Carlos Moedas, em entrevista a jornal espanhol, compara-se ao líder da Câmara de Madrid

Carlos Moedas, em entrevista a jornal espanhol, compara-se ao líder da Câmara de Madrid

17/10/2021 14:20:00

Carlos Moedas, em entrevista a jornal espanhol, compara-se ao líder da Câmara de Madrid

Numa entrevista o jornal espanhol 'ABC', o novo presidente da Câmara de Lisboa, que amanhã toma posse, diz que recebeu votos dos socialistas virados para o centro

12:15Carlos Moedas deu uma entrevista ao diário espanhol"ABC", que o descreve com “um estilo refinado e contemporâneo” e assumiu que a sua vitória na corrida à Câmara Municipal de Lisboa (CML) não o apanhou de surpresa, apesar de nenhuma sondagem prever a sua eleição. “Apercebi-me que isso aconteceria quando me propus a falar num comício para 700 pessoas, com uma base muito forte de jovens, do tipo que costumava dizer: 'Perdi a fé na política'. Vi que não havia câmaras, mas as pessoas estavam lá. Então eu tinha as provas [de que ia conseguir]”, explicou o ex-comissário europeu.

Ferro Rodrigues despede-se da AR: 'Maior honra da minha vida' foi ser presidente do Parlamento Um milhão de doses de reforço administradas em Portugal Portugal tem médicos suficientes mas SNS não é atrativo, diz bastonário

À pergunta “O que acha que o povo de Lisboa mais valoriza em si?”, Moedas respondeu “transparência e naturalidade” e mais à frente assumiu estar convencido de que recebeu “votos provenientes do sector socialista que está mais virado para o centro”.

Confrontado com o facto da sua popularidade ser atualmente superior à de Rui Rio entre os eleitores do partido e se isso não lhe causa uma certa vertigem política, Moedas foi comedido, mas expressou indiretamente apoio a Rangel, ao afirmar: “É muito positivo que haja pessoas que regressaram ao PSD, notamo-lo na coligação Novos Tempos”. E afastou qualquer cenário de uma candidatura à liderança do partido no futuro, admitindo que não tem planos nesse sentido. “A minha energia e a minha missão estão em Lisboa. Vou concentrar-me na cidade”, garantiu, concluindo: “Vim de Bruxelas e penso que posso usar os meus contactos europeus. Por isso, gostaria de canalizar essa notoriedade a favor de Lisboa”. headtopics.com

Sobre o apoio expresso de Isabel Díaz Ayuso, presidente da Comunidad de Madrid, Carlos Moedas mostrou-se encantado por o ter, e acrescentou imediatamente: “Mas também me dizem que tenho algo de Martínez-Almeida. Penso que o presidente da câmara de uma grande cidade tem de ser cada vez mais internacional, e é aí que me encaixo porque o meu perfil realça o facto de ter trabalhado na Europa”.

À última questão sobre como vê uma eventual candidatura de Passos Coelho à Presidência da República, o novo presidente da CML foi elogioso: “Tem sido, e é, um homem incrível, que teve uma grande influência no PSD e na política portuguesa em geral”.

Consulte Mais informação: Expresso »

O Futuro do PSD

Escolhemos seis questões que determinam o futuro do PSD e sobre elas questionámos os dois candidatos a presidente do partido, que será eleito a 27 de Novembro

Humildade não lhe falta!!!! O ego do menino rico é maior que a torre mais alta do mundo 🤢🤮 Grandes líderes só na Coreia do Norte, como os direitistas portugueses têm o hábito de dizer. Um bocadinho cedo ... não !? Ainda tens muito que mostrar na CM LX e AML para cantares de 🐓.... tal e qual é a cara de um cu da outra 🤦🏼‍♂️

Sempre a prestar vassalagem à espanholada. Da esquerda à direita. Miséria de portugueses. Aguenta Afonso...

Hannes Halldórsson, entre os postes e atrás da câmaraFoi o guarda-redes da selecção islandesa durante uma década ao mesmo tempo que apurava uma carreira de realizador. Depois de publicidade e vídeos de música, já completou uma longa-metragem.

João Carlos Pereira: «Golos sofridos foram infantis»As declarações do treinador da Académica após eliminação na Taça de Portugal

Foram abatidas dezenas de tílias em Sintra. Câmara diz que vai investigarCâmara admite que o regulamento do arvoredo terá sido desrespeitado e que, por isso, vai investigar. No entanto, alega também que algumas árvores apresentavam problemas fitossanitários e um “melaço” que incomodava alguns moradores.

Alexandra Leitão: ″Não há trabalhadores a mais na Administração Pública″Em entrevista conjunta ao JN e TSF, Alexandra Leitão, ministra da Modernização do Estado, adianta ainda que estão em vista acordos de teletrabalho em alguns serviços da Administração Pública. Todos na AP chamasse Venezuela 🇻🇪 🥴🥴 O problema é que não trabalha por falta de orientação superior, sistema de avaliação e recumpemsas baseados na cunha, nepotismo, simpatia política. Portugal com as ex-colónias tinha 120.000 FP, agora tem cerca de 750.000, também não acho que sejam muitos 🤡

Mais de metade das empresas nacionais considera ter 'tido sorte' em sobreviver ao impacto da pandemiaA perspectiva de uma desaceleração económica também se reflete no estudo da Intrum, com 62% das empresas europeias a afirmar que uma recessão pode estar iminente no seu país, valor superior aos 56% que afirmaram o mesmo em 2020.