Costa: Questão é entre modelo PS ou PSD e não de maioria

22/01/2022 16:05:00

Costa fala aos indecisos e diz que questão é entre modelo PS ou PSD e não a da maioria

Costa fala aos indecisos e diz que questão é entre modelo PS ou PSD e não a da maioria

'A questão não é saber se há ou não maioria, mas que política nós queremos para o país', disse o secretário-geral do PS. 'Não é indiferente votar no PS ou no PSD', completou.

“Não é indiferente votar no PS ou no PSD”, advogou, sem nunca responder diretamente à questão dos jornalistas se ainda aspira a uma maioria absoluta dos socialistas nas eleições de 30 de janeiro.“Penso que, para muitos eleitores, já são claras as alternativas que existem: O

PSD ou o PS, que apresentam propostas muito distintas. Peço às pessoas que ainda estão indecisas que reflitam e decidam qual o sentido do seu voto”, assinalou. “O que dizemos é que os portugueses têm condições para termos um melhor nível de vida, continuando a subir os salários, a baixar os impostos, a criar emprego e a ter empresas mais competitivas”.

Consulte Mais informação:
ECO »

Sondagem indica aproximação entre PS e PSDA política é a ilusão da escolha

Eleições: PSD aproxima-se novamente do PSO secretário-geral socialista António Costa vê o PS ficar mais longe da pretendida maioria absoluta, cujo patamar mínimo são 116 deputados. Há uma semana o PS conseguia um máximo de 113 mandatos.

Costa acusa PSD de querer rutura no Estado social e de colocar em risco as pensõesAntónio das mentiras Dos fake news Das negociatas Dos amigos Salafrario Já ninguém acredita em Costa. Há muitos que fingem, mas é puro interesse. 😂😂😂👌

Costa acusa PSD de promover ″rutura de fundo″ com o Estado SocialO líder do PS dramatizou o discurso, esta quinta-feira, para afirmar que estas eleições serão 'decisivas' para proteger 'o nosso modelo de sociedade'. Em Santarém, António Costa acusou a Direita de 'propor uma rutura de fundo' com o Estado Social. Embora não tenha falado, desta vez, em maioria absoluta, voltou a pedir 'estabilidade' aos portugueses. Desespero ? Mais uma mentira … que a história explica O estado social quer dizer meter os amigos e famílias no maior governo de todos os tempos? Se é assim parece que acabou. Até Costa já diz que quer um governo mais pequeno Já ninguém acredita nas mentiras do António Costa

Legislativas: CDU considera que PS e PSD já têm acordo de governação - SIC NotíciasEsta quinta-feira, a CDU esteve em Leiria, onde vai tentar eleger Heloísa Apolónia como cabeça-de-lista. É um desejo expresso de senhor Presidente camarada

Costa acusa PSD de falta de clareza e de fazer uma campanha 'de graçolas' - SIC NotíciasCosta acusa PSD de falta de clareza e de fazer uma campanha “de graçolas” Um homem desesperado, apenas isso!! O PSP tem de prometer, prometer, prometer, como faz o PS para enganar as pessoas? Há muito mais de 6 anos que o PS engana as pessoas e os próprios partidos de esquerda com promessas que não cumpre! Chapéus há muitos...

A seguir, António Costa reforçou a tese de que “votar ou não votar não é indiferente”.por Antena 1 cancelar RTP A 10 dias das Legislativas, 4 pontos percentuais separam agora PS e PSD nas intenções de voto dos portugueses.EPA/JOSE COELHO Volta a aquecer a disputa pela vitória eleitoral nas legislativas antecipadas para 30 de Janeiro, com o PSD (33%) a fixar-se a apenas quatro pontos percentuais do PS (37%), a menor distância entre os dois partidos desde a última sondagem do Centro de Estudos e Sondagens de Opinião (CESOP) da Universidade Católica feita antes das eleições gerais de 2019.O conteúdo completo está disponível apenas para Subscritores.

“Não é indiferente votar no PS ou no PSD” , advogou, sem nunca responder diretamente à questão dos jornalistas se ainda aspira a uma maioria absoluta dos socialistas nas eleições de 30 de janeiro. “Penso que, para muitos eleitores, já são claras as alternativas que existem: O PSD ou o PS, que apresentam propostas muito distintas . VER MAIS O PS surge agora com 37% das intenções de voto e o PSD com 33. Peço às pessoas que ainda estão indecisas que reflitam e decidam qual o sentido do seu voto”, assinalou. Há duas semanas, o PSD reduziu para seis pontos a diferença, até então a menor observada desde 2019 nos estudos do CESOP, mas na passada semana essa recuperação conheceu um volte-face, com o PS a distanciar-se relativamente aos social-democratas. “O que dizemos é que os portugueses têm condições para termos um melhor nível de vida, continuando a subir os salários, a baixar os impostos, a criar emprego e a ter empresas mais competitivas”. BE e o PAN registam descidas, numa sondagem, jornalista João Vasco, que dá sinais de aproximação entre socialistas e sociais democratas. Nesta ação de rua, António Costa teve ao seu lado os secretários de Estado Eurico Brilhante e Francisco André, os eurodeputados Pedro Marques e Margarida Marques.

A ex-secretária de Estado dos Assuntos Europeus foi cabeça de lista do PS no círculo de Leiria. Se há uma semana o PS conseguia um máximo de 113 mandatos, agora não vai além dos 110, ao passo que o PSD garante um mínimo de 89 deputados e um máximo de 100. Antes de seguir para a Marinha Grande, António Costa resolveu comprar castanhas e uma senhora com uma filha que tinha sido tratada por António Lacerda Sales, médico de profissão. “Não quero dinheiro nenhum por essas castanhas. A minha filha foi muito bem tratada pelo doutor Sales”, afirmou a senhora. Costa ficou depois com um volumoso pacote de castanhas assadas na mão.

Tentou acabar com ele rapidamente com a ajuda dos jornalistas, alegou até que tinha álcool gel para facilitar a limpeza das mãos, mas não teve sucesso. Partiu para a Marinha Grande ainda com as castanhas na mão. https://eco.sapo.pt/2022/01/22/costa-fala-aos-indecisos-e-diz-que-questao-e-entre-modelo-ps-ou-psd-e-nao-a-da-maioria/ Continuar a ler.

.. Assine o ECO Premium No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso. De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal. Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas.

A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível. .