Bolsonaro fala com Trump e muda de tom. ″Gripezinha″ é agora ″problema mundial″

01/04/2020 23:36:00
Bolsonaro fala com Trump e muda de tom. ″Gripezinha″ é agora ″problema mundial″

Bolsonaro fala com Trump e muda de tom. 'Gripezinha' é agora 'problema mundial'

Jair Bolsonaro

Bolsonaro fala com Trump e muda de tom. 'Gripezinha' é agora 'problema mundial'

Chefe de Estado brasileiro admitiu, num pronunciamento ao país através da cadeia de rádio e televisão, que se trata do 'maior desafio desta geração'.

SubscreverEsta quarta-feira,numa declaração de apenas alguns minutos, Bolsonaro anunciou um novo pacote financeiro de apoio a medidas para"manutenção de empregos", que é uma das suas maiores preocupações diante da pandemia,

e a favor dos estados e municípios do país.O valor total dessas ajudas, que não foram totalmente detalhadas, será de cerca de 110 mil milhões de reais (cerca de 19,5 mil milhões de euros).Somando outras medidas já anunciadas na semana passada, o valor ascende aos 200 mil milhões de reais (34,8 mil milhões de euros), ou seja, o equivalente a 2,6% do Produto Interno Bruto (PIB) do país, informou o ministro da Economia brasileiro, Paulo Guedes.

Consulte Mais informação: Diário de Notícias »

Vai tarde ! Realmente este pré-histórico é um Trump de contrafação é uma espécime de trump sem escolaridade obrigatória Demorou... atrasado mental ! É burro e não tem personalidade. Cãozinho de trela do Trump. Devia ser condenado por crime contra a humanidade É burro que nem uma porta. E já existem portas inteligentes

🥳🥳🥳🥳🥳🥳 Pior do que ele é a manada de gado que o segue. Esse vagabundo só nos envergonha. Bolsonaro vai ser o novo nome a atribuir aos palhaços !!!!

Covid-19. Trump dá o braço a torcer, mas Bolsonaro não

Covid-19. Trump dá o braço a torcer, mas Bolsonaro nãoPorra! Parem com esses complexos de Édipo ( ou serão de Electra?) em relação a Trump e/ou Bolsonaro!! Esse precisa de uma consulta de psiquiatria.

Trump alerta para “duas semanas muito dolorosas”Mesmo com medidas de mitigação, os EUA poderão ter entre 100 mil e 240 mil mortos.

Covid-19: Trump admite possibilidade de milhares de mortos

Covid-19: Trump admite possibilidade de milhares de mortosEUA é o país com maior número de infetados no mundo. Já há milhares de mortos. A reação de Trump, foi diabólicamente bué tarde,e ele brincou com a COVID-19....e agora está a sofrer o povo inteiro, é triste

Putin ajuda Trump e envia avi\u00e3o militar com material m\u00e9dico para os Estados UnidosNão esquecer que a Rússia enviou 15 aviões com material médico para a Itália! Porque a Europa cagou nos italianos.!

Trump avisa que próximas duas semanas serão ″muito dolorosas″ nos EUAO Presidente dos EUA, Donald Trump, alertou hoje que as próximas duas semanas serão 'muito dolorosas' para a população, uma vez que o número de pessoas contagiadas pela doença provocada pelo SARS-CoV-2 continua a aumentar.

Trump avisa que vêm aí semanas difíceis e que “milhares poderão morrer”Os EUA estão já a receber apoio externo.

e receba as informações em primeira mão.Covid-19 Em contextos de crise, uma semana é uma eternidade.Coronavírus: Nova Iorque tem um novo herói, e o seu nome é Andrew Cuomo Entre os responsáveis políticos norte-americanos foi-se tornando evidente que o pacote de estímulo à economia já anunciado, no valor de dois mil milhões de dólares, vai ser insuficiente.187 mortos e 8.

Subscrever Esta quarta-feira, numa declaração de apenas alguns minutos, Bolsonaro anunciou um novo pacote financeiro de apoio a medidas para"manutenção de empregos", que é uma das suas maiores preocupações diante da pandemia, e a favor dos estados e municípios do país. O valor total dessas ajudas, que não foram totalmente detalhadas, será de cerca de 110 mil milhões de reais (cerca de 19,5 mil milhões de euros). “Vejam-se os acidentes de viação, que são muito mais do que os números de que estamos a falar”, disse o ocupante da Casa Branca no dia 23 de março, referindo-se às vítimas do novo coronavírus. Somando outras medidas já anunciadas na semana passada, o valor ascende aos 200 mil milhões de reais (34,8 mil milhões de euros), ou seja, o equivalente a 2,6% do Produto Interno Bruto (PIB) do país, informou o ministro da Economia brasileiro, Paulo Guedes. Usando o Twitter, o Presidente anunciou que este será “muito grande e ambicioso” e “focado apenas em empregos e na reconstrução da em tempos grande infraestrutura do nosso país”. Após as breves palavras de Bolsonaro, Paulo Guedes enquadrou essas medidas na"missão do Governo de defender a saúde e o emprego dos brasileiros", incluindo os trabalhadores informais [sem contrato de trabalho], que no país sul-americano são cerca de 40 milhões e representam cerca de 35% da população economicamente ativa. Ou, como Trump disse no Twitter: “Não podemos deixar que a cura seja pior que a doença”. "A intenção é que tenham recursos para enfrentar a primeira onda" desta crise, que é a"saúde", porque logo chegará"a segunda onda, que será a desarticulação económica", afirmou o ministro. Siga aqui ao minuto as últimas informações sobre a pandemia.

O tom de Bolsonaro mudou nas últimas 24 horas em relação à pandemia, após durante semanas ter subestimado a covid-19, classificando-a de"gripezinha" e"histeria". E, no domingo, acabou por repetir 16 vezes (contagem do Washington Post) a negra estatística do pior cenário possível: a epidemia pode provocar até 2,2 milhões de mortes nos EUA se nada for feito e se os cidadãos não respeitarem as regras de distanciamento social, segundo os modelos de dados estudados pela líder da task force para o coronavírus, Leah Birx, e por Anthony Fauci, diretor do Instituto Nacional de Alergias e Doenças. Embora não haja um posicionamento assumido, a mudança de Bolsonaro coincidiu com um movimento na mesma direção de Donald Trump, a quem o Presidente brasileiro tem como modelo e que, na terça-feira, admitiu de forma crua a realidade da pandemia nos Estados Unidos da América, alertando que o país deve estar preparado para a morte de pelo menos 100.000 pessoas. “Nada seria pior do que declarar vitória antes de a vitória estar ganha”, disse o chefe da Casa Branca. O Brasil é o país da América Latina mais afetado pelo novo coronavírus, tendo registado até terça-feira 5.717 infetados e 201 mortos. “Tenho assistido às imagens”, confidenciou Trump, referindo-se ao Elmhurst Hospital.

Segundo o executivo brasileiro, a taxa de mortalidade da covid-19 no Brasil é agora de cerca de 3,5% e todas as regiões do Brasil têm mortes confirmadas pelo vírus. São Paulo continua a ser o estado brasileiro mais afetado, totalizando 136 mortos e tendo ultrapassado hoje os dois mil infetados, registando 2. Isto é essencialmente a minha comunidade em Queens – Queens, Nova Iorque.339 casos confirmados. Segue-se o Rio de Janeiro com 23 óbitos e 708 infetados e o Ceará que, até ao momento, contabilizou sete vítimas mortais e 390 casos positivos da covid-19. Quer dizer, vi-as, mas vi-as pela televisão, em terras longínquas”. O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 870 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram cerca de 44 mil.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia. Dizemos, ‘o que está lá dentro?’ É o Elmhurst Hospital, devem ser suprimentos. O continente europeu, com mais de 470 mil infetados e cerca de 32.000 mortos, é aquele onde se regista o maior número de casos, e a Itália é o país do mundo com mais vítimas mortais, com 13. “Vamos todos morrer um dia” Mas no hemisfério sul, Jair Bolsonaro continua a ir contra todas as indicações.155 óbitos em 110.574 casos confirmados até terça-feira. Bolsonaro saiu novamente à rua no domingo, em Brasília, alegando que o fez para conhecer as necessidades do povo.

Partilhar .