Dos gabinetes altos e húmidos

Opinião: Dos gabinetes altos e húmidos

Opinião, Administração Pública

06/12/2021 08:46:00

Opinião : Dos gabinetes altos e húmidos

O Estado precisa de pessoas competentes que não fiquem reféns do emaranhado dos decretos e portarias e estejam dispostas a procurar soluções no quadro legal.

Receber alertasO Programa Revive é o Estado e a Administração Pública a funcionarem como nós gostaríamos que funcionassem sempre. Nem parece verdade, mas é verdade.Como é possível que uma iniciativa do Estado, que envolve vários ministérios, em colaboração com autarquias locais e a coordenação do Turismo de Portugal, consiga de forma célere promover e agilizar a reabilitação e valorização de património público que se encontra devoluto, através da concessão a privados da sua exploração por concurso?

O elefante de peluche, as acusações de fraude e a recusa em fazer um teste. Como o negacionismo tomou conta do debate dos pequenos partidos

Os detratores, do quadro de maledicência definitiva, dirão que este programa não é original, mas apenas uma réplica ou continuidade do velho programa Pousadas de Portugal. Sim, até pode ter alguma influência, mas o certo é que resolveu um nosso problema antigo de um solar setecentista de Paredes de Coura que se deteriorava de ano para ano, sem fim à vista.

A partir do momento quedecidimos integrar o Solar Casa do Outeiro neste programa, tudo aconteceu de forma rápida, porque contámos com a ajuda e o pragmatismo de todos os parceiros da administração pública. Na cerimónia de Paredes de Coura, Teresa Monteiro, do Turismo de Portugal, adiantou que as 20 concessões adjudicadas, desde do arranque do programa em 2016, representaram um investimento privado estimado em cerca de 149,5 milhões de euros e rendas anuais para o Estado na ordem dos 2,5 milhões de euros.  headtopics.com

Isto só foi possível, porque, como disse a secretária de Estado do Turismo, Rita Marques, os privados têm confiança na estratégia seguida, bem como no futuro do setor. E têm confiança, porque toda a gente que está envolvida neste programa coopera, trabalha e arregaça as mangas sem ter medo de exercer as suas competências.

Covid-19: Pfizer diz que testou com sucesso tratamento oral contra Ómicron - SIC Notícias

O Estado precisa de pessoas competentes que não fiquem reféns do emaranhado dos decretos-lei e das portarias e estejam sempre dispostas a exercer o poder e a procurar soluções dentro do quadro legal. Se ninguém quiser correr riscos e não mexer muito para não cometer erros, então não nos restará mais do que um Estado distante, solitário, lento e ineficiente com o seu escol acomodado e entrincheirado com medo de fazer, enquanto se espera pela reforma ou por uma promoção por serenidade profissional.

Precisamos, pois, de um Estado que decida. De governantes pragmáticos, com capacidade de decisão, e de administradores e diretores diligentes que não se refugiem na eterna mediocridade irónica do “eles vêm e vão e nós continuamos cá”. Sim continuam lá, à espera do final do dia, enquanto cheiram os fungos dos gabinetes altos e húmidos. Porque diz a tradição que o sossego e a falta de movimento reduzem, substancialmente, o erro ou a probabilidade de arranjar problemas. 

Precisamos de administradores e diretores que não se refugiem na mediocridade irónica do “eles vêm e vão e nós continuamos cá”. Sim, continuam lá, à espera do final do dia, enquanto cheiram os fungos dos gabinetes altos e húmidos headtopics.com

Autoridade Tributária distinguida como 'marca do mês' com satisfação de 87,2% dos cidadãos

Partilhar citaçãoPartilhar no TwitterO Programa Revive é um exemplo da boa administração pública. É um bom exemplo de velocidade institucional e de cooperação na procura de novas soluções jurídicas que facilitam a regulação e inclusão de mais intervenientes, em articulação com o Estado, garantindo assim a promoção do desenvolvimento económico e cultural do país através da recuperação do património.

Se não tivermos esta consciência, a degradação institucional, burocrática e silenciosa da administração pública continuará a alimentar a contestação social, num mundo em mudança em que reformar é cada vez mais difícil. Quanto mais tempo demorarmos, mas exigentes e difíceis serão as reformas. Melhorar o desempenho institucional, através da criação de programas que estimulem a economia e criem riqueza, é o grande desafio. O Revive é um bom exemplo de como o sector público trabalha bem, rapidamente, e em parceria com os privados. Quando é assim o país agradece.

O autor escreve segundo o novo acordo ortográficoPresidente da Câmara de Paredes de CouraLeia os artigos que quiser, até ao fim, sem publicidade

Consulte Mais informação: Público »

O debate entre António Costa e Jerónimo de Sousa na íntegra - CNN Portugal

CNN Portugal. O novo canal de informação, com uma cultura multiplataforma, propõe-se a acompanhar, em tempo real e em diversos meios, os acontecimentos que marcam o país e o mundo.

Ben Wilson: 'As cidades são produto dos seus desastres tanto quando dos seus sucessos'

Greve de cinco dias com ”expressiva adesão”, diz Sindicato dos Trabalhadores dos ImpostosO STI congratulou-se com a 'expressiva adesão' dos trabalhadores dos impostos e alfândegas à greve de cinco dias e pretende reavaliar dia 15 a continuidade dos protestos.

António Portela pede mais ambição aos empresários e descida de impostos ao EstadoEm entrevista ao Negócios e à Antena 1, o CEO da Bial pede uma redução de impostos sobre as empresas, mas deixa o ónus do crescimento do país nos empresários, defendendo que devem ser menos dependentes de subsídios.

Secretário de Estado ″muito preocupado″ com tendência crescente da pandemiaO secretário de Estado Adjunto e da Saúde, António Lacerda Sales, disse estar muito preocupado com a 'tendência crescente' da pandemia de covid-19 em Portugal, que este domingo registou mais 23 mortos e 3.786 infeções. Qual é a comissão que recebe das farmacêuticas?

Ameaça da Polónia e Hungria ao Estado de direito na Europa debatida em LisboaA forma como o posicionamento da Polónia e da Hungria ameaça “valores fundamentais” da União Europeia vão estar em debate em Lisboa na próxima semana. Debates para passeio de políticos. Alguém está a pensar na expulsão da Polónia e da Hungria da União Europeia? Entradas de leão, saídas de cendeiro. E o debate sobre o estdo de direito em Portugal, para quando?

Dona do Amoreiras exige nove milhões ao EstadoA Mundicenter, que tem nove centros comerciais em Portugal, apresentou cinco ações contra o Estado a propósito da lei das rendas, que no ano passado isentou os lojistas de pagamento.