Costa alerta contra influência da extrema-direita junto de partidos tradicionais

Política - Costa alerta contra influência da extrema-direita junto de partidos tradicionais

Ps, Governo

17/01/2022 15:43:00

Política - Costa alerta contra influência da extrema-direita junto de partidos tradicionais

Posições foram transmitidas por António Costa num encontro sobre o tema 'Continuar a avançar em igualdade'.

LusaAntónio CostaFOTO: Rodrigo Antunes / LusaO secretário-geral do PS considerou esta segunda-feira que a diversidade existente entre os membros do seu Governo foi recebida com normalidade pela sociedade portuguesa, mas alertou para a crescente influência da extrema-direita junto de partidos tradicionais.

Estas posições foram transmitidas por António Costa num encontro sobre o tema"Continuar a avançar em igualdade", aberto pela presidente do Departamento Nacional das Mulheres Socialistas, Elza Pais, e pela dirigente do PS Susana Ramos, no Teatro Thalia, em Lisboa.

Consulte Mais informação: Correio da Manhã »

Ultrapassados por bicicletas e trotinetes, buzinados no fim: fomos andar de carro a 30km/h com a vereadora de Lisboa que o propõe

CNN Portugal. O canal de informação, com uma cultura multiplataforma, que acompanha, em tempo real e em diversos meios, os acontecimentos que marcam o país e o mundo. Consulte Mais informação >>

Em Portugal não devia haver partidos de direita, quanto mais de extrema direita, estupidez pura essas representações... Como é possível, o país como está, todos a criticar e depois votam no mesmo. Insisto que me surpreende este País !Temos um governo que foi apoiado pelos partidos ditos se extrema esquerda .O problema é a extrema direita?!!Ou o problema são AMBOS e a incapacidade dos partidos tradicionais de governar e se afastarem da corrupção , do nepotismo e do engano?

lololol por tua culpa Extrema esquerda = extrema direita.

António Costa vota antecipadamente no Porto no dia 23O secretário-geral do PS inscreveu-se este domingo para poder votar antecipadamente no próximo dia 23, no Porto, e pediu a mobilização dos eleitores para que se ultrapasse o que diz ser uma das crises políticas \u0027mais perigosas\u0027 da democracia portuguesa.\r\n

António Costa vulnerabilizou-se muito no debate com Rui Rio - CNN PortugalCNN Portugal. O canal de informação, com uma cultura multiplataforma, que acompanha, em tempo real e em diversos meios, os acontecimentos que marcam o país e o mundo. Tudo a caminhar para o mesmo

Legislativas: António Costa diz que um político não afirma a sua credibilidadecom...É com mentiras 🤡 Prefiro as graçolas de Rui Rio, às aldrabices do Costa... Exacto

António Costa diz que um político não afirma a sua credibilidade 'com graçolas''Eu acho que o dr. Rui Rio tinha obrigação de saber o que era o voto antecipado', atirou o secretário-geral do PS. E com escutas? A destruir Portugal desde 1974! Então porque é que apresentou esta comédia de programa?

António Costa acusa Rui Rio de disfarçar desconhecimento com 'graçola'António Costa acusou Rui Rio de disfarçar o desconhecimento sobre o voto antecipado com uma 'graçola' e disse que não é assim que um político afirma a sua credibilidade. Pois não. É com cara de sisudo que se enganam parvos. Tudo é relativo com Costa … A sua credibilidade tem sido firmada com falsas promessas.

Tweet de Rui Rio sobre voto antecipado de António Costa gera polémicaO secretário geral do PS inscreveu-se para votar antecipadamente, dia 23, no Porto, uma vez que vai estar em campanha nessa dia pela zona norte do país. Rui Rio reagiu nas redes sociais a esta iniciativa dizendo que foi uma 'forma airosa de evitar (...) votar nele próprio'. Rio de farsa em farsa!!

Posições foram transmitidas por António Costa num encontro sobre o tema"Continuar a avançar em igualdade". Lusa António Costa FOTO: Rodrigo Antunes / Lusa O secretário-geral do PS considerou esta segunda-feira que a diversidade existente entre os membros do seu Governo foi recebida com normalidade pela sociedade portuguesa, mas alertou para a crescente influência da extrema-direita junto de partidos tradicionais. Estas posições foram transmitidas por António Costa num encontro sobre o tema"Continuar a avançar em igualdade", aberto pela presidente do Departamento Nacional das Mulheres Socialistas, Elza Pais, e pela dirigente do PS Susana Ramos, no Teatro Thalia, em Lisboa. "Eu não compus o Governo para que o Governo fosse diverso. Agora, de facto, compus o Governo garantindo que a diversidade não era um fator de exclusão. Praticamente não se deu por isso, mas a verdade é que, pela primeira vez na nossa História, tivemos uma ministra negra", declarou o líder socialista. António Costa disse depois estar quase certo de que o seu executivo terá sido também o primeiro com uma pessoa de etnia cigana e com uma pessoa invisual. Leia também Costa acusa Rio de se dispor a negociar prisão perpétua por conveniência eleitoral "Seguramente não foi a primeira vez neste Governo, mas tivemos pessoas que se integram no universo LGBTI (Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgénero). O facto de nada disto ter sido fator de exclusão é muito relevante. Tudo isto aconteceu sem que a sociedade praticamente tivesse dado conta disso", observou o primeiro-ministro. Na perspetiva de António Costa, isto"significa que a cultura de exclusão que alguns querem alimentar já não tem efetivamente adesão na sociedade portuguesa". "Nenhum destes fatores de diversidade gerou qualquer reação negativa na sociedade portuguesa. Pelo contrário, as pessoas acham normal que assim seja e até estranham que isso possa ser sublinhado", declarou. Logo no início do seu discurso, com cerca de 30 minutos, António Costa alertou para a crescente presença de posições"que têm na sua raiz um desrespeito pelo valor fundamental da dignidade da pessoa humana e da igualdade". Leia também António Costa solta trunfos para captar esquerda "Esses movimentos de extrema-direita, o maior perigo que representam é quando conseguem condicionar os partidos tradicionais, os chamados partidos do sistema", afirmou, aqui numa primeira alusão indireta ao PSD. Esses partidos, de acordo com o secretário-geral do PS, quando"começam a mitigar e a normalizar as propostas com uma raiz profundamente não igualitária e de desrespeito da dignidade da pessoa humana, então começa-se a abrir uma brecha que não se sabe se irá desenvolver", apontou. António Costa forneceu depois os seguintes exemplos:"Quando se começa a achar que a prisão perpétua pode não ser bem uma prisão perpétua, é o primeiro passo para começar a achar que o racismo não é bem racismo, que a xenofobia não é bem xenofobia e que o reconhecimento da desigualdade de género não é bem o reconhecimento da desigualdade de género". Leia também