Renault, Automóvel

Renault, Automóvel

Crise dos chips leva Renault a cortar previsões para a produção este ano

A fabricante francesa vai produzir menos perto de 500 mil automóveis - o equivalente a quase um quinto da produção no ano passado - devido à falta de componentes

22/10/2021 11:25:00

A fabricante francesa vai produzir menos perto de 500 mil automóveis - o equivalente a quase um quinto da produção no ano passado - devido à falta de componentes

A fabricante francesa vai produzir menos perto de 500 mil automóveis - o equivalente a quase um quinto da produção no ano passado - devido à falta de componentes.

A Renault vai produzir muito menos carros este ano do que previa. E tudo por causa de um agravamento da crise dos"chips" a nível global. As previsões foram divulgadas pela fabricante francesa esta sexta-feira. A Renault vai produzir menos perto de 500 mil automóveis - o equivalente a quase um quinto da produção no ano passado - devido à falta de componentes, revelou a empresa, citada pela Bloomberg. Antes, previa que esta quebra rondasse os 200 mil carros. 

Covid-19: 70% dos internados nos cuidados intensivos em Lisboa não estão vacinados Rui Moreira anuncia cancelamento das festas de fim de ano no Porto Legislativas: BE admite apoiar uma maioria que melhore a vida do país

Apesar da crise dos semicondutores, que está a atingir as marcas a nível mundial e a forçar ao encerramento de fábricas e atrasos na apresentação de novos modelos, a fabricante automóvel manteve as previsões para as margens e para o"

free cash flow" para o total do ano.Em julho, o CEO da Renault, Luca de Meo, dizia esperar que a crise dos"chips" aliviasse na segunda metade do ano. Já esta sexta-feira, a empresa alertou para a"visibilidade reduzida" para o resto do ano.  headtopics.com

Leia TambémFalta de chips ameaça ano ainda pior que 2020 para o setor automóvelA disponibilidade de semicondutores"tem sido pior do que o esperado", disse Clotilde Delbos, CFO da Renault, numa conversa com analistas, notando que a"informação que recebemos dos fornecedores é muito pouco confiável".

Também este mês, a Toyotaanunciou uma redução de cerca de 15% ou 150.000 veículos na produção de novembro devido à escassez global de"chips".Por cá, tal como avançou o Público, a produção nacional de carros estava a cair 20% no fim de setembro. 

Consulte Mais informação: Jornal de Negócios »

O Futuro do PSD

Escolhemos seis questões que determinam o futuro do PSD e sobre elas questionámos os dois candidatos a presidente do partido, que será eleito a 27 de Novembro

Tiago Barroso: ″Everis NTT Data Portugal vai contratar 500 pessoas, a maioria fora da Grande Lisboa″A Everis NTT Data Portugal vai promover 15 novos polos de conhecimento no país. Tiago Barroso, diretor-geral, revela ao DN que o plano arranca em Braga e Castelo Branco e explica por que razão a empresa muda de nome hoje.

Tiago Barroso: ″Everis NTT Data Portugal vai contratar 500 pessoas, a maioria fora da Grande Lisboa″A Everis NTT Data Portugal vai promover 15 novos polos de conhecimento no país. Tiago Barroso, diretor-geral, revela ao DN que o plano arranca em Braga e Castelo Branco e explica por que razão a empresa muda de nome hoje.

António Costa promete medidas para enfrentar crise energética até ao final da semanaEstas soluções 'têm de ser de natureza transitória', sustentou o primeiro-ministro, para não comprometer 'aquilo que é o objetivo fundamental de enfrentar' as alterações climáticas. Hehehehe fakenews As vacas estão a aterrar!

''Ainda não estamos livres do chumbo do Orçamento e da crise política”José Gomes Ferreira e Bernardo Ferrão analisam a situação política e económica no país. O 1⁰ ministro antoniocostapm vai dar a volta a isso. A todo momento é aguardado por um acordo ou vence nas urnas e aprova o OE2022.

Marcelo assinala ″escolhas políticas″ para enfrentar crise energéticaO Presidente da República assinalou, esta quarta-feira, que a política fiscal em relação aos combustíveis fósseis corresponde a 'escolhas políticas' para enfrentar uma situação de aumento de preços da energia que, advertiu, se pode eventualmente prolongar.

Costa promete novas medidas para a crise energética até ao final da semanaExecutivo diz estar a trabalhar com a Associação Nacional de Transportadores Públicos Rodoviários de Mercadorias (ANTRAM) e com a Associação Nacional de Transportes de Passageiros (ANTROP) para encontrar soluções.