Eles poluem e a fatura quem paga?

Eles poluem e a fatura quem paga?

03/12/2021 04:13:00

Eles poluem e a fatura quem paga?

Em meu entender, o princípio do poluidor-pagador tem sido utilizado de forma subversiva. Os custos externos da poluição são um encargo enorme e os poluidores continuam, na sua maioria, a não pagar por estes custos.

– muitas oportunidades estão a ser perdidas no sentido de responsabilizar os poluidores da UE e, em meu entender, este princípio tem sido utilizado de forma subversiva.Se compararmos os custos ambientais externos, associados à poluição atmosférica e GEE, poluição da água, tratamento de resíduos, escassez de água e perda de biodiversidade, com as receitas geradas por esses setores através de impostos e outros instrumentos económicos, concluímos que de facto os poluidores não estão a ser obrigados a pagar na totalidade as consequências dos seus atos.

Morreu o músico e ator Meat Loaf

No caso da poluição atmosférica e GEE estes dados são ainda mais evidentes: os custos externos rondam os 720 mil milhões de euros por ano, mas apenas 44% deste valor é internalizado, ou seja, há cerca de 403 mil milhões que se perdem anualmente. Não podemos permitir que as pessoas e famílias contribuam mais em receitas em relação aos custos da sua poluição atmosférica e GEE do que setores que continuam a permanecer intocáveis como a agricultura e pecuária.

Ao invés de instrumentos ineficazes como os mercados de licenças de emissão (que não resultam em reduções efetivas na poluição), mostra-nos este estudo as várias alternativas de instrumentos económicos que, havendo vontade política, podem sim resultar numa maior internalização dos custos ambientais e em benefícios macroeconómicos positivos para a economia, nomeadamente no PIB, no emprego e nos rendimentos das famílias. headtopics.com

Consulte Mais informação: Jornal Económico »

Decisão 22: o confronto entre Catarina Martins e Cotrim Figueiredo na íntegra - CNN Portugal

CNN Portugal. O novo canal de informação, com uma cultura multiplataforma, propõe-se a acompanhar, em tempo real e em diversos meios, os acontecimentos que marcam o país e o mundo.

Viver em Pandemia - a covid-19 e os (nossos) miúdosNão se deve desvalorizar os sentimentos de uma criança, com “um são crianças” ou um “não entendem nada disto” ou “isto não os afeta, não percebem”.

Os processos em que Pinto da Costa já esteve envolvidoNão é a primeira vez que o presidente do Futebol Clube do Porto é associado a investigações criminais, sendo o processo Apito Dourado o mais mediático.

Inflação na OCDE sobe para 5,2% em outubro, um máximo em quase 25 anosNa zona euro, onde se inclui Portugal, o ritmo de aumento da inflação foi superior, mas para um valor inferior ao verificado no conjunto dos 38 países da OCDE, registando-se uma progressão e 0,7 pontos percentuais, para 4,1%.

GNR descobre mulher colocada em cativeiro pelo marido em GondomarAutoridades judiciárias optaram por fixar para o suspeito medidas de coação não privativas de liberdade.

Preços na produção industrial na zona euro e UE mantêm em outubro trajetória em altaNa variação homóloga, os preços na produção industrial aumentaram em todos os Estados-membros, com as maiores subidas registadas na Irlanda (89,9%), Dinamarca (39,8%) e Bélgica (34,5%).

Empréstimos concedidos a particulares caem em outubro, em contraciclo com créditos a empresasOs juros dos créditos a particulares e a empresas subiram face a setembro. Já os depósitos, tanto de particulares como de empresas, cresceram em outubro face ao mês anterior, apesar de as taxas de juro se manterem em mínimos históricos, de acordo com dados do Banco de Portugal divulgados esta quinta-feira