Andy Murray ainda sabe competir

18/01/2022 23:20:00
Andy Murray ainda sabe competir

Ténis: Andy Murray ainda sabe competir

Ténis, Open Da Austrália

Ténis : Andy Murray ainda sabe competir

A campeã do último Open dos EUA, Emma Raducanu, estreou-se a vencer.

JAMES GOURLEY/ReutersHá exactamente três anos, Andy Murray chorou perante os jornalistas presentes no Open da Austrália ao constatar que a gravidade da lesão na anca iria colocar fim à sua carreira. A intervenção cirúrgica, um ano antes, não foi suficiente para lhe permitir competir em perfeitas condições físicas, mas uma segunda operação, ainda em Janeiro de 2019, devolveu a Murray a confiança em regressar ao ténis de alta competição. Na terça-feira e na mesma John Cain Arena, onde perdera três anos antes, o escocês venceu Nikoloz Basilashvili (23.º), ao fim de um embate do fundo do

Consulte Mais informação: Público »

Andy Murray volta as vitórias no Open da Austrália, onde praticamente se despediu do ténis, cinco anos depoisEscocês venceu Nikoloz Basilashvili, 21.º cabeça de série este ano, pelos parciais de 6-1, 3-6, 6-4, 6-7 (5-7) e 6-4, num local onde não ganhava desde 2017. Elogiou atmosfera e quer ir longe.

Tracking poll: Um quinto dos inquiridos ainda não sabe em quem vai votarCNN Portugal. O canal de informação, com uma cultura multiplataforma, que acompanha, em tempo real e em diversos meios, os acontecimentos que marcam o país e o mundo.

Andy Murray volta as vitórias no Open da Austrália, onde praticamente se despediu do ténis, cinco anos depoisEscocês venceu Nikoloz Basilashvili, 21.º cabeça de série este ano, pelos parciais de 6-1, 3-6, 6-4, 6-7 (5-7) e 6-4, num local onde não ganhava desde 2017. Elogiou atmosfera e quer ir longe.

Big Brother Famosos. Luís Nascimento aplaude palavras de Liliana: 'Mulher com os colh*** no sítio'BigBrother Famosos. Luís Nascimento aplaude palavras de Liliana: 'Mulher com os colh*** no sítio' TVI FernandaSerranoLilianaAguiar LilianaAlmeida LuísNascimento

O aviso do presidente do Governo espanhol a Djokovic - SIC Notícias

O aviso do presidente do Governo espanhol a Djokovic - SIC NotíciasPedro Sánchez frisou que qualquer atleta que aspire a competir em Espanha terá de 'cumprir as normas sanitárias espanholas'. A mão pesada do estado a impingir os seus caprichos políticos na vida de pessoas inocentes nunca acabou bem. A ditadura bem instalada, firme! Era tudo provisório….

Ronaldo e Rúben Dias no onze do ano da FIFProAvançado do United foi ainda distinguido com um prémio especial da FIFA O Naldo nunca

Andy Murray durante o seu primeiro encontro no Open da Austrália deste ano JAMES GOURLEY/Reuters Há exactamente três anos, Andy Murray chorou perante os jornalistas presentes no Open da Austrália ao constatar que a gravidade da lesão na anca iria colocar fim à sua carreira.Andy Murray quer ir "longe no torneio" Getty Images Andy Murray quer ir "longe no torneio" Getty Images Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.CNN Portugal Há 2h e 4min Um quinto dos eleitores ainda não sabe em quem vai votar no dia 30 de janeiro.Andy Murray quer ir "longe no torneio" Getty Images Andy Murray quer ir "longe no torneio" Getty Images Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A intervenção cirúrgica, um ano antes, não foi suficiente para lhe permitir competir em perfeitas condições físicas, mas uma segunda operação, ainda em Janeiro de 2019, devolveu a Murray a confiança em regressar ao ténis de alta competição. Na terça-feira e na mesma John Cain Arena, onde perdera três anos antes, o escocês venceu Nikoloz Basilashvili (23. Uma lesão, um mau resultado, uma quebra mental.º), ao fim de um embate do fundo do court de quase quatro horas. Os dados desta sondagem com a distribuição dos votos dos indecisos mostram uma vitória mais confortável para António Costa, mais próxima da maioria parlamentar. “Têm sido três, quatro anos duros. Mas cinco anos depois, surge nova vitória, a noite passada, frente ao tenista da Geórgia Nikoloz Basilashvili, 21. Trabalhei muito para voltar aqui e já joguei muitas vezes neste court , o ambiente foi incrível.º cabeça de série, pelos parciais de 6-1, 3-6, 6-4, 6-7 (5-7) e 6-4.

Este é o court onde pensei que, potencialmente, tinha realizado o meu último encontro. Agora, segue-se o japonês Taro Daniel, que veio do qualifier. Em sexto lugar, surgiria a Iniciativa Liberal, com 3,9%. Mas é bom estar de volta, e ganhar uma batalha de cinco sets . Não podia pedir por mais”, confessou Murray, após vencer, por 6-1, 3-6, 6-4, 6-7 (5/7) e 6-4, e obter a primeira vitória desde 2017 no Open australiano, no qual atingiu a final por cinco vezes, entre 2010 e 2016.º posto de uma lista que já liderou. Na semana anterior, em Sydney, Murray tinha derrotado o mesmo adversário bem como Reilly Opelka (25. Comparando com os resultados das últimas legislativas, todos os partidos perdem força nesta sondagem, excepto o Chega, que obteve 1,29% dos votos em 2019, e a Iniciativa Liberal, que há três anos conquistou 1,29%.º), conseguindo pela primeira vez desde o final de 2016 derrotar dois top-25 no mesmo torneio. E com motivos para tal. E com motivos para tal.

Nessa prova, o britânico acabaria por perder na final com o russo Aslan Karatsev, mas ganhou garantias de que podia ser de novo competitivo, apesar de, no ranking, surgir no 113.º lugar. Nesse mesmo ano de 2017, quando foi top seed , chegou à quarta ronda do torneio e foi derrotado por Mischa Zverev. Daniil Medvedev (2.º) avançou igualmente para a segunda ronda – onde vai defrontar a estrela local, Nick Kyrgios (115. Murray magic ✨.º) –, imitado por Stefanos Tsitsipas (4.

º), Andrey Rublev (6.º), Alex De Minaur (42.º) e Jannik Sinner (10.º), que eliminou João Sousa (140.º).

O italiano de 20 anos impôs-se por 6-4, 7-5 e 6-1, em duas horas, mas Sousa, repescado da fase de qualificação, fez um balanço positivo. “Apesar da derrota, acredito que fiz um bom encontro. Joguei a um bom nível, com alguns altos e baixos e daí o desfecho dos dois primeiros sets terem caído para o lado dele. Depois de um desaire da última ronda do qualifying , em que não me senti bem no campo, consegui mentalmente aceitar isso e trabalhei da melhor forma para hoje jogar a um bom nível. Tive as minhas oportunidades, não as consegui aproveitar, mas fica mais uma boa exibição que me dá confiança para encarar os próximos desafios com positividade”, afirmou o vimaranense que, na próxima semana, estará em França para disputar um torneio do Challenger Tour.

No torneio feminino, o ténis britânico esteve também em destaque com Emma Raducanu a vencer o duelo entre campeãs do Open dos EUA. Raducanu (18.ª), que só tinha ganho dois encontros desde o triunfo em Nova Iorque, em Setembro, voltou a confirmar as qualidades ao derrotar a norte-americana Sloane Stephens (67.ª), vencedora do Open dos EUA em 2017, por 6-0, 2-6 e 6-1. A canadiana Leylah Fernandez (24.

ª), finalista no último Open dos EUA, também só ganhou três encontros desde então e foi eliminada pela australiana Maddison Inglis (133.ª), por 6-4, 6-2. Afastada foi igualmente Petra Kvitova (19.ª) que cometeu 39 erros não forçados no espaço de 71 minutos e perdeu pelo segundo ano consecutivo com Sorana Cirstea (38.ª), desta vez com um duplo 6-2.

Aryna Sabalenka (2.ª), Garbiñe Muguruza (3.ª), Anett Kontaveit (7.ª), Iga Swiantek (9.ª) e Simona Halep (15.

ª) também estão na segunda ronda. Leia os artigos que quiser, até ao fim, sem publicidade Faça parte da comunidade mais bem informada do país .