Danish Cases — A caixa de Pandora | Jornal Económico & EY

Danish Cases — A caixa de Pandora

05/08/2020 02:04:00

Danish Cases — A caixa de Pandora

Muito se tem falado e escrito acerca dos Danish Cases (como vulgarmente são chamados) e das implicações que daí poderão resultar em sede de tributação internacional. No entanto, este está longe de ser um tema resolvido, tendo resultado em mais questões (e incertezas) do que respostas (e certezas).

Desde que foram divulgadas, em fevereiro de 2019, estas decisões criaram uma grande pressão na necessidade de os investidores revelarem substância económica e propósito das estruturas corporativas de investimento, assim como demonstrarem o preenchimento do conceito de beneficiário efetivo. Este artigo pretende analisar brevemente as razões desta reação por parte dos agentes económicos.

O debate caótico em que Biden acusou Trump de ser “o pior presidente da história” Trump pode perder, mas os seus eleitores ficam FarmVille encerra a 31 de Dezembro. Acabaram-se as quintas virtuais no Facebook

Por um lado, a maioria das legislações internas dos Estados Membros estão longe de conseguir dar resposta a como se devem interpretar os conceitos acima referidos. Escudam-se com regras abstratas e que apenas podem fornecer indícios que levam a entendimentos dúbios e não consensuais (e com possíveis múltiplas interpretações), com a consequência natural de litígios entre sujeitos passivos e administrações tributárias.

Por outro lado, e na falta de normativo consistente sobre estas temáticas, são os próprios tribunais domésticos, na tentativa (infrutífera) de darem resposta a estas questões, a criar maior insegurança no espírito dos contribuintes. Veja-se o exemplo de Espanha e Itália.

Em outubro de 2019, o Tribunal Económico Administrativo Central Espanhol e o Supremo Tribunal Italiano emitiram decisões no sentido de negar a isenção de retenção na fonte no pagamento de juros e dividendos (uma delas que foi conhecida apenas muito recentemente) nomeadamente com base no não preenchimento do conceito de beneficiário efetivo e ainda, no caso do Supremo Tribunal Italiano, pelo facto da entidade beneficiária dos rendimentos não se encontrar sujeita a tributação destes rendimentos na jurisdição de residência.

No entanto, em outra decisão emitida pelo Supremo Tribunal Italiano no início de 2020, este veio permitir a acionistas não residentes a aplicação da taxa de retenção na fonte prevista na lei doméstica à data, relativamente a acionistas que não se encontravam sujeitos a imposto no país de residência. Mais tarde, o tribunal reverteu a sua posição novamente para uma interpretação mais restritiva.

Aliás, mesmo no âmbito dos Danish Cases, as conclusões da advogada geral não foram seguidas pelo tribunal, demonstrando a inconsistência que estas temáticas representam.Urge, pois, que os Estados Membros tomem uma posição concertada e definitiva sobre estas questões, sob pena de as temáticas fiscais, ao invés de acompanharem, de forma neutral, os negócios, subirem ao pódio na hierarquia das preocupações dos investidores.

Consulte Mais informação: Jornal Económico »

Papa emérito Bento XVI gravemente doente, diz biógrafoBento XVI sofre de uma infeção por herpes zoster no rosto desde seu regresso a Roma no final de junho, depois de visitar o irmão, avança o jornal 'Passauer Neue Presse'

Ministro da Defesa diz que Força Aérea já começou a sair da base do Montijo, mas Estado ainda não recebeu os 100 milhões da ANAEm entrevista ao Jornal de Negócios, publicada esta terça-feira, João Cravinho adianta também que Governo quer criar uma escola de pilotos militares de aviões a jato em Beja

Juan Carlos está na República DominicanaDepois de ter decidido sair de Espanha, o rei viajou, este fim de semana, para Sanxenxo. Em seguida, seguiu para a cidade portuguesa do Porto, onde apanhou um avião até ao aeroporto de Santo Domingo - na República Dominicana. Veio à festa da taça carago!

Juan Carlos está na República DominicanaInformação avançada pelo jornal espanhol ABC. Então? Não ficou em Cascais? O tempo não estava de feição? Fiquei desapontada. foi de férias par o calor , e vai curtir uma temporada la , um Rei k foi fundamental para Espanha ser o k é hoje os activistas deste canal transformaram isto mm numa palhaçada , então expropriam casas na zona velha para as venderem aos árabes !!!

83% das inspecções do Fisco não resultaram em correções de impostosAposta em ações de prevenção é defendida pela Autoridade Tributária mas criticada pelo sindicato do sector, que ao jornal Público pede mais tempo para a “investigação criminal”

Da mudan\u00e7a de paradigma \u00e0s quest\u00f5es por responder. Painel do “Jogo Econ\u00f3mico” analisa regresso de Jesus