Aumento da abstenção nas autárquicas pode estar relacionado com a campanha eleitoral

Cristina Figueiredo e Paulo Baldaia analisam os dados de afluência ao voto.

26/09/2021 20:21:00

Aumento da abstenção nas autárquicas pode estar relacionado com a campanha eleitoral

Cristina Figueiredo e Paulo Baldaia analisam os dados de afluência ao voto.

, um valor abaixo do registado em 2017. Cristina Figueiredo, editora da secção de política da SIC Notícias, e de Paulo Baldaia, comentador SIC, analisam os valores e o impacto que a campanha eleitoral pode ter tido na abstenção.

CEO da TAP vai ficar cinco anos na companhia FC Porto assume liderança do campeonato com “hat-trick” de Taremi Marcelo: “Se o Orçamento passasse poupava muitos custos, muitos problemas e algumas preocupações”

"É muito importante para asaúde da democraciaque haja uma abstenção, pelo menos,como a que tivemos há quatro anos- que já baixou um bocadinho em relação a 2013.Era importante mantermo-nos assim", afirma Cristina Figueiredo, referindo que os valores há"muita gente a não ir votar".

Para Paulo Baldaia, o valore da abstenção poderá"ter uma relação direta com a campanha eleitoral", nomeadamente devido à nacionalização dos temas que foram abordados pelos líderes partidários. headtopics.com

"Tivemos uma campanha menos de autárquicas. Falámos menos daquilo que diz respeito à vida nas cidades, nos diferentes concelhos, efalámos muito mais de política nacional. Os líderes estiveram no terreno a falar muito sobre o pós-eleições ou sobre a governação.

A determinada altura pareciam mais eleições legislativas do que autárquicas e isso desmobiliza as pessoas", explica.Também Cristina Figueiredo sublinha que"houve uma nacionalização destas autárquicas" e que se falou"muito pouco dos temas em concreto que importavam aos municípios por

deliberada e assumida responsabilidades dos líderes partidários"."A partir do momento que parece ser opção dos partidosretirarem leituras nacionais dos resultados destas eleições, compreende-se que a escolha dos líderes seja esta - a começar por António Costa da cabeça aos pés. Prejudicados ficam, obviamente, os candidatos municipais, que

aparecem como cenário atrás dos líderese que pouco tempo de antena têm nos meios de comunicação social nacional", lembra a editora de política.Por serem eleições de proximidade, as autárquicas registam, por norma, headtopics.com

“Não sei a que devo a minha longevidade”: grande entrevista a Miguel Sousa Tavares OE 2022: primeiro-ministro acredita que pode governar em caso de chumbo Presidente angolano afirma que o mundo “precisa de ações concretas, grandes ou pequenas” para salvar o ambiente

valores de abstenção mais baixos que os restantes sufrágios. Entre 2013 e 2017, houve uma descida no número de eleitores que não exerceram o direito ao voto. No entanto, para estas eleições, os números divulgados até agora não são animadores.

"Temo que possa acontecer, pela primeira vez, - espero bem que não - que nas autárquicashaja uma abstenção superior a 50%. Nunca aconteceu, espero que não aconteça desta vez.Mas os números às 16:00 não eram muito bons

Consulte Mais informação: SIC Notícias »

Foi tudo passear e aproveitar o tempo bom. Depois não adianta reclamar! Abstenção não. Negacionismo chalupa! Está ligada à qualidade da classe política, da sua ética no gozo dos cargos, da falta de ligação entre as promessas e a realidade, da falta de ligação com os votantes, das falta de qualidade das suas decisões nos cargos etc etc etc

Não esquecer as centenas de milhares de pessoas a quem demos a nacionalidade nos últimos anos, e que nunca moraram nem moram em Portugal nem querem saber de nada disto e muito menos votarem. Independentemente da % de abstenção, o número de cargos e pessoas eleitas é o mesmo!… a abstenção acaba por favorecer uma certa elite! Votar é um dever, e deverias haver consequências quando o dever não é realizado

A campanha eleitoral destas autarquicas2021 teve mais bombo do que ideias. Estou absolutamente convencido q a % da abstenção é inversamente proporcional à qualidade dos nossos políticos. Sejam genuínos; defendam os interesses do povo e ñ os corporativos. Ñ digam uma coisa e façam outra. Lutem por uma justiça célere e transversal. Que a abstenção desce.

Não fugam à realidade, devem colocar questões à qualidade da democracia. O governo age como se isto fosse o Zimbabué e a oposição é uma tristeza. são tantas mentiras que as pessoas já não acreditam numa palavra que os políticos andam a falar! TUDO MENTIRA especialmente esse Pinóquio do Primeiro Ministro o ANTONIO BOSTA, que nojo.... pura poluição sonora.

Ou pode estar relacionado com o facto de serem todos uns valentes FdP chulos miseraveis....

Autárquicas: Líder da IL esperançoso com aumento da participação eleitoralO presidente da Iniciativa Liberal (IL), João Cotrim de Figueiredo, apelou a todos os portugueses para votarem hoje nas eleições autárquicas, manifestando-se esperançoso com o aumento da participação eleitoral.

Eleições de proximidade mitigam abstenção nas autárquicasA taxa de abstenção nas eleições autárquicas cresceu 1,3 vezes desde a primeira que se realizaram em 1976. O que compara favoravelmente com as legislativas onde a taxa de abstenção multiplicou por seis.

Rodeado de críticas, Costa aponta à direita e PCP na reta final da campanhaSíntese do último dia de campanha eleitoral para as eleições autárquicas deste domingo. mensagem para o PS (Partidos dos pSicopatas) e a todos os burros que pensam em votar nessa bosta, e nessa quadrilha, que as pulgas de mil camelos infestem o meio de vossas pernas, e que vossos braços sejam curtos demais pra se coçar. Vão todos pros infernos

Medina diz que maioria absoluta não é um 'papão'Candidato do PS/Livre à presidência da Câmara de Lisboa classificou a campanha autárquica como 'memorável'.

Rui Rio teme abstenção alta nas eleições autárquicas'Não entendo a abstenção, as pessoas são livres de ir aos votos e votam em branco se não gostam de ninguém', declarou Rui Rio depois e votar na Junta de Freguesia de Massarelos. O líder do PSD teme que os números da abstenção se mantenham altos.

Para Marcelo “é difícil de entender” e “não faz sentido” a abstenção nas autárquicasO Presidente da República votou em Celorico de Basto e, tal como já fizera durante o dia de reflexão, apelou ao voto Pergunte Snr. Presidente à viúva do trabalhador se tem vontade de ir votar... aos lesados do Bes, Banif, Bpp e outros, aos desempregados da TAP, Efacec, Galp e outros, aos portugueses enganados e roubados desde 1974!!! Talvez compreenda... Jmm