Covid-19. Hospitais do Porto mantêm capacidade de resposta

Saúde: Covid-19. Hospitais do Porto mantêm capacidade de resposta

Saúde, Covid-19

25/01/2022 17:46:00

Saúde : Covid-19 . Hospitais do Porto mantêm capacidade de resposta

O São João tem tido nas últimas semanas “um incremento de profissionais infectados”, mas “sem nenhuma suspensão ou adiamento da actividade programada”.

Manuel RobertoOs hospitais de São João e Santo António, no Porto, não sentem ainda pressões no atendimento a pacientes com covid-19 e outras patologias, apesar de Portugal ter ultrapassado o nível crítico no indicador de avaliação da pandemia. No

estão internadas 114 pessoas com covid-19, 10 das quais crianças e oito grávidas, com 18 pessoas em Unidade de Cuidados Intensivos (UCI), avançou fonte do hospital à Lusa.Este hospital, o maior da região, tem tido nas últimas semanas “um

Consulte Mais informação: Público »

Covid-19: Há mais de 2.200 pessoas internadas nos hospitais portugueses

Número de internamentos dispara (COVID-19)A BOLA, toda a informação desportiva. Acompanhe todas as notícias do seu clube ou modalidade preferida, para onde quer que vá.

Covid-19 adia Benfica – Leixões de voleibol - RenascençaNão está ainda definida a nova data para o encontro.

Caixões fechados em funerais de vítimas de covid-19A Direção-Geral de Saúde voltou a atualizar a norma que regula os procedimentos 'post mortem', nomeadamente as regras dos funerais. A urna terá que estar obrigatoriamente sempre fechada. Metam os mortos a votar e aí já se abre a urna...para votar VALE TUDO Mais uma vez os portugueses ficam impedidos de se despedir dos entes queridos que partem para sempre, mas no entanto dia 30, nas mesas de voto podem conviver contagiados, positivos, negativos, sãos e os assim-assim. Sem problemas.

Covid-19: Manifestação contra vacinação e restrições em Bruxelas acaba em protestos - SIC Notícias Covid-19 : Manifestação contra vacinação e restrições em Bruxelas acaba em protestos Gente maluca O outro lado da notícia Com a presença de grupos portugueses e holandeses!

Covid-19: Portugal com mais 45.569 novos casos e 30 óbitos nas últimas 24 horas Portugal registou nas últimas 24 horas 45 569 novos casos de infeção por covid-19 e 30 óbitos.

O São João mantém-se no nível dois do plano de contingência Manuel Roberto Os hospitais de São João e Santo António, no Porto, não sentem ainda pressões no atendimento a pacientes com covid-19 e outras patologias, apesar de Portugal ter ultrapassado o nível crítico no indicador de avaliação da pandemia. No estão internadas 114 pessoas com covid-19, 10 das quais crianças e oito grávidas, com 18 pessoas em Unidade de Cuidados Intensivos (UCI), avançou fonte do hospital à Lusa. Este hospital, o maior da região, tem tido nas últimas semanas “um incremento de profissionais infectados”, mas “sem nenhuma suspensão ou adiamento da actividade programada”. O São João mantém-se, por isso, no nível dois do plano de contingência. Já no Hospital de Santo António há “30 doentes internados e não tem variado nos últimos tempos”, numa unidade que tem 843 camas em enfermaria e em UCI, pelo que não se sente pressão nos serviços, adiantou à Lusa fonte do hospital. Segundo o indicador de avaliação da pandemia do Instituto Superior Técnico e da Ordem dos Médicos, Portugal ultrapassou o nível crítico, o que indica que a resposta de saúde a pessoas com outras doenças pode ficar comprometida. No domingo , o país estava nos 102.14 pontos, acima dos 100 pontos definidos como o nível crítico neste indicador composto por cinco parâmetros: novos casos, óbitos, internados em enfermaria e cuidados intensivos, índice de transmissibilidade R(t) e incidência de infecções pelo coronavírus SARS-CoV-2. Quando esta avaliação ultrapassa os 100 pontos, o “Serviço Nacional de Saúde tem de alocar mais recursos e começa a ter de passar os doentes que não têm covid-19 para segundo plano. Há muitos tratamentos que começam a ser adiados”, adiantou à Lusa o matemático Henrique Oliveira, um dos responsáveis pela elaboração deste indicador da pandemia. Henrique Oliveira prevê que Portugal atinja o pico da actual vaga pandémica no período entre o início de Fevereiro e o dia 12 do mesmo mês. Esta é a segunda vez em que Portugal ultrapassa o nível crítico nesta avaliação desde o início da pandemia, com a primeira a verificar-se entre o final de Outubro de 2020 e Fevereiro de 2021, quando se registou a maior pressão sobre os serviços de saúde. O indicador desenvolvido pelo Instituto Superior Técnico e Ordem dos Médicos continua a ter em conta a actividade da pandemia a partir da incidência e da transmissibilidade R(t), mas engloba também a gravidade da doença, determinada em função da letalidade e dos internamentos em enfermaria e cuidados intensivos. De acordo com os autores, no cálculo da incidência e da transmissibilidade do vírus, passa a ser utilizado o número de novas infecções a sete dias, e não a 14, e um R(t) diário.