resposta à investigação do Supremo Tribunal Presidenciais: Campanha da bloquista Marisa Matias foi a mais cara Filho de Michael Ballack morreu em acidente em Tróia

Em 19 de março, o primeiro-ministro, António Costa, anunciou o lançamento da estrutura europeia dedicada ao empreendedorismo – Europe Startup Nations Alliance (Europa Startup Aliança das Nações).Questionado pela Lusa sobre quando é que esta estrutura vai estar operacional, André de Aragão Azevedo disse esperar que tal aconteça no último trimestre deste ano.

“Estamos a ultimar aquilo que é a formalização da constituição”, explicou, adiantando que isso implica que cada um dos Estados-membros identifiquem o seu representante, o que respeita um conjunto de formalidades administrativas e jurídicas. headtopics.com

“O nosso objetivo é no terceiro trimestre termos a estrutura constituída formalmente. Estamos também a lançar agora a rede de contactos para que todos os países passem a identificar quem é que é o seu ponto focal para que consigamos já começar a trabalhar em rede para que, no fundo, esteja operacional no último trimestre do ano”, explicou o governante, que falava à Lusa a propósito do balanço da presidência portuguesa da União Europeia no âmbito do digital.

Questionado sobre a localização da estrutura europeia, cuja localização em Lisboa já foi contestada, André de Aragão Azevedo foi perentório: “Vai ficar em Lisboa, foi isso que o senhor primeiro-ministro anunciou e foi isso que também de alguma forma resultou da negociação com a Comissão Europeia”.

O secretário de Estado explicou que a localização da Europe Startup Nations Alliance (ESNA) “não é uma escolha individual do Governo português, é um processo que decorreu ao longo de vários meses onde havia vários países concorrentes e várias cidades que tinham também interesse nesta localização”.

A escolha recaiu em Lisboa “porque neste panorama internacional era a cidade que apresentava os argumentos mais fortes”, além de que a capital portuguesa é também palco da cimeira tecnológica Web Summit.Sobre o que é que a estrutura europeia vai fazer concretamente, André de Aragão Azevedo disse que “vai desde logo monitorizar o cumprimento” dos ‘standards’ aprovados pelos 27 países da UE. headtopics.com

«Não pode ter chegado este dia!»: adepto do Barcelona desesperado em Camp Nou Marcelo promulga cartão de cidadão para sem-abrigo Maior depósito de pneus do Mundo está a arder. Nuvem tóxica já é vista do espaço

Referiu que, para monitorizar, vai ser criada uma plataforma de dados que vai permitir obter informação “muito mais objetiva e muito mais fidedigna sobre o que está a acontecer em cada um dos países” em termos de empreendedorismo.A Europa não é homogénea em termos de maturidade no que respeita ao empreendedorismo: “há um conjunto de países que estão na linha da frente e outros que estão um bocadinho mais atrasados e o que queremos é monitorizar cada um dos países individualmente, fornecer essa informação aos governos” de cada um deles “para que possam também tomar as medidas de correção necessárias” e haver “uma visão integrada”, explicou.

A ideia é que haja uma noção de ‘startup’ da Europa, disse, apontando que outra das áreas é a captação de talento.“Queremos de facto criar instrumentos que possam por exemplo promover a atração para o espaço europeu de mais quadros qualificados” e, “desse ponto de vista, temos a intenção de lançar uma coisa que resultou da conversa de hoje que é um ‘startup visa’ europeu, ou seja, a capacidade de haver aqui uma abordagem coletiva europeia que possa atrair para o espaço europeu pessoas com altas qualificações, com perfil mais empreendedor”, salientou o governante.

Defendeu também que as entidades nacionais de cada um dos Estados-membros funcionem em rede.“Nós temos a Startup Portugal e em Espanha há uma entidade congénere e queremos que elas funcionem todas em rede para que haja esta noção de mercado único europeu para a área do empreendedorismo”, salientou.

No fundo, “o que queremos é que uma ‘startup’ portuguesa – quando se quer internacionalizar – não tenha que lidar com 26 ordenamentos jurídicos e com 26 países que são na prática países diferentes, queremos que funcione como um mercado único à semelhança do que acontece, por exemplo, nos Estados Unidos”, apontou. headtopics.com

A Europa, disse, “tem uma tradição muito forte na área do conhecimento, da inovação e da ciência” e não perde esse estatuto para a concorrência mais direta, nomeadamente para países da Ásia ou Estados Unidos, mas “naquilo que é a transposição desse conhecimento e a capacidade de monetizar e de transferir para as empresas esse conhecimento e esse valor”, o continente europeu “está um bocadinho aquém dos concorrentes mais diretos”.

O secretário de Estado adiantou que há “um conjunto de contributos” que vieram do ecossistema, desde unicórnios, das ‘startups’, até dos investidores, das incubadoras, entre outros, sobre “as suas preocupações” e um conjunto recomendações “para esse ganho de competitividade” na Europa.

Farmácias já fizeram mais de 547 mil testes rápidos à covid-19 gratuitos Líder da máfia italiana preso em Madrid com documentos portugueses falsos Manchester City bate recordes na contratação do seu novo 10 (e não é Messi) Consulte Mais informação: Jornal Económico »

Cotrim de Figueiredo diz-se ″prisioneiro de cerca″ imposta por ″estado policial″O líder da Iniciativa Liberal (IL) disse, este sábado, estar 'prisioneiro da cerca sanitária' imposta pelo 'estado policial' na Área Metropolitana de Lisboa devido à pandemia de covid-19, considerando a medida 'inconstitucional e absolutamente inútil'. não fizesse o arraial ele quer é festa ,depois lançar os foguetes e agora ainda quer apanhar as canas .Lisboa não é Cotrim de Figueiredo é mais do que isso Este indivíduo devia ter vergonha. Sempre pode emigrar

Líder da Iniciativa Liberal diz-se ″prisioneiro de cerca sanitária″ imposta por ″estado policial″João Cotrim Figueiredo (IL) disse estar 'prisioneiro da cerca sanitária' imposta pelo 'estado policial' na Área Metropolitana de Lisboa devido à pandemia de covid-19, considerando a medida 'inconstitucional e absolutamente inútil'. Ridiculo Cerco sanitário na AML e o Costa a ver o jogo em Munique. Covid é só para serviçais, a nobreza pode viajar. jcf_liberal devia experimentar ir dizer isso aos familiares de pessoas que morreram por covid e a quem está ligado a um ventilador.

Crise: Estado deve reforçar apoio a pequenos lojistas?Economia - Crise: Estado deve reforçar apoio a pequenos lojistas?

Dois meses depois do fim do último estado de emergência, as cadeias continuam a soltar presosA lei de 10 de abril de 2020 foi aprovada e implementada para evitar a propagação da covid-19 nas prisões portuguesas Soltam os presos prendem-me a mim. Troca por troca! Só que eu não fui a julgamento!

Governo quer limitar 'mandatos' das chefias intermédias do EstadoÉ uma das principais alterações ao estatuto dos dirigentes que estão a ser preparadas pelo Executivo.

Estado garante estar preparado para concretizar a 'bazuca' europeia