Astrónomos detetam corpo celeste nunca antes observado

26/01/2022 19:28:00

Astrónomos detetam corpo celeste nunca antes observado

Espaço, Internacional

Astrónomos detetam corpo celeste nunca antes observado

Segundo os astrónomos, o corpo celeste pode ser uma estrela de neutrões ou uma anã branca que terá um campo magnético fortíssimo e está a cerca de 4 mil anos-luz da Terra.

SubscreverUma supernova (explosão de uma estrela moribunda) pode aparecer durante alguns dias e desaparecer após alguns meses e uma pulsar (uma estrela de neutrões) emite energia em ciclos de milésimos de segundos ou segundos, mas a emissão de energia num ciclo de horas é um fenómeno que até agora nunca tinha sido observado.

O corpo celeste agora detetado, com o radiotelescópio Murchison Widefield Array, na Austrália, é mais pequeno do que o Sol, muito brilhante e emite ondas de rádio altamente polarizadas, o que sugere que tem um campo magnético extremamente forte.

Consulte Mais informação:
Diário de Notícias »

Astrónomos detetam corpo celeste nunca antes observadoO corpo celeste agora detetado é mais pequeno do que o Sol, muito brilhante e emite ondas de rádio altamente polarizadas, o que sugere que tem um campo magnético extremamente forte. buraco branco, stargate? Don't look up

Astrónomos detetam corpo celeste nunca antes observado que 'aparece e desaparece'CNN Portugal. O canal de informação, com uma cultura multiplataforma, que acompanha, em tempo real e em diversos meios, os acontecimentos que marcam o país e o mundo.

Bernal já está acordado após ter sido submetido a duas operaçõesCiclismo - Bernal já está acordado após ter sido submetido a duas operações

Costa diz que PS nunca vira a cara à luta e nunca há vitórias antecipadas - Renascença'Somos como o povo de Matosinhos, gente que se faz ao mar quando o mar está bravo ou quando está chão, mas nunca viramos a cara à luta', declarou o líder socialista.

Nunca passámos tanto tempo no telemóvel: novo recorde de 4,8 horas diáriasOs utilizadores de dispositivos móveis gastaram 170 mil milhões de dólares em apps (+19%), no ano passado.

«Nunca vão ver o Sadio Mané a lavar as próprias cuecas»Selecionador do Malawi acusa organização da CAN de tratar as seleções de maneira diferente

e receba as informações em primeira mão.i ▲ O artigo que descreve este objeto do Universo é publicado na edição de quinta-feira da revista Nature Getty Images ▲ O artigo que descreve este objeto do Universo é publicado na edição de quinta-feira da revista Nature Getty Images Astrónomos detetaram um corpo celeste a emitir grandes quantidades de energia que aparece e desaparece do campo de observação num ciclo de algumas horas, algo que dizem nunca ter sido visto antes, foi esta quarta-feira divulgado.Maior telescópio do mundo construído na África do Sul Os cientistas internacionais estão intrigados com a descoberta deste corpo celeste PUB Astrónomos detetaram um corpo celeste a emitir grandes quantidades de energia que aparece e desaparece do campo de observação num ciclo de algumas horas, algo que dizem nunca ter sido visto antes, foi esta quarta-feira divulgado.Assine para partilhar E usufrua de todas as vantagens de ser assinante Um dia depois do violento acidente que o atirou de urgência para um hospital local, chegam boas notícias da Colômbia a propósito do estado de saúde de Egan Bernal.

Subscrever Uma supernova (explosão de uma estrela moribunda) pode aparecer durante alguns dias e desaparecer após alguns meses e uma pulsar (uma estrela de neutrões) emite energia em ciclos de milésimos de segundos ou segundos, mas a emissão de energia num ciclo de horas é um fenómeno que até agora nunca tinha sido observado. O corpo celeste agora detetado, com o radiotelescópio Murchison Widefield Array, na Austrália, é mais pequeno do que o Sol, muito brilhante e emite ondas de rádio altamente polarizadas, o que sugere que tem um campo magnético extremamente forte.000 anos-luz da Terra. De acordo com Natasha Hurley-Walker, este corpo celeste"está a converter energia magnética em ondas de rádio de forma mais eficaz do que qualquer coisa vista antes". PUB "Este objeto apareceu e desapareceu ao longo de algumas horas durante as nossas observações" , afirmou, citada em comunicado esta quarta-feira divulgado pelo centro de investigação australiano, a líder da equipa, Natasha Hurley-Walker. O artigo que descreve este objeto do Universo é publicado na edição de quinta-feira da revista científica Nature. Uma supernova (explosão de uma estrela moribunda) pode aparecer durante alguns dias e desaparecer após alguns meses e uma pulsar (uma estrela de neutrões) emite energia em ciclos de milésimos de segundos ou segundos, mas a emissão de energia num ciclo de horas é um fenómeno que até agora nunca tinha sido observado. Partilhar .