Boletim DGS. Três vezes mais casos de novas infeções, menos de metade dos internamentos e nove vezes menos mortes do que há um ano

23/01/2022 20:55:00
Boletim DGS. Três vezes mais casos de novas infeções, menos de metade dos internamentos e nove vezes menos mortes do que há um ano

Boletim DGS. Três vezes mais casos de novas infeções, menos de metade dos internamentos e nove vezes menos mortes do que há um ano

Boletim DGS. Três vezes mais casos de novas infeções, menos de metade dos internamentos e nove vezes menos mortes do que há um ano

O número de novas infeções e mortes por Covid-19 desceu, nas últimas 24 horas. Já os internamentos, incluindo em Unidades de Cuidados Intensivos, estão a subir, de acordo com os dados da DGS.

45.569 novos casos de infeção. Há 2.219 pessoas internadas, mais 192 em relação a sábado e, destes doentes,Os números são avançados no boletim epidemiológico da Direção-Geral de Saúde (DGS) de domingo. Na véspera, o país registou 43 óbitos e 58.131 novos diagnósticos positivos. Havia também 2.027 pacientes internados, 154 deles em cuidados intensivos.

, quando havia 5.922 internados, 720 em UCI. Na mesma altura, o número de casos diários era de 15.333 e os óbitos eram 274.• CONTINUE A LER A SEGUIR, 17 homens e 13 mulheres,A incidência (o número de novos casos nos últimos 14 dias por 100.000 habitantes) e o indicador de transmissão tiveram comportamentos diferentes. Assim, a incidência sobe de 4200,6, casos por 100.000 habitantes a nível nacional para 4731,3, enquanto que no continente passa de 4155,9 para 4674,0.

Consulte Mais informação: Observador »

Evolução natural dum vírus RNA, maior transmissibilidade, menor mortalidade. Deixo aqui aos senhores jornalistas um testemunho de um não-vacinado: apanhei covid e não morri! Nem ao Hospital fui! a vacina funciona

DGS volta a exigir caixão fechado em funerais de vítimas de Covid-19 um ano depois - RenascençaEm fevereiro do ano passado, a instituição liderada por Graça Freitas referia que no funeral a família o desejar, e existirem condições para isso, “pode permitir-se a visualização do corpo”.

DGS alarga vacina contra a gripe até maiores de 50 anos

DGS estende vacina contra a gripe para pessoas com mais de 50 anos

DGS alarga vacinação contra a gripe a pessoas com mais de 50 anos

DGS alarga vacinação contra a gripe a pessoas com mais de 50 anosCidadãos podem vacinar-se através da modalidade de Casa Aberta, tirando uma senha digital ou através do autoagendamento. Disso nada Basta já bolas Andaram a fazer-nos de palhaços este tempo todo. Quem me vai dar o dinheiro que perdi?

Boletim DGS. Há 192 novos internamentos em 24 horas, o pior dia do último ano - RenascençaMais de 45 mil novos casos de Covid-19 e 30 mortes nas últimas 24 horas. Novo máximo de casos ativos: 489 789.

Boletim DGS. 45.569 novos casos e mais 30 mortes

Boletim DGS. 45.569 novos casos e mais 30 mortesOs dados da DGS mostram que há 45.569 novos casos positivos e mais 30 mortes com Covid-19. Há ainda um acréscimo de 192 internamentos e de seis doentes em cuidados intensivos. 30 mortos de covid ou com covid. Ou não interessa para nada

Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.Ver mais Na nova norma em vigor lê-se também que na cerimónia fúnebre/funeral deve ser observado, sempre que possível, o distanciamento físico de segurança de um metro e meio entre pessoas, evitando qualquer contacto físico.Email Portanto, utentes com mais de 50 anos poderão recorrer à modalidade Casa Aberta, através da senha digital que pode ser adquirida no autoagendamento no portal do Serviço Nacional da Saúde (SNS) desenvolvido para esse efeito.vacina A vacinação contra a gripe passa a partir deste sábado a incluir pessoas com mais de 50 anos, anunciou a Direção-Geral da Saúde (DGS).

Nas últimas 24 horas, registaram-se 30 mortes 45.569 novos casos de infeção pelo vírus da Covid-19 em Portugal, uma descida em relação à véspera . A DGS aconselha ainda que numa mesma localidade ou cemitério, os funerais devem ser espaçados no tempo, para evitar aglomeração de pessoas e/ou paragens nos acessos. Há 2. Segundo o organismo, esta medida é de caráter excecional, devido ao contexto epidemiológico que se sente atualmente em Portugal e também pelas temperaturas que "se mantêm baixas".219 pessoas internadas, mais 192 em relação a sábado e, destes doentes, 160 estão em Unidades de Cuidados Intensivos (UCI), o que representa mais 6 camas ocupadas. Na maioria dos funerais, assegura, essa já era a prática recomendada, através de um caixão com um visor. Os números são avançados no boletim epidemiológico da Direção-Geral de Saúde (DGS) de domingo. "Os centros de saúde e as Unidades de Saúde Familiares terão ainda um reforço no stock de mais vacinas, de forma a poderem vacinar pessoas pertencentes a grupos de risco sem necessidade de prescrição médica", adianta ainda o comunicado.

Na véspera, o país registou 43 óbitos e 58. Ou seja, sublinhou, a DGS"veio dar-nos razão". "Os centros de saúde e as Unidades de Saúde Familiares terão ainda um reforço no stock de mais vacinas, de forma a poderem vacinar pessoas pertencentes a grupos de risco sem necessidade de prescrição médica", adianta ainda o comunicado.131 novos diagnósticos positivos. Havia também 2. Ainda assim muito longe dos piores registos desta pandemia há um ano, em janeiro de 2021.027 pacientes internados, 154 deles em cuidados intensivos.535. Apesar da subida dos internamentos, Portugal está longe dos valores de há um ano , quando havia 5.826 das quais em farmácias.

922 internados, 720 em UCI. Na mesma altura, o número de casos diários era de 15. No último dia, mais 3.333 e os óbitos eram 274. Desde 26 de dezembro, que os valores de novos casos revelados pelos boletins de domingo têm estado sempre a subir. Este não é exceção — é o quarto domingo a subir.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR Nos internamentos, a tendência é crescente exatamente desde a mesma data. Quanto às mortes, continuando a olhar apenas para os valores divulgados aos domingos, é o primeiro desde 26 de dezembro em que os óbitos descem. Entre as , 17 homens e 13 mulheres, a maioria (19 no total) tinha mais de 80 anos . Os dados da DGS revelam também 11 mortes entre os 60 e os 79 anos. A incidência (o número de novos casos nos últimos 14 dias por 100.

000 habitantes) e o indicador de transmissão tiveram comportamentos diferentes. Assim, a incidência sobe de 4200,6, casos por 100.000 habitantes a nível nacional para 4731,3, enquanto que no continente passa de 4155,9 para 4674,0. Já o índice de transmissibilidade, o R(t), fica nos 1,10 a nível nacional e no continente. Na véspera, era de 1,13 tanto a nível nacional como no continente.

O número de casos ativos (pessoas que estão com a infeção ativa ao mesmo tempo) tem mostrado uma tendência crescente nos últimos dias e estão a subir desde 11 de janeiro. Esta domingo, havia 489.789 casos ativos, o que significa que há 3 dias que se mantém acima dos 400 mil casos. Em termos de distribuição geográfica, a região Norte é a que concentra um maior registo de novos casos, mais 20.549, mas é em Lisboa e Vale do Tejo que se verifica o maior aumento de óbitos, mais 16.

.