Banca deve discutir com clientes programa para reembolso de moratórias, diz Ministro da Economia

Banca deve discutir com clientes programa para reembolso de moratórias, diz Ministro da Economia

25/09/2021 13:35:00

Banca deve discutir com clientes programa para reembolso de moratórias, diz Ministro da Economia

“A maior parte das empresas têm perfeita capacidade para fazer face ao serviço da dívida, já outras precisam eventualmente de mais tempo e é esse o trabalho que os bancos têm de fazer com os seus clientes”, garantiu Siza Vieira.

Os bancos “devem discutir com os seus clientes que têm moratórias nos setores mais afetados” pela pandemia o programa de reembolso das dívidas após o fim das moratórias, disse esta sexta-feira o ministro da Economia e Transição Digital, em Matosinhos.

Centenas pelo país protestam contra o aumento do preço dos combustíveis Mais de uma centena em protesto contra ″roubo″ no preço dos combustíveis Mais de uma centena protestam em Lisboa contra preço dos combustíveis

Em declarações aos jornalistas, à margem da apresentação do empreendimento Fuse Valley, da Farfetch e do Castro Group, Pedro Siza Vieira indicou que, no que diz respeito ao reembolso das moratórias, “os bancos devem discutir com os seus clientes, que têm moratórias nos setores mais afetados [pela pandemia] aquilo que deve ser o programa contratual para o reembolso da dívida após o fim” destes instrumentos.

“A maior parte das empresas têm perfeita capacidade para fazer face ao serviço da dívida, já outras precisam eventualmente de mais tempo e é esse o trabalho que os bancos têm de fazer com os seus clientes”, garantiu.Segundo Siza Vieira, “o Governo já disponibilizou uma linha de crédito de 1.000 milhões de euros que permite garantir uma parte do crédito que esteja sobre moratória e que careça de alguma reestruturação”. headtopics.com

Para o ministro, “os bancos têm de fazer este trabalho em qualquer caso e o Governo disponibilizou uma ferramenta adicional para poderem melhor fazer esse trabalho de ajustamento dos calendários de reembolso às capacidades efetivas de as empresas cumprirem as suas obrigações”.

Em 13 de julho, o ministro indicou que o Estado vai garantir 25% do crédito sob moratória às empresas dos setores mais afetados pela pandemia que acordem com os respetivos bancos uma reestruturação da dívida após o final das moratórias, em 30 de setembro.

Consulte Mais informação: Jornal Económico »