Economia, Criptomoedas

Economia, Criptomoedas

China proíbe criptomoedas e o mercado abana

China proíbe criptomoedas e o mercado abana

25/09/2021 15:06:00

China proíbe criptomoedas e o mercado abana

As principais criptomoedas do mercado estão a ser negociadas com quedas de mais de 5%, após a China ter declarado na sexta-feira ilegais todas as transações de moedas virtuais no seu território, medida considerada 'ditatorial' por alguns especialistas.

As principais criptomoedas do mercado estão a ser negociadas com quedas de mais de 5%, após a China ter declarado na sexta-feira ilegais todas as transações de moedas virtuais no seu território, medida considerada"ditatorial" por alguns especialistas.

Baixa do Porto vai ter câmaras de videovigilância de combate ao crime Coreia do Sul lança foguetão espacial mas não consegue colocar carga em órbita Filipa Martins conquista um inédito 7.º lugar no concurso completo dos Mundiais de ginástica artística

O Banco Popular da China publicou sexta-feira um comunicado em que explica que as"criptomoedas não têm curso legal" e declarou que as transações através de moeda virtual são"ilegais" por"alterarem a ordem económica e financeira", o que os especialistas atribuem a uma medida de maior controlo estatal sobre a economia e as finanças da população.

Em relação às causas que levaram o banco central chinês a agir contra as criptomoedas, os especialistas, contactados pela agência de notícias EFE, apontaram várias, entre as quais o controlo da economia pelo governo da China, a ausência de liberdade no país e a implementação da moeda digital pelos bancos centrais. headtopics.com

Para a sócia-gerente da Blockchain Intelligence, Almudena de la Mata, não é surpreendente que as criptomoedas provoquem uma reação adversa de alguns bancos centrais, uma vez que"'blockchains' públicas e as suas criptomoedas são sistemas alternativos de troca de valor que fogem em grande parte do controlo das estruturas de poder tradicionais".

Reação que, na opinião do diretor-executivo da plataforma de negociação de criptomoedas Bit2Me, Leif Ferreira, é mais uma etapa do processo de censura do governo chinês para impedir a liberdade financeira dos cidadãos.

O cofundador da Onyze, empresa de guarda de ativos digitais, Álvaro Alcañiz, expressou o mesmo sentimento, que acredita que a medida provavelmente não ser a última a ser aplicada pelo executivo chinês contra ativos criptográficos, porque"há muitos anos vem aplicando um forte controlo sobre a sua economia, através de políticas muitas vezes restritivas".

"A isso ainda se acrescenta que a bitcoin, junto com o resto de criptoativos, está no outro extremo, pois defende uma liberdade e uma independência monetária" contrária aos seus interesses, explicou.PUBAlmudena de la Mata avaliou ainda uma potencial relação entre a medida e o desenvolvimento das moedas digitais dos bancos centrais e alertou que uma batalha geopolítica interessante, devido à evolução das criptomoedas, uma vez que se perspetiva"uma competição pela hegemonia monetária na era das moedas digitais emitidas por bancos centrais". headtopics.com

Juízes não aceitam suspender julgamento de Ricardo Salgado Covid-19: Alemanha regista aumento da incidência pelo oitavo dia consecutivo Madeira: Duas vivendas de luxo no valor de 4,1 milhões de euros pagas com criptomoedas

Atualmente, a China está a desenvolver um projeto de yuan digital, uma versão digital renmimbi (denominação oficial da moeda chinesa), apoiada pelo Banco Popular da China e que vai ter o mesmo valor que yuan físico, projeto que, para Leif Ferreira, pretende submeter a população e eliminar qualquer alternativa de ser gratuito, como as criptomoedas.

"O yuan digital nada mais é do que uma medida contra a liberdade, é uma forma de manter a população controlada", afirmou.Para Ferreira, se os bancos centrais aplicassem normas semelhantes, tornar-se-iam"ditatoriais", porque"um banco central não pode obrigar os cidadãos escolherem não utilizar bitcoin ou outras criptomoedas como dinheiro", sustentou.

Os especialistas consideraram que a medida da administração chinesa está a afetar o mercado global de criptomoedas, devido ao peso económico, político e demográfico deste país no mundo.O diretor-executivo da Bit2me apontou que decisão do Banco Popular da China mostra incompetência das pessoas que trabalham nessas instituições bancárias e que se justificam para evitar a lavagem de dinheiro ou financiar o terrorismo, coisa que poderiam aplicar-se a qualquer banco central.

"Acho que o governo chinês tenta confundir a população com mensagens absurdas e enganosas", disse. Consulte Mais informação: Jornal de Notícias »

Talvez os mais sensatos. A China já anda nisto desde 2017 pelo menos, e nunca proibie nada, pois é impossível de se proibir, o governo até pode não querer, mas a vida é assim mesmo 😉 Bitcoin foi criada para proteger as pessoas, e não os governos! Bitcoin é Liberdade ❤ Bitcoin é reserva de valor ❤ Eles vão atrás! Calma

Aposto que altos dignatários chineses têm verbas nessas criptomoedas, de forma a esse dinheiro ser opaco...

Economia da China pode crescer mais de 8% este anoBanco Asiático de Desenvolvimento justifica estimativa com equilíbrio entre forte performance das exportações e a demorada recuperação do consumo das famílias.

Dirigente da Huawei detida no Canadá pode voltar à China após acordo com EUAMulher é filha do fundador da empresa.

China à espera de 'tempestade'

China declara todas as transações em criptomoeda ilegaisO banco central chinês anunciou esta sexta-feira que vai reprimir resolutamente o uso de qualquer criptoativo no país Claro que o sistema mais opressivo e totalitário vai tentar banir o sistema mais livre e aberto. Boa sorte. Bitcoin não quer saber! Só vende quem tem medo. Bitcoin mais barata graças a desconto chinês.

Dirigente da Huawei agradece à China depois de Canadá a libertar da prisãoFilha do fundador da marca tecnológica está no Canadá em detenção domiciliária há três anos.

Banco central da China considera ilegal a transação de criptomoedas. Bitcoin perde 4%O Banco Popular da China teceu novamente comentários em relação às criptomoedas, considerando agora que todas as transações com este tipo de ativos são ilegais. A bitcoin, uma das criptomoedas mais conhecidas, está a cair mais de 3%.