Calúnias, fake news, desinformação. Como o PCP apontou culpas à imprensa pela 'ofensiva anticomunista'

Calúnias, fake news, desinformação. Como o PCP apontou culpas à imprensa pela “ofensiva anticomunista“

28/11/2020 01:55:00

Calúnias, fake news, desinformação. Como o PCP apontou culpas à imprensa pela “ofensiva anticomunista“

Primeiro dia de congresso, em Loures, ficou marcado por um discurso de cerrar de fileiras. Muitas das intervenções mostraram hostilidade e desconfiança em relação à comunicação social. Nas suas teses, o partido explica como deve lidar com isso e passar melhor a sua mensagem - garantindo que BE e PAN beneficiam de 'promoção mediática'

PEDRO NUNESPrimeiro dia de congresso, em Loures, ficou marcado por um discurso de cerrar de fileiras. Muitas das intervenções mostraram hostilidade e desconfiança em relação à comunicação social. Nas suas teses, o partido explica como deve lidar com isso e passar melhor a sua mensagem - garantindo que BE e PAN beneficiam de"promoção mediática"

Fecha tudo. Escolas e universidades em casa a partir de sexta-feira Eurodeputados pedem esclarecimentos a Portugal sobre polémica com procurador europeu Televisão deu gás ao líder da direita radical

Mariana Lima CunhaJornalistaCalúnias, lavagem cerebral, perversão da consciência social, fake news, desinformação. Se já era evidente de há meses para cá a opção do PCP por um cerrar de fileiras, em reação ao que diz ser

uma das maiores “ofensivas antidemocráticas” que sofreu desde o 25 de Abril, no primeiro dia de congresso o discurso ficou consolidado. E houveum alvo claro: a comunicação social, visada em várias das intervenções feitas a partir do púlpito do Pavilhão Paz e Amizade, em Loures. headtopics.com

Artigo Exclusivo para assinantesNo Expresso valorizamos o jornalismo livre e independente Consulte Mais informação: Expresso »