Covid-19: OMS pede perd\u00e3o da d\u00edvida para pa\u00edses vulner\u00e1veis evitarem colapso

01/04/2020 22:44:00
Covid-19: OMS pede perd\u00e3o da d\u00edvida para pa\u00edses vulner\u00e1veis evitarem colapso

Covid-19: OMS pede perdão da dívida para países vulneráveis evitarem colapso

01 Abril 2020, 20:43A Organização Mundial de Saúde (OMS) apelou esta quarta-feira à comunidade internacional para perdoar a dívida dos países mais vulneráveis, que arriscam o colapso económico por causa da pandemia da covid-19.

DR Jonathan Nackstrand/AFP via Getty ImagesO diretor-geral da OMS, Tedros Ghebreyesus, afirmou que a organização faz este apelo em conjunto com o Banco Mundial e com o Fundo Monetário Internacional para que se “acelere o processo de apoio” a esses países para proteger as suas economias da crise.

Consulte Mais informação: Jornal Económico »

A China enquanto 'criadora' deste maldito monstro que pague os prejuízos que está a causar. Regime oportunista, que ainda está a ganhar e a gozar na nossa cara!😾

Há vida (e mortes) para além da covid-19É imperativo concentrar esforços no combate à pandemia por SARS-CoV-2, mas não podemos permitir que o vírus infete o Serviço Nacional de Saúde e o impeça de cumprir a sua função global. Os desafios são grandes e as escolhas são difíceis, mas há doen

Covid-19: França propõe criação de Fundo Europeu para apoiar retoma económicaA solidariedade europeia em tempos de crise.

Prisões federais dos EUA isolam 170 mil detidos para travar o surto de Covid-19O surto do novo coronavírus está a espalhar-se rapidamente em 122 estabelecimentos prisionais Estados Unidos.

Covid-19: principais ligas europeias têm até 3 de Agosto para terminarem campeonatos

Covid-19: principais ligas europeias têm até 3 de Agosto para terminarem campeonatosCoronavírus: Covid-19: principais ligas europeias têm até 3 de Agosto para terminarem campeonatos Cada equipe escolhe um capitão e jogam os respectivo jogos numa consola 😂

Covid-19: António Costa pede esforço reforçado em mês decisivoDecreto do estado de emergência é votado esta quinta-feira na Assembleia da República.

Orbán queria limitar poder dos autarcas, mas acusado de dificultar combate à covid-19 recuouO primeiro-ministro húngaro apresentou uma lei que retirava poderes aos presidentes de câmara (alguns deles da oposição) no combate ao coronavírus. Mas voltou atrás num momento em que está a receber duras críticas da Europa.

Jornal Económico com Lusa 01 Abril 2020, 20:43 A Organização Mundial de Saúde (OMS) apelou esta quarta-feira à comunidade internacional para perdoar a dívida dos países mais vulneráveis, que arriscam o colapso económico por causa da pandemia da covid-19.ças para tratar, para além da covid-19.187 mortos e 8.Amor e família em tempos de Covid-19 e isolamento Todos os detidos nas prisões federais dos EUA, cerca de 170.

DR Jonathan Nackstrand/AFP via Getty Images O diretor-geral da OMS, Tedros Ghebreyesus, afirmou que a organização faz este apelo em conjunto com o Banco Mundial e com o Fundo Monetário Internacional para que se “acelere o processo de apoio” a esses países para proteger as suas economias da crise. “Muitos países em desenvolvimento não conseguem apoiar as suas sociedades”, especialmente agora, quando estão sujeitas a medidas de restrição de movimentos que afetam todo o tecido económico e social. Continuar a ler. Ter que ficar em casa para não ser contagiado e não contagiar tem “consequências para os mais pobres e mais vulneráveis” socialmente. São mais 27 óbitos e 808 infetados em relação a ontem. O diretor-geral da OMS destacou medidas tomadas pelo governo indiano, que aprovou um pacote de “24 mil milhões de dólares” em apoio social, incluindo alimentos grátis para 800 milhões de pessoas e fornecimento gratuito de gás para cozinhar durante três meses. “Para muitos países em desenvolvimento, será difícil programas de apoio social desta natureza. "Por um período de 14 dias, os detidos de cada estabelecimento permanecerão nas suas celas, para retardar a propagação do vírus", disse o Departamento Federal de Prisões, num comunicado.

Para esses países, o perdão da dívida é essencial” para que consigam “tomar conta da sua população e evitar o colapso económico”, defendeu. Direto. Tedros Ghebreyesus salientou que “nos próximos dias”, atingir-se-ão as barreiras de um milhão de pessoas infetadas e 50.000 mortes provocadas pelo novo coronavírus. O responsável máximo da OMS notou que nas últimas cinco semanas houve um “crescimento quase exponencial” na expansão da pandemia, que afeta agora “quase todos os países, territórios e áreas” do planeta. Cuidados básicos que a OMS tem recomendado desde o início da pandemia para conter o contágio, como a lavagem frequente das mãos ou o distanciamento social, são dificuldades acrescidas para pessoas que vivem sem acesso livre a água potável ou em alojamento sem espaço. Desde o início da epidemia, que já infetou mais de 190.

Ghebreyesus saudou a instalação de postos de lavagem de mãos à entrada de edifícios públicos e estações de transportes adotada por alguns países. O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou perto de 866 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 43 mil. Em Portugal, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, registaram-se 187 mortes, mais 27 do que na véspera (+16,9%), e 8.251 casos de infeções confirmadas, o que representa um aumento de 808 em relação a terça-feira (+10,9%). Ler mais + Lidas + Partilhadas . As autoridades prisionais locais da Califórnia e de Nova Jersey já libertaram centenas de detidos, sob fiança.