Wall Street Journal, Tiktok, Bytedance, China, Zhang Yiming

Wall Street Journal, Tiktok

Dona do TikTok passou de lucro a prejuízo de 2,1 mil milhões em 2020

A ByteDance, a empresa dona da aplicação TikTok, avançou aos trabalhadores que as receitas mais do que duplicaram no ano passado

17/06/2021 14:57:00

A ByteDance, a empresa dona da aplicação TikTok, avançou aos trabalhadores que as receitas mais do que duplicaram no ano passado

A ByteDance, a empresa dona da aplicação TikTok, avançou aos trabalhadores que as receitas mais do que duplicaram no ano passado. Ainda assim, a empresa passou de lucro em 2019 até um prejuízo de 2,1 mil milhões de dólares no ano passado.

...A ByteDance, que detém a aplicação de vídeos curtos TikTok, enviou aos trabalhadores informações sobre os resultados financeiros no ano passado. Meios como o Wall Street Journal, a CNBC ou a Bloomberg avançaram estes resultados, com um porta-voz da empresa a confirmar à Bloomberg a veracidade destes números.

Ex-piloto espanhol negacionista e antivacina internado em UCI com covid-19 Marcelo promulga diploma que dá maior proteção a menores em casos de violência doméstica Marcelo condecora CGTP com título de Membro Honorário da Ordem do Infante D. Henrique

Em 2020, a empresa atingiu receitas de 34,3 mil milhões de dólares (28,74 mil milhões de euros), uma subida de 111% face a 2019, cita a CNBC. A ByteDance terá comunicado aos trabalhadores que o lucro bruto disparou 93% em 2020 para os 19 mil milhões de dólares (cerca de 16 mil milhões de euros).

A empresa chinesa registou, no entanto, um prejuízo líquido de 2,1 mil milhões de dólares, o equivalente a 1,76 mil milhões de euros. Em 2019, a dona do TikTok obteve um lucro líquido de 684 milhões de dólares (573 milhões de euros). Aos funcionários, a empresa justificou que estas perdas entre janeiro e dezembro resultaram de despesas mais elevadas ligadas às compensações de ações a atribuir aos funcionários, refere o WSJ. headtopics.com

Leia TambémCEO da dona do TikTok abandona liderança para se concentrar noutras atividadesNo ano passado, a ByteDance viu a popularidade do TikTok disparar, muito impulsionada pelos confinamentos em vários países para conter a propagação da covid-19. Mas a empresa é dona de outros produtos, como o agregador de notícias Toutiao, por exemplo. Também o número de utilizadores da Douyin, a versão do TikTok que está disponível apenas para a China, continua a crescer. No total, juntando todos os produtos, a ByteDance contabilizava em dezembro 1,9 mil milhões de utilizadores mensais nos diferentes produtos.

Ao mesmo tempo em que são conhecidos os resultados financeiros da ByteDance, crescem os rumores de que a empresa estará a preparar-se para uma oferta pública inicial (IPO, em inglês).Além disso, a ByteDance enfrenta também um escrutínio crescente no mercado chinês, com o regulador a apertar o cerco a mais de uma centena de aplicações e serviços. No mês passado, o fundador e até então CEO da empresa, Zhang Yiming, anunciou que vai abandonar a liderança da tecnológica. De acordo com a agência Reuters, o anúncio terá surpreendido na altura os empregados da companhia, principalmente devido à justificação apresentada.

Leia TambémCom 38 anos, fundador do TikTok mira fortuna de 60 mil milhõesYiming indicou sentir que não tem as competência sociais necessárias para liderar a empresa, num momento em que o escrutínio e a atenção dada à atividade da ByteDance tem crescido em diversas geografias. Recorde-se ainda que, no verão do ano passado, a aplicação de vídeos curtos TikTok esteve no centro de uma batalha geopolítica entre os Estados Unidos e a China.

Entretanto, com a mudança de ocupante na Casa Branca, Joe Biden revogou, no arranque deste mês, a ordem executiva que visava o TikTok e também o WeChat, mas manteve o escrutínio a aplicações e serviços que possam representar algum risco à segurança do país. headtopics.com

″Homem-aranha″ detido por assaltar igrejas de Tondela Marcelo envia para o Constitucional consulta à revelia do juiz de e-mails apreendidos Jennifer Aniston diz que cortou relações com pessoas que não se queriam vacinar contra a Covid-a19

Além dos contratempos nos EUA, a aplicação já passou por períodos de suspensão noutros países, como foi o caso da Índia, Indonésia e Paquistão.Leia TambémChina segue EUA e Europa no aperto às gigantes da tecnologia

"Estou mais interessado na análise da organização e princípios de mercado e em utilizar estas teorias para reduzir os trabalhos de gestão em vez de estar efetivamente a gerir pessoas", era possível ler no memorando enviado aos empregados, ao qual a Reuters teve acesso em maio."Ao mesmo tempo, não sou muito sociável, preferindo atividades mais solitárias como estar online, ler, ouvir música ou contemplar outras possibilidades."

Consulte Mais informação: Jornal de Negócios »

Um quinto dos utilizadores do TikTok passa 5 horas diárias ligado a esta rede socialUm quinto dos utilizadores do TikTok passa cinco horas por dia ligado a esta rede social que, em 2020, os cativou durante mais de 21 horas por mês, contra 17 horas do Facebook, segundo um estudo divulgado esta terça-feira Se não tratarem de ganhar a vida não há rede social que os sustente.

Estudo diz que um quinto dos utilizadores do TikTok passa cinco horas diárias na rede socialEstudo da agência de marketing SocialPubli destaca a comédia e os vídeos de dança, seguidos de tutoriais e desafios.

Estrela de TV fica cega e com cicatrizes após experimentar ‘truque’ de beleza do TikTokInsólitos - Estrela de TV fica cega e com cicatrizes após experimentar ‘truque’ de beleza do TikTok

Lucros da Oracle sobem para quatro mil milhões de dólares no quatro trimestreO resultado líquido aumentou 29% face ao mesmo período de 2020. A tecnológica norte-americana registou ainda uma receita operacional de 4,5 mil milhões de dólares (3,7 mil milhões de euros).

Portugal paga taxas mais altas, em terreno negativo, para emitir 1.250 milhões a três e 11 mesesO IGCP emitiu 500 milhões de euros em dívida com prazo em setembro de 2021 e 750 milhões com maturidade em maio do próximo ano.

Para trás?Quatro mil milhões de pessoas usam no mundo smartphones.