Em direto/ O debate que junta todos contra todos: Costa arranca a pedir 'maioria absoluta'

O debate que junta todos contra todos: Nove partidos frente a frente pela primeira vez:

18/01/2022 00:06:00

O debate que junta todos contra todos: Nove partidos frente a frente pela primeira vez:

Jerónimo já saiu do hospital e deve regressar no fim de semana. António Costa recuperou novamente tema da prisão perpétua para atirar contra Rui Rio.

“Espero que seja um debate em que possamos apresentar mais propostas e debater temas e vou com essa expectativa, se me atacarem já sabem, o ringue estará aberto. Já levo as luvas postas e estou pronto para levar, mas tenho muitos golpes para dar logo à noite”, atirou o líder do Chega.

e de ter “acordado a poucos dias das eleições”.André Ventura volta a chamar Mário Soares — já Paulo Ralha o tinha feito no comício de Coimbra — para trazer uma frase popularizada pelo antigo Presidente da República: “Quando temos de escolher entre a cópia e o original, as pessoas escolhem sempre o original”, aponta o líder do Chega.

Consulte Mais informação: Observador »

Ultrapassados por bicicletas e trotinetes, buzinados no fim: fomos andar de carro a 30km/h com a vereadora de Lisboa que o propõe

CNN Portugal. O canal de informação, com uma cultura multiplataforma, que acompanha, em tempo real e em diversos meios, os acontecimentos que marcam o país e o mundo. Consulte Mais informação >>

Primeiro debate com um moderador a sério e não um(a) opinador(a) imparcial, parabéns. PS, BE e PCP não respondem a perguntas no debate. Estão eles a esconder algo manhoso tipo o que se passou nos últimos 6 anos. legislativas2022 istoegozarcomquemtrabalha Portugal, Portugal, Portugal, Portugal, Portugal, Portugal, Portugal, Portugal, Portugal, Portugal, Portugal

BE acusa António Costa de dar milhões à Galp em vez da lição que prometeuO deputado do BE Nelson Peralta acusou o primeiro-ministro de ter prometido uma “lição exemplar” à Galp e não a ter dado, estando sim a preparar-se para lhe dar milhões para descontaminar solos da refinaria de Matosinhos.

Eleições estão em aberto mashá muitas razões para uma certa fadiga de António Costa - CNN PortugalCNN Portugal. O canal de informação, com uma cultura multiplataforma, que acompanha, em tempo real e em diversos meios, os acontecimentos que marcam o país e o mundo. Rennie

António Costa vota antecipadamente no Porto no dia 23O secretário-geral do PS inscreveu-se este domingo para poder votar antecipadamente no próximo dia 23, no Porto, e pediu a mobilização dos eleitores para que se ultrapasse o que diz ser uma das crises políticas \u0027mais perigosas\u0027 da democracia portuguesa.\r\n

António Costa vulnerabilizou-se muito no debate com Rui Rio - CNN PortugalCNN Portugal. O canal de informação, com uma cultura multiplataforma, que acompanha, em tempo real e em diversos meios, os acontecimentos que marcam o país e o mundo. Tudo a caminhar para o mesmo

Legislativas: António Costa diz que um político não afirma a sua credibilidadecom...É com mentiras 🤡 Prefiro as graçolas de Rui Rio, às aldrabices do Costa... Exacto

António Costa diz que um político não afirma a sua credibilidade 'com graçolas''Eu acho que o dr. Rui Rio tinha obrigação de saber o que era o voto antecipado', atirou o secretário-geral do PS. E com escutas? A destruir Portugal desde 1974! Então porque é que apresentou esta comédia de programa?

Inês André Figueiredo André Ventura já tem as luvas de boxe calçadas para o debate:"Se me atacarem, o ringue estará aberto" André Ventura, no final de uma arruada na Sertã, em que participaram cerca de 60 pessoas, cerca de metade menores de idade, fez a antecipação do debate desta noite com todos os partidos. “Espero que seja um debate em que possamos apresentar mais propostas e debater temas e vou com essa expectativa, se me atacarem já sabem, o ringue estará aberto. Já levo as luvas postas e estou pronto para levar, mas tenho muitos golpes para dar logo à noite”, atirou o líder do Chega. Pouco antes, atirava-se em força ao CDS, acusando-o de se ter transformado numa “cópia do Chega” e de ter “acordado a poucos dias das eleições”. Ventura considera que o CDS “alinhou na história do politicamente correto como outros partidos” e que neste momento procura “voltar atrás e imitar o Chega”. “O CDS quis ser o PSD 2 com Assunção Cristas, quis tornar-se o partido em que não era carne nem peixe”, recorda. E acrescenta: “As pessoas já perceberam que há um original e uma cópia, o original é o Chega, a cópia é o CDS.” André Ventura volta a chamar Mário Soares — já Paulo Ralha o tinha feito no comício de Coimbra — para trazer uma frase popularizada pelo antigo Presidente da República: “Quando temos de escolher entre a cópia e o original, as pessoas escolhem sempre o original”, aponta o líder do Chega. 17/01 Rita Penela Em terra antifascista João Ferreira volta a atirar ao PS:"Está afastado da realidade" A caravana comunista rumou uma vez mais ao Couço, em Coruche, para agradecer o apoio das gentes “que nunca falham à CDU” e comprometer-se com os próximos tempos. O cabeça de lista por Santarém António Filipe abriu a intervenção dedicada à terceira idade — o que não era difícil de perceber olhando para as cadeiras ocupadas na Casa do Povo do Couço — a elogiar a “terra heroica” e a falar das “lutas do presente” que se fazem para impedir o encerramento de serviços essenciais. Naquilo que pode bem ser uma profecia, apresentado como “o camarada que vem a seguir”, João Ferreira fez um discurso de cerca de meia hora a lembrar as “conquistas” que a CDU conseguiu no Parlamento e a criticar alta voz os socialistas. “Tendo condições o PS não quis aumentar as pensões já em janeiro. Mesmo estando em duodécimos era possível”, diz João Ferreira enquanto falava para a população envelhecida do Ribatejo. Nas críticas aos socialistas, diz Ferreira que o PS está em total “afastamento em relação à realidade dos trabalhadores, pensionistas e reformados” e que “não faz ideia das dificuldades que as populações passam”. E como a idade também é sinónimo de maiores carências na área da saúde, os comunistas lembram o encerramento do atendimento médico permanente na freguesia e a necessidade de percorrer vários quilómetros para ser atendido. “Os problemas do SNS não apareceram com a pandemia, agravaram-se com a pandemia”, frisou o candidato comunista a fazer as vezes de secretário-geral. Aqui, no Couço, em 2019 a CDU foi a primeira força política conquistando 600 votos (o PS em segundo teve 460). Em 2015 tinha conseguido 839 e o PS 439. O número de inscritos de um sufrágio para o outro desceu cerca de 3 centenas e a adesão foi também menor em 2019. Agora, a CDU assinala mais uma passagem na freguesia para não deixar escapar votos. 17/01 João Francisco Gomes Em Évora, Francisco Rodrigues dos Santos atira ao PAN — a"brigada do tofu" — e assume-se como verdadeiro defensor do mundo rural Depois de uma manhã em Portalegre marcada por críticas ao Chega e ao ex-ministro Eduardo Cabrita, o presidente do CDS, Francisco Rodrigues dos Santos, desceu até Évora para um almoço com militantes do partido — e para escolher como principal alvo dos seus ataques políticos o PAN. Num discurso perante cerca de 75 militantes e simpatizantes no restaurante do Museu de Arte Sacra de Évora, Francisco Rodrigues dos Santos mostrou-se “preocupado” com a abertura manifestada por PSD e Iniciativa Liberal relativamente a um possível entendimento governativo com o PAN. “O CDS não fará nenhum entendimento com o PAN”, garantiu Francisco Rodrigues dos Santos, arrancando fortes aplausos entre a plateia quando classificou o programa político do PAN como uma “agenda ditatorial” que quer “destruir quem trabalha no mundo rural”. Atacando duramente a “agenda animalista radical” do PAN, o líder do CDS acusou o partido de Inês de Sousa Real de querer “animalizar as pessoas e humanizar os animais”. Além disso, Rodrigues dos Santos disse que o PAN usa “preconceitos urbanos” quando fala do mundo rural e chegou mesmo a considerar o PAN um partido “terrorista” por querer impor as suas práticas aos trabalhadores rurais. “Se o mundo rural não planta, a cidade não come”, sintetizou Rodrigues dos Santos. O líder do CDS não poupou nas críticas ao partido que classificou ainda como “brigada do tofu” e como inimigo da caça. “O PAN ignora o óbvio”, disse, lembrando que “o caçador é o principal interessado em manter as espécies”. Quanto à tourada, outro tópico sensível, Rodrigues dos Santos repetiu um argumento matemático antigo: há 3 milhões de aficionados em Portugal, enquanto o PAN só teve 175 mil votos. “Ser do CDS nestas zonas do país é um ato revolucionário”, atirou Rodrigues dos Santos no fim da sua intervenção, lembrando que um voto no CDS vai levar um eventual governo PSD “por bons caminhos”. No discurso em Évora, além de repetir os argumentos usados em Portalegre quanto à segurança, multiplicou-se também em elogios à candidata centrista pelo distrito, a reitora da Universidade de Évora, Ana Costa Freitas. “Fomos convidar uma das personalidades mais marcantes da sociedade eborense”, descreveu, salientando o “mérito, currículo e provas dadas da académica”. O líder dos centristas disse, ainda, esperar que aqueles que criticam os partidos políticos por não valorizarem o mérito nas escolhas dos seus protagonistas saibam reconhecer o valor da opção do CDS em Évora. 17/01