DGS volta a exigir caixão fechado em funerais de vítimas de Covid-19 um ano depois - Renascença

DGS volta a exigir caixão fechado em funerais de vítimas de Covid-19 um ano depois

23/01/2022 20:40:00

DGS volta a exigir caixão fechado em funerais de vítimas de Covid-19 um ano depois

Em fevereiro do ano passado, a instituição liderada por Graça Freitas referia que no funeral a família o desejar, e existirem condições para isso, “pode permitir-se a visualização do corpo”.

Na nova norma em vigor lê-se também que na cerimónia fúnebre/funeral deve ser observado, sempre que possível, o distanciamento físico de segurança de um metro e meio entre pessoas, evitando qualquer contacto físico.

E ainda aconselhado que as pessoas dos grupos mais vulneráveis, tais como idosos, doentes crónicos, doentes imunodeprimidos e grávidas, assim como as pessoas com sintomas respiratórios agudos devem abster-se de participar em funerais.

Consulte Mais informação: Renascença »

Mortalidade por Covid-19 aumenta quase 50% numa semana - RenascençaAs 'linhas vermelhas' referem ainda que proporção de testes positivos para a Covid-19 nos últimos sete dias foi de 15,5%, quando tinha registado 14,0% na semana anterior, valor que continua acima do limiar dos 4,0% e com tendência crescente.

Covid-19 adia Benfica – Leixões de voleibol - RenascençaNão está ainda definida a nova data para o encontro.

Covid-19:Madeira regista cinco mortos e mais 1.583 casos

Filho bebé de Dália Madruga está infetado com Covid-19: 'O bicho chegou cá a casa...'Esta sexta-feira, dia 21 de janeiro, Dália Madruga recorreu às redes sociais para comunicar aos seguidores que o filho mais novo, Joaquim, de cinco meses e o

Bélgica põe fim a restrições após dar por controlada a propagação da covid-19 - SIC NotíciasPaís segue os passos da Irlanda, que esta sexta-feira também decidiu levantar várias restrições. “...coligação entre centristas, democratas-cristãos e ecologistas.” 😂 Quem são as democratas-cristãos na coligação Irlandês?! Não existem. Ora aí está. Vamos mas é Viver ... Antes da pandemia tínhamos medo de morrer hoje temos medo de viver. Não pode ser. Está na hora de seguirmos a nossa vida . A morte está certa e essa é garantida.

Maiores de 50 anos já podem receber reforço da vacina Covid-19 em modalidade 'Casa Aberta'Portugal - Maiores de 50 anos já podem receber reforço da vacina Covid-19 em modalidade 'Casa Aberta'

Ver mais Na nova norma em vigor lê-se também que na cerimónia fúnebre/funeral deve ser observado, sempre que possível, o distanciamento físico de segurança de um metro e meio entre pessoas, evitando qualquer contacto físico. E ainda aconselhado que as pessoas dos grupos mais vulneráveis, tais como idosos, doentes crónicos, doentes imunodeprimidos e grávidas, assim como as pessoas com sintomas respiratórios agudos devem abster-se de participar em funerais. A DGS aconselha ainda que numa mesma localidade ou cemitério, os funerais devem ser espaçados no tempo, para evitar aglomeração de pessoas e/ou paragens nos acessos. Em declarações ao JN, Carlos Almeida, presidente da Associação Nacional de Empresas Lutuosas (ANEL), considera que a"única" alteração da atualização é obrigatoriedade de a urna estar sempre fechada. Na maioria dos funerais, assegura, essa já era a prática recomendada, através de um caixão com um visor. No entanto, era um conselho que podia ser recusado. Ou seja, sublinhou, a DGS"veio dar-nos razão". Com o aumento de número de casos em Portugal, agora situado acima das 50 mil infeções, também a mortalidade por covid-19 voltou a subir. Ainda assim muito longe dos piores registos desta pandemia há um ano, em janeiro de 2021. Tópicos