Sociedade, Vouchers, Porto Editora, Livros

Sociedade, Vouchers

Alunos sem todos os manuais escolares no regresso às aulas

Alunos sem todos os manuais escolares no regresso às aulas

16/09/2021 18:16:00

Alunos sem todos os manuais escolares no regresso às aulas

Editoras defendem que o problema deveu-se ao prolongamento do fim das aulas do último ano letivo por causa da pandemia levando ao atraso na emissão dos vouchers.

SubscreverFazendo um balanço do número de encomendas por entregar, aquelas papelarias têm 911 livros da Porto Editora em atraso e outros 546 esgotados, estando também à espera de 905 livros do Grupo Leya, a que se somam outros 26 atualmente indisponíveis.

Novavax anuncia vacina contra a Ómicron para janeiro Mutações do coronavírus podem obrigar a vacinação anual Hospital de Almada sem novos casos de Covid entre os profissionais de saúde

O mesmo problema repete-se noutras zonas do país e em Santarém, por exemplo, o proprietário de uma pequena livraria relata atrasos superiores a 10 dias úteis e afirma que a maioria das encomendas estão pendentes."É muito livro por entregar e numa fase em que estamos a dois ou três dias da escola, continuam a chegar encomendas. Libertamos muito poucos livros e continuamos a receber muitas encomendas"

, contou.Perante estes atrasos, o responsável daquele estabelecimento antecipou que no início do mês de outubro muitos alunos ainda não vão ter todos os manuais.O Grupo Porto Editora remeteu para um comunicado da Associação Portuguesa de Editores e Livreiros (APEL) que, em 18 de agosto, já admitia a possibilidade de"dificuldades no abastecimento das livrarias". headtopics.com

"Imprimir os livros e distribuí-los por todo o país, chegando a mais de 600 mil famílias, é um processo logístico extremamente complexo que requer mais tempo do que as editoras dispuseram este ano, o que está a causar enorme pressão em todas as estruturas e nos recursos humanos"

, acrescenta o grupo.Por outro lado, a Porto Editora refere também a necessidade de ter acesso mais atempadamente aos dados referentes ao número de 'vouchers' para novos livros, uma vez que nem todos podem ser reutilizados."O facto de o ano letivo passado ter sido prolongado em duas semanas, devido aos constrangimentos provocados pela pandemia, atrasou a emissão dos 'vouchers', deixando assim um escasso período de tempo para a impressão e distribuição dos livros escolares"

, acrescentam.A Leya, por sua vez, contraria os relatos dos comerciantes e refere que"o abastecimento está a processar-se regularmente como em anos anteriores", admitindo que eventuais atrasos são pontuais.Além dos atrasos nas entregas e da indisponibilidade de alguns manuais, que estão atualmente esgotados, Ricardo Ventura refere ainda problemas com a emissão dos 'vouchers' que dão acesso aos manuais escolares gratuitos.

Segundo o responsável pelas duas papelarias em Lisboa, algumas famílias não conseguiam aceder aos vales para trocar pelos manuais das diferentes disciplinas ao mesmo tempo, sendo que para algumas os 'vouchers' são emitidos mais tarde, obrigado assim à realização de mais encomendas headtopics.com

Cientistas sul-africanos apontam que risco de reinfeção poderá triplicar com variante Omicron Centro de testagem à covid-19 no Cais do Sodré fechado. Pessoas fazem fila para serem testadas Variante Ómicron deverá predominar na Europa dentro de poucos meses

O Ministério da Educação esclarece que a situação não é anormal e explica que as escolas submetem na plataforma dos Manuais Escolares Gratuitos (MEGA) os dados necessários conforme escolhem os livros para as diferentes disciplinas.

Na secção de perguntas frequentes da mesma plataforma, é ainda referido que essas situações podem acontecer"em virtude da turma não estar completa, condição necessária para que sejam emitidos os vales reutilizáveis, ou por aplicação de inibição por falta de entrega, ou entrega sem condições de reutilização, de manual do ano letivo anterior".

O ano letivo arrancou na terça-feira e até sexta-feira cerca de 1,2 milhões de alunos do ensino obrigatório estarão todos, oficialmente, de regresso à escola para mais um ano em ambiente pandémico e ainda com regras apertadas de controlo de contágio da covid-19, em que a prioridade será a recuperação das aprendizagens.

Consulte Mais informação: Diário de Notícias »

O Futuro do PSD

Escolhemos seis questões que determinam o futuro do PSD e sobre elas questionámos os dois candidatos a presidente do partido, que será eleito a 27 de Novembro

Alunos sem todos os manuais escolares no regresso às aulas por atrasos nas editoras Sociedade - Alunos sem todos os manuais escolares no regresso às aulas por atrasos nas editoras

Regresso às aulas: atrasos nas editoras deixa vários alunos sem manuais escolaresSituação foi denunciada por livrarias que relataram atrasos superiores a duas semanas e consideraram 'impossível' que os alunos tenham todos os manuais necessários até sexta-feira.

Alunos do secundário tiveram 92 dias de aulas onlineOs alunos portugueses tiveram as escolas encerradas menos nove dias do que a média da OCDE.

Há uma máscara transparente para quebrar barreiras entre professores e alunosEmbora as máscaras sejam ainda um acessório essencial para a protecção individual dos estudantes na escola, pode ser também um entrave à boa compreensão linguística e à aprendizagem de quem é surdo. E protege dos aerossóis?

PSP garante segurança a 3 mil escolas e um milhão de alunosO Programa Escola Segura tem previstas cinco ações por cada agrupamento durante todo o ano letivo.

Líder do CDS-PP quer que os alunos possam optar pelo ensino privado ou públicoFrancisco Rodrigues dos Santos deu esta noite o pontapé de saída da campanha eleitoral para as autárquicas de 26 de setembro onde o partido detém a única presidência de um município na Região Autónoma dos Açores, nas Velas, ilha de São,Jorge, presidido por Luís Silveira, que se recandidata a mais um mandato E já podem, se os pais deles pagarem E entretanto perde tempo a enviar livros de história do 5o ano a alguém com um Doutoramento em História...